Capitulo 29. (Bônus)

6.1K 425 34

To devendo uns capítulos pra vocês, e como eu tenho alguns prontos por o livro estar quase acabando, decidi postar esse pra vcs. Aproveitem o capítulo , Beijos

   Entro Correndo no hospital, e paro pra falar com a recepcionista.

- Quero noticias de uma paciente que deu entrada aqui hoje.

- Qual é o nome ?

- Alice Oliver.

- Está na UTI, 4° andar. Pegue o elevador, até lá.

- Obrigada.- Aperto o botão do elevador com força. UTI. Ela tá na UTI. Chego, e vejo o pai da Alice sentado em uma cadeira, e uma mulher com ele. Que não faço ideia de quem seja. Quando ele me vê, vem até a mim.

- Ela está na UTI.- Vejo ele chorando ?! Passo a mão pelo rosto tentando não pensar no pior, mais é impossível.

- É.. Me falaram...

- Nem consigo acreditar, que minha filha está naquele lugar. Apesar de tudo, eu a amo.- Ele diz.

- Tenho certeza que sim.- Respondo. Ele é pai, com certeza ama ela. Nos sentamos no banco e eu espero noticias dela aflito, já se passou mais de 3 horas, e minha mãe esta aqui comigo, avisei a ela e ela fez questão de vir.

- Parentes da paciente Alice Oliver?

- Sim.- Digo rapidamente.- Alguma notícia ?

- Sim, ela sofreu muitas pancadas na cabeça,que atingiu o celebro dela, e...

- E..?

- E a deixou de coma induzido. Isso pode durar horas, dias ,meses, até mesmo anos... - Quando ele diz isso eu abraço minha mãe chorando. Coma ? Isso é demais pra mim suportar.- Sinto muito, só não desistem. Ela parece ser muito forte. Consegue sair dessa.- Ele diz.

- Posso ver ela ?- Pergunto.

- Hoje ainda não, pois temos uns exames ainda pra fazer. Mas quando puder aviso vocês.- Ele diz indo embora. Me sento colocando a mão no meu rosto. Alice é teimosa, ela tem que sair dessa...

  Algum tempo depois...

   Agora estou sem notícias dela. Desde aquela hora ainda não sai do hospital. Quero estar aqui quando ela acordar. Um delegado veio conversar comigo, disse que o Guilherme e o outro que estava com ele já foram presos, eles merecem apodrecer na cadeia.

- Davi. - O médico me chama. Ele já sabia meu nome,pois havíamos conversado. Estou sozinho na cadeira quando ele me chama, olho pra ele. - Já pode ir vê-la.- Me levanto.- Me acompanhe. - Acompanho ele, e antes tenho que passar um monte de trossos pra poder ir ver ela. Mas é necessário. Entro lá e vejo ela deitada , sendo sustentada por aparelhos. Nem se mexe, está pálida e cheia de ferimentos. Que saudade.

- To com saudades amor.- Digo.- Quando vai voltar pra mim ?- Espero uma resposta, em vão.- Estamos todos com saudades, até mesmo seu pai... Ele te ama apesar de tudo. O Adam te espera, minha mãe, Luan... Sei que você é teimosa, mas me escuta pelo menos uma vez.- Seguro na mão fria dela. Ela está "sem vida". - Nossos amigos loucos... Você não sabe a falta que faz minha princesa.- Passo a mão pelo rosto dela.- Pelo menos me dá uma prova de que você esteja escutando, pelo menos isso...

Apaixonados por Acaso (EM REVISÃO)Leia esta história GRATUITAMENTE!