Passei o resto da tarde procurando classificados na internet.
Achei algumas sugestões de empregos e resolvi me candidatar. Anotei o endereço do local, e então percebi que não era muito longe da minha casa, o que era uma sorte pra mim.

Não que os ônibus de Londres fossem ruins, o que não era, mas talvez andar um pouco seria um bom exercicio para quem era sedentária como eu.

Tinha dois trabalhos semi-integrais. Um pela noite e só aos fins de semana, como bar tender de uma cafeteria, e outra como garçonete num pequeno restaurante quase do outro lado da cidade e que era só durante a noite pela semana.

O da semana pagava um pouco mais, mas não muito. Porém preferi o primeiro. Eram só aos fins de semana e não iria me atrapalhar em nada.

Liguei pra lá, e o gerente do bar disse que eu poderia aparecer no dia seguinte, para acertarmos tudo e que provavelmente eu já começaria no proximo fim de semana.

Como tinha pouca coisa pra fazer da escola, resolvi ligar pra minha mãe:.

- Olha .. A filha ingrata se lembrou da mamãe?

- Mãe. Para com isso. Tudo bem, eu quase não liguei esses dias, mas é que...

- tem alguém? Um rapaz novo? Não me diga que...

- o que? Claro que não, mãe. - E de repente me veio a imagem de Harry na cabeça. - Só andava meio estressada por causa de um trabalho chato de literatura. E também a Gih ficou doente e tive que dar uma forcinha a ela nas coisas da escola.

- hum.. Mas custava ter ligado pra sua mae? Eu e seu pai estávamos achando que tinha acontecido alguma coisa com você. Mas o Matt ligou antes e disse que estava tudo bem.

- O Matt ligou?

- Sim, querida. Pra dizer que conseguiu um emprego. Estranho é você perguntar por ele com ele pisando no mesmo chão que você.

- Bem, mãe.. A verdade é que aconteceram algumas coisas entre mim e o Matt. Até tínhamos combinado de morar juntos mas o que ele fez comigo... Eu não sei se ainda o perdoei...

-nossa querida.. E o que ele fez de tao grave?

- Tentou me agarrar a força no meio da rua no dia em que fomos para um show. Ele estava bêbado. Enfim...

- não creio nisso!

- Acredite mãe! - pelo bem dela resolvi omitir a parte que eu desmaiei nos braços de um estranho. Um estranho gostoso e fui acordar na casa dele. Se eu falasse isso ela sub entenderia que eu tinha..... Com ele. Era minha mãe. Ela levava tudo ao pé da letra, mesmo!

50 Tons de Harry Styles Leia esta história GRATUITAMENTE!