Ninjas

11.4K 748 564

Com licença, pode me ajudar numa coisinha? - olhei pra cima e dei de cara com um menino de topete meio loiro, seu rosto tinha algumas espinhas e seus olhos eram de um azul bem impressionante, acho que o conheço de algum lugar...

O estranho garoto bonito ainda estava na minha frente, acho que fiquei o encarando tempo demais.

- Alo? - ta legal, eu juro que já ouvi isso em algum lugar.

- Quem é você? - okay, aposto que assustei o garoto bonito e estranho com essa pergunta tao de repente, não me culpe, a maioria das coisas que eu falo parecem fazer sentindo na minha cabeça.

- Bem... -ele torceu os dedos nervosamente - Eu sou o Rafael Lange, e preciso urgentemente urgentemente que você me ajude!

- Tudo bem, se você esta tão desesperado assim, eu ajudo! - olhando pela cara dele parecia que tinha um caso de vida ou morte aqui-

- Eu preciso que você me esconda ou distraia daquelas meninas que estão vindo ali, olha! - ele ficou numa posição de ninja e encostado na parede apontou discretamente para um grupo de meninas que estava a poucos metros da gente.

- Então era só isso? - fiquei um pouco desapontada, pensei que seria uma coisa super radical e irada, é Lilian, sua vida não tem nada de radical.

- Sim, você achou que era o que?

- Sei lá, mas pensei que fosse uma coisa que eu pudesse usar minhas habilidades de ninja. - Rafael deu mais uma espiada nelas.

- Bem, acho que você vai ter que botar suas habilidades de ninja em ação, pois elas estão vindo na nossa direção agorinha!

Acho que é hora de eu botar meu cérebro pra funcionar, olhei pra todos os cantos tentando achar algum lugar pra esconder o Rafael mas era meio difícil porque esse menino era alto demais! Olhei pros banheiros, só havia uma opção...

- Vem comigo! - o puxei pela manga do moletom.

Abri a porta do banheiro e olhei em volta, ótimo, vazio. Puxei Rafael de novo pra dentro do banheiro e fechei a porta.

- Olha, eu sei que sou lindo e tal, mas realmente não quero ser estuprado ou sequestrado hoje! - no final ele deu um gritinho e eu percebi que esse garoto tem 95% de chances de ser viado, que pena, ele é realmente bonito.

- O que? Eu to ajudando você a se esconder daquelas meninas, e cara, me diz como eu vou estuprar você?

- Você pode ter capangas escondidos dentro desse banheiro, que a proposito, é FEMININO! - ele gritou as últimas palavras o que fez algumas meninas darem gritinhos lá fora, bem, elas estavam mais perto do que pensávamos. - Fodeu!

O puxei pela terceira vez pelo moletom, e o empurrei pra dentro de uma das cabines. Pude ouvir ele murmurar "O que eu to fazendo com a minha vida" mas ignorei, peguei dentro da minha mochila um gloss qualquer e um rímel e disfarcei quando as meninas entraram.

A idade delas parecia entre 13 e 16, elas estavam bem animadas comentando sobre um tal de cellbit e dando alguns gritinhos, creioemdeuspai. Enquanto passava o rímel uma das garotas parou do meu lado passando batom, ela parecia a mais velha do grupo.

- Oi - a garota falou alegremente comigo, uhm, será que elas descobriram alguma coisa?

- Olá?!

- Então, você por acaso viu um garoto meio loiro, topete, olhos azuis, moletom azul e bem alto por ai? - ela se escorou na bancada da pia, credo, parece até que procurado pelo FBI. - A proposito, seu nome é Rafael.

Vamos lá Lia, você já mentiu várias vezes, consegue mentir de novo, bote suas aulas de teatro em prática. Repetia isso mentalmente. Ouvi uma tosse vindo de dentro da cabine, agora não Rafael.

- Bem, eu acho que não, não vi ninguém com essas características. - respondi normalmente passando o rímel, essa foi boa. A menina pareceu um pouco desapontada mas em um minuto voltou a ficar alegre.

- Tudo bem, obrigado, vamos meninas!

Quando o banheiro ficou totalmente vazio, Rafael esperou alguns minutos pra sair da cabine. Ele se apoiou na pia e respirou fundo.

- Acho que nunca mais vou fazer isso, muita adrenalina pra um dia só! - esse menino é meio bixinha.

- Fui eu que fiz a maior parte do trabalho! - prostestei- Mas agora me diga, por que elas estavam tão insistentes e por que não falou com elas? Pelo que parecia, era exatamente você que elas estavam procurando!

- É complicado. - ele fez uma careta, esperei pacientemente- Assim, eu faço alguns vídeos pela internet, e bem, tem pessoas mais doentes que eu que assistem esses videos, então eu acabei me tornando meio "famoso".

- Mas por que fugir delas?

- Essa não foi minha ideia mais inteligente mas eu realmente precisei, eu amo as langers mas tem uma que exageram, e se eu atender uma, mais iriam vir e ia ficar uma confusão total.

- Entendo, mas agora você fica me devendo uma.

- Sim, eu estou te devendo uma.

- Bem, acho que você pode me ajudar numa coisa...

- Eu conheço esse olhar, e não, não vou me prostituir! - olhei pra cara dele e comecei a gargalhar. - O que foi?

- Eu só ia pedir pra você me ajudar a comprar um presente pra minha prima.

- Ah... - ele passou a mao na nuca- então esquece isso. Lembrei de uma coisa agora.

- O que?

- Primeiramente, ainda não saímos do banheiro feminino e depois que eu não sei seu nome.

- Bem, meu nome é Lia, Lia Kuchta. - empurrei a porta do banheiro e virifiquei se haviam muitas pessoas ao redor, ia pegar mal se me vissem saindo de um banheiro com um menino.

- Kuchta? - ele começou a rir e cara, sua risada era escrota demais. Me lembrava o garoto do video que meu irmão assiste, creioemdeuspai novamente.

- Olha, não zoa meu sobrenome, isso é demais, não tive nenhuma chance de escolher um sobrenome normal.

- Tudo bem, senhorita Kuchta. Agora vamos procurar o presente perfeito pra sua prima. - Rafael passou o braço pelos meus ombros e me guiou pela grande shopping. Me desejem sorte.

>>>>>≥>>>>>>>>>≥>>>≥>>>>>>>>>>

Olá pessoas! Obrigado pelos comentários e votos, ta ai mais um capitulo de Clouds, espero que tenham gostado ♥♥

Comentem, votem, falem comigo, eu nao mordo okay?!

Bye galerinha, ate o próximo capítulo ;)

Clouds → Rafael Lange | CellbitOnde as histórias ganham vida. Descobre agora