Os escolhidos Capitulo 1

18.9K 838 128

Oi, pessoas lindas!

VOU DISPONIBILIZAR O 1º LIVRO DA TRILOGIA "OS ESCOLHIDOS" COMPLETO AQUI NO WATTPAD ATÉ O FINAL DE SETEMBRO!  Mais surpresas estão chegando!

Quem for no meu instagram e come


Nina penteia meu cabelo castanho com tanta suavidade que parece um carinho. Às vezes suas mãos escamosas agarram nos finos fios do meu cabelo. Por ser sereana, mesmo na forma humana, suas pálidas mãos têm seus dedos ligados por uma fina pele, como nadadeiras.

- Nina, eu sei que não gosta de usar as pernas, pode ficar com a cauda de sereia, eu não me importo. - Digo fitando minha linda babá, que voltou seu olhar castanho cheio de pequenas rugas ao primeiro sinal de um sorriso.

- Desde pequena, repete a mesma coisa. E desde sempre lhe respondo do mesmo jeito - disse de modo suave - Não, obrigada.

- O baile desta noite, será incrível, não acha? - Comenta Nina, buscando me animar.

O baile dos Reinos é um dos eventos mais importantes de Elim, todos os reis e rainhas vão e somente pessoas da alta classe ou colaboradores do país estarão lá. Isto é, ricos e esnobes se reunindo em uma festa na intenção de apresentar a paz entre os reinos e a riqueza das classes dominantes, posando para fotógrafos e entrevistadores. Todo ano eu tenho que ir, como princesa do Reino Água, eu devo sempre comparecer e como diz minha tia "mostrar a graça de toda princesa". Mas esse ano é diferente. Esse ano, eu não sou só a princesa. Eu sou a escolhida mais esperada para o torneio. O torneio dos Escolhidos.

- Será formidável - eu digo suavizando a voz de um jeito engraçado. Nina faz uma cara emburrada, tentando não rir.

Ela abre uma caixa de vidro desenhada com várias conchas do mar e dela, oito rolos dourados voam para fora e sozinhos enrolam-se em meus cabelos. O calor familiar esquenta minha cabeça. Odeio esses rolinhos demoníacos, um sempre acaba me queimando.

- Amanhã, começará na escola, pelo menos para isso está animada? - Ela tenta uma segunda abordagem, uma tentativa falha de me animar.

- No segundo dia começa a competição... - Eu disse, meu olhar vidrado em minha própria imagem no espelho. Daqui a um dia e meio, se iniciará a competição dos Escolhidos, cinco adolescentes de cada Reino, lutando entre si, e arriscando suas vidas para, no fim, serem escolhidos um de cada Reino, para manterem até o fim de suas vidas, nosso país Elim, segura das trevas. Alguns sonham em se tornar um dos Escolhidos, ter a honra de defender o país, ter riquezas, ser importante, mas outros como eu, nascem escolhidos, sem opção de participar ou não da competição. Eu sou nascida-escolhida, além da magia e poder elementar que possuo dentro de mim, minhas habilidades humanas são mais evoluídas, mais força, velocidade, meu cérebro é projetado para lutar. Isso faz com que eu seja essencial na nova geração de escolhidos.

- Querida, vai dar tudo certo! - Diz Nina passando pó em meu rosto, maquiando-me de acordo com meu vestido, que, como todas às vezes, é uma surpresa. - Você será a escolhida mais honrada que Elim já teve - seu sorriso não disfarça o toque de receio em seus olhos. Marine e Nina são tudo que posso chamar de família.

- Vamos por seu vestido? - Ela cantarolou. Um vestido azul escuro cintilou em sua mão no menor movimento com os dedos. O corpete reluzia como metal, imitando escamas de peixe, a saia era azul escuro, assemelhando-se ao céu noturno reluzindo minúsculas estrelas. Joey, meu estilista e de Marine, pela primeira vez em meus 16 anos desenhou um vestido da maneira que eu queria. Diferente.

Por conta das divisões, habitantes de determinados reinos só podem vestir cores específicas. No meu caso, por ser mariana, azul e branco. Nascidos no Fogo, tons que lembrem seu elemento e cores negras, os nascidos no Ar, branco e preto e somente o reino Terra tem o direito de misturar todas as cores e estampas. Uma medida para nos diferenciar um dos outros. Todas as garotas da alta classe de Atlan, usam no baile vestidos azuis claros ou brancos, sempre detestei me vestir como elas, eu não era como elas, eu não tinha o senso egoísta e consumista delas, não tinha a delicadeza enjoada e muito menos a vontade insaciável de um marido rico. E pela primeira vez, eu não me pareceria como uma delas.

Os EscolhidosOnde as histórias ganham vida. Descobre agora