A Princesa e a Sombra

174 2 5

    Era uma vez uma Mestra Cozinheira, ela era mui talentosa, a melhor que já existiu na costa ocidental do Mar do Firmamento. Seus dons eram disputadíssimos e, por graças do rei Azeitona I, logo virou a Mestra Cozinheira do Castelo do Reino à Oeste da Lua, onde alegremente engordou o rei e a corte, além de conquistar para Sua Majestade dezenas de acordos vantajosos ao Reino à Oeste da Lua através dos estômagos e paladares dos reis e diplomatas dos reinos vizinhos.

    Mas, o brilho da Mestra Cozinheira trouxe trevas de inveja ao coração da única filha do rei, a princesa Empadinha, que temia que a Mestra Cozinheira tomasse o lugar de sua falecida mãe, ou o seu próprio, no coração de seu pai. Ele era todo elogios, tanto à comida, quanto aos modos e a beleza da moça, que era agradável e educada com todos, até com ela. Certa noite, as trevas do coração de Empadinha ficaram tão densas que sua Sombra de desprendeu de seu corpo e fez uma proposta:

    "Linda princesa, odeias mesmo a Mestra Cozinheira?"

    "Se surgiste para mim, sabe o quanto odeio".

    "Então, realizarei o desejo do teu coração e banirei a Mestra Cozinheira em três dias".

    "A troco de quê?", perguntou a princesa Empadinha. "Bem sei que sombras não fazem serviços sem cobrar um preço".

    "É verdade", respondeu a sombra.

    "Então, diga-me já. Não gosto de histórias em que a pessoa só descobre o preço quando é tarde demais."

    "Bom..." a sombra hesitou... "não vai ser exatamente um 'preço', mas um favor a um amigo".

    "Pois, diga qual".

    "Vossa Alteza é donzela ainda?"

    "ò_ó!!"

    Vossa Alteza tinha o apelido de "boca virgem" entre as damas de companhia, mas a Sombra não precisa saber disso.

    "Pois então: tenho um amigo sapo que precisa do beijo de uma princesa donzela para voltar à forma humana".

    "E queres que eu o beije para tu se livrar da odiosa?".

    "Não. Quero que o beije se eu me livrar da Mestra Cozinheira".

    "E se eu não cumprir minha parte no acordo?"

    "Conhece alguma história em que alguém saiu por cima quebrando um acordo com uma Sombra?"

    Conhecia sim, mas ela reconhecia não ter os mesmos talentos dos personagens.

    "Aceito. Tu faz tua parte e farei a minha, estamos fechados?".

    "Sim".

    Claro que assim que a sombra sumiu, a princesa Empadinha fez cara de nojo com as possibilidades, e fez encomenda de toneladas de produtos de higiene bucal para usar após pagar sua parte o acordo.

    

    -x-x-x-

    

    Para a Sombra, cumprir o acordo foi fácil: na véspera do dia em que o rei do Reino a Leste do Sol visitaria o Reino a Oeste da Lua, ela roubou um objeto importante do tesouro - a Pena Real, especialmente criada para assinatura de acordos com outros reinos - e escondeu nas sombras da Mestra Cozinheira, que logo foi descoberta, acusada de roubo e expulsa do Reino a Oeste da Lua, degradada para a Cachoeira do Suplício Eterno com Cheiro de Rosas.

    

    Para a princesa Empadinha, não cumprir o acordo não foi tão fácil:

    Primeiro, por que as pessoas começaram a notar que ela não tinha mais sombra, isso obviamente era um mau sinal, mas ninguém tinha coragem de chegar e perguntar a ela o que acontecia. Até seu pai estava mantendo uma distância medrosa dela. E enquanto ela fosse devedora de sua Sombra solidificada, ela não poderia ter uma nova.

A Princesa e a SombraLeia esta história GRATUITAMENTE!