Capítulo CINCO

141 17 5


Sol acordou.

Depois dela ter falado com Vicente. Ela conheceu seu quarto, arrumou suas coisas numa caixa de metal. Sol resolveu guardar sua bolsa florida.
Ao lado de sua cama tinha outras duas camas.
Em uma das camas estava escrito Borboleta. Na cama ao seu lado estava escrito Rouge. Sol foi até sua cama e olhou para a placa em cima dela e estava escrito Senhorita Clarividência .
Ela se deitou. Já estava tarde. E adormeceu. Nem viu seu amigo Big.

Quando acordou notou que uma das camas estava bagunçada. Dentro do quarto tinha um banheiro e a menina do cabelo vermelho saiu de lá vestida de preto.
-Bom dia- Ela fala. Seu rosto está diferente. Já não estava vermelho, quase da cor de seus cabelos, de tanto chorar.
-Bom dia, Sabrina.
-Rouge. Meu nome é Rouge agora.

Sol segura o ar sem entender e depois o solta perguntando:
- Pra onde te levaram, Rouge?
-Fui para uma sala cheia de máquinas. É lá a sala do Águia, a Sala 22. Lá eu fiz vários testes. Esperei uma hora e ele veio com resultados. Tudo é novo para mim. Eu nunca vi meu cabelo brilhar. Deve ser porque só brilha quando estou dormindo.-
-Quantas salas tem aqui?
-Não sei.- Rouge deu de ombros.
-E seu cabelo? Sua mãe ou sua irmã nunca viu ele brilhar?-
-Não sei. Talvez sim, mas nunca me contaram nada. Eu fui dormir esses dias na casa de minha tia. No dia seguinte ela me mandou para cá. Aqui estou.
-Qual o poder do seu cabelo, Rouge?-
-Tudo o que uma rosa faz meu cabelo pode fazer. Espinhos; perfume; beleza... Mas esse brilho o Águia disse que é estranho. Ele concluiu que eu ainda estou me desenvolvendo.
-Quantos anos você tem?-
-15.Você faz muitas perguntas para uma vidente- Ela rir - E você, quantos anos?-
-17, mas logo faço 18. Quem é Borboleta?
-É a menina chata. Ela acordou de mal humor, vestiu as roupas e nem me deu bom dia. Nem falou comigo. Saiu e bateu a porta.Muito estranha ela.
Ah, temos que ir. Tem que vestir essa roupa.-Ela olha para o lado da cama de Sol- Avisaram que temos que ir ao campo de treinamento. Agora!-
-Eu não vou vestir essa roupa preta.- Sol não gostava de preto.
-Você tem que vestir.

Depois de alguns segundos, Sol pega a roupa em sua cama e vai ao banheiro se arrumar.
As duas chegaram a sala de espera. Uma sala em formato de circulo onde ficava perto de todas as outras portas para as outras salas. A maioria das pessoas daquele lugar passavam por alí.
Sol estava de cabelo preso, assim como todas as meninas que estavam ali prestes a entrar na sala do campo de treinamentos. Agora dava para ver seu rosto suado, seu nariz, que não tem nenhuma curvatura ou depressão no centro. Afinado na ponta, origem grega. Seus olhos verdes bem escuros, sempre abertos, mas levemente caídos. Sua boca corada, no cantinho dela tinha traços bem delicados.


Cigana bonita.

S1 chega furioso acompanhado de Vicente.

-Olha pra mim e me diz como!- Ele fala todo encharcado da chuva que caiu ainda cedo.

-Dizer o que?- Sol pergunta, já sabendo o que aconteceu.
-Sua visão, que a Alma Negra acha que não foi visão. Olha pra mim! Eu estava com a capa para chuva. Mas mesmo assim eu me molhei!
-Eu vi que você iria se molhar.- Ela o encara.
-Como faz isso? Como você manipula a vida das pessoas e o que acontece com elas?-
-Eu não faço isso! Pare de gritar comigo. Eu vi que você iria chegar aqui molhado. E se cumpriu, você está.
S1 tenta se aproximar dela, mas Vicente o impede.
-Vamos, está na hora.- Ele fala.
-Está bem!- Ele tira a camisa molhada e o suor misturado com água da chuva desce por toda sua barriga extremamente sarada. Sobe em cima de um balcão de mármore branco e fala para aquelas pessoas:
Todos vocês, entrem na Sala 11, a sala do campo de treinamento. AGORA!- Ele ordenou.

-Eu tenho que admitir. Essa sua visão foi muito estranha.- Vicente fala para Sol enquanto todos estão entrando.
Sol não fala nada.
Sol não usava maquiagem.Mas sua pele era corada. Seus cabelos eram tão longos que mesmo amarrados com um " rabo de cavalo" encostava em seu bumbum.
Enquanto ela caminhada, Vicente nota a silhueta dela, que antes se escondia por debaixo das saias e mantas longas.
Ela entra na Sala 11. Tudo é muito claro. Sol olha para cima e vê o céu azul, vê pássaros. Parece que a floresta inteira está ali. O Lugar é cercado por um gramado de um verde lindo. Ao fundo um quadrado de concreto enorme. Dentro tem vários botões, iguais aos da Sala 5.
Vicente começa a falar:
-Escutem todos! Aqui é o lugar onde todos vocês irão receber treinamentos por fases. Há 3 fases: A Fase 1 é onde todos irão fazer o mesmo treinamento. Força,resistência, inteligência e coragem.Agora iremos testar a coragem de vocês. Esse treinamento é o básico. A segunda fase é onde cada um terá um treinamento de acordo com o seu poder. A última fase é de destaque. Os mais fortes, os mais resistentes, os mais inteligentes e os mais corajosos... os melhores passarão e treinarão nessa fase. Preparados? Prontos ou não, comecem agora!-
Depois do brado de Vicente, leões entram FURIOSOS por lugares jamais imagináveis daquele campo. E várias pessoas tentam se defender. Umas voam outras lutam, outras somem. Sol fica parada. Com certeza não previu que aquilo aconteceria.

Vicente olha para ela preocupado.
-Você tem que fazer algo!-
-Não sei o que faço!-Ela grita apavorada. -Que tipo de treinamento é esse? Olhe para esses animais, são enormes!

-Você não vai morrer. Lute! Use seu poder.-Vicente grita para Sol diante de um enorme barulho de pavor vindo daquelas pessoas que não sabiam se tinham corajem.
Sol procura por algo que possa se defender. Mas não encontra.
Então ela fecha os olhos...

Leões.
Leões saiam.
Leões saiam daqui.
Leões saiam daqui, AGORA!

UMA VOZ ECOOU NOS PENSAMENTOS DELA.

Leões.
Leões saindo.
Leões saindo daqui.
Leões saindo daqui,AGORA.

A VOZ DA VISÃO QUE SOL TEVE, TOMA CONTA DE SUA MENTE.

E depois de um tempo todos os leões param. Leões enormes param de rugir, param de tentar comer os novatos poderosos, param de correr... Param. E voltam de onde vieram.

Indagações :

"Mas o que foi isso ?" "O que está acontecendo?" " Aquela moça nos salvou?"

E aquelas pessoas apavoradas começam a gritar, sem entender, por Sol. Gritam em agradecimento.
Vicente e S1 olham para Sol com um olhar de reprovação.

-Vocês estão liberados! - S1 grita para aquelas pessoas aliviadas.
E todos contentes começam a sair daquele lugar.
-O que você é? Como controlou os leões?- Pergunta S1 para Sol.
- Você controla o tempo? Qual é o seu poder - Pergunta Vicente.
-E-eu... Só busquei uma visão de agora. Vi que tudo ia acabar bem e quis, mais que tudo, que essa visão se cumprisse rápido. S-só fiz isso... E-eu, eu juro.- Ela fala ofegante e assustada.

S1 bate na porta que está em sua frente e em seguida sai daquele lugar.
-Você me deve mais explicações.- Vicente fala com os braços cruzados- Hoje a noite terá uma festa. Como hoje é sexta, algumas pessoas sempre gostam de se divertir.Você vai?

-Eu não sei se devo.
-Anda. Vamos, eu sei que quer ir.
-Argh!...Tudo bem. Eu irei.
-Te vejo mais tarde, então?
Ela afirma com a cabeça.

-Fique bem.- Ele diz e vai em bora pela mesma porta que S1 saiu.

Sol chega no seu quarto atordoada e encontra Rouge conversando com uma garota de cabelo curto, estilo "Joãozinho".
Ela tem olhos negros pesados e olha para Sol como se fosse vomitar.
-Essa aqui é Barbara, a Borboleta. Ela começou a ser legal e explicou muita coisa daqui para mim, Sol.- Diz Rouge.

-Esse lugar é uma bosta!- Borboleta reclama para Sol.
-O que disse?- Sol pergunta enxugando o suor do rosto com uma toalha.
-Não suporto este lugar. Se pudesse sumiria de novo.
-Você já saiu daqui?- Sol pergunta para ela, sentando ao lado de Rouge.
-Sim. Duas vezes. Eu estava ardendo em febre e ao invés de ser levada ao hospital vim parar aqui. No começo não entendi muito bem. Mas já passei pelo o que vocês passaram duas vezes.

Eu fugi na primeira vez, mas logo me pegaram. Claro, eu tinha 14 anos na época. Na segunda vez eu consegui fugir e passei 9 meses perdida.Consegui me sustentar sem ninguém por perto, fui independente. Mas eu precisei voltar.
Eu fui descoberta.

Estava numa praça e de repente voei. É, do nada, eu estava em cima e todo mundo naquele lugar estava em baixo, cara. E o pior é que eu estava em cima, no ar. E Com asas! Asas da cor violeta! Odeio essa cor. Fiquei nervosa e caí. NINGUÉM entendia nada. Ficaram assustados com aquilo. Eu corri o mais rápido que pude. Sabia o caminho de volta e aqui estou. Dessa vez eu pretendo ficar. O Águia falou que eu sou uma lagarta que está em metamorfose.Agora esse nome Borboleta é bizarro demais. Mas o que não é bizarro nesse lugar bizarrento ? Aos poucos meus poderes de inseto estão crescendo.
O Águia me ajuda muito. Ele é "O cara" daqui! Sabe porque o nome dele é Águia?- Ela pergunta olhando para Rouge.- Ele tem a visão que ninguém tem. Tu é vidente, consegue ver o futuro- Agora ela fala olhando
para Sol- Mas ele consegue ver o teu coração, literalmente. Você pode estar a milhares e milhares de quilômetros de distancia dele, mas ele vai lá e vê onde tu tá. As pupilas se dilatam, é incrível!

A conversa é interrompida por alguém que bate na porta.

É Big quem bate.

CLARIVIDÊNCIA- Senhorita DestinoOnde as histórias ganham vida. Descobre agora