- Foi mal. Mas eu... A primeira coisa que eu pensei foi isso! Você está mais tranquilo que tudo! - explodi
- Claro, porque não é na sua casa que isso acontece sempre é?

Não respondi. Apenas FITEI o chão escuro do elevador.
Eu ia falar alguma coisa, mas quando levantei o olhar, Harry estava tao perto de mim que dava pra sentir o cheiro de enxaguante bucal de sua bela boca avermelhada.

- eu...
- Xiu.. - Ele falou tapando minha boca com dois dedos - Apenas..

E me encostou na parede do elevador.
E logo me beijou. Encostou seus lábios nos meus.. E ai meu deus. Que sensação maravilhosa era aquela. Parecia que estávamos descendo já. Que o elevador já havia voltado a funcionar.

Não parecia. Era o que realmente estava acontecendo. E estávamos nos beijando.
Foi quando parou no térreo que nos desvencilha os um do outro. Eu toda descabelada e ele com a boca mais vermelha ainda.

A porta se abriu e um casal de idosos entraram. Eles deram bom dia pra gente mas eu mal sabia o que falar depois daquilo.
- Ainda bem que voltou a funcionar... - ouvi a senhorinha falando.
- Esse sindico precisa ser mais responsável. - O senhor falou.

- Senhorita Forbes? Vamos.
Harry falou me puxando em direção ao seu carro.

Entramos silenciosamente. Minha boca ainda sentia o gosto de menta da boca dele. Iria falar alguma coisa mas resolvi que era melhor não falar nada. Nem ele tocou no assunto.

E ficamos feito dois idiotas sem falar nenhum pio em todo o trajeto.

Quando chegamos à minha casa, ele fez um sinal para eu esperar ele descer e então ele desceu e foi até a porta para abri-la e eu descer.

Quanto cavalheirismo, pensei. Eu saí e o observei rapidamente.
- B-bem.. Vou entrar. Quer entrar, beber algo?
- Não. Mas irei me certificar que aquele seu amigo não esteja aí.

Eu não falei nada. Nem sequer impedi. Peguei a chave da minha pequena bolsa e enfiei na fechadura. Ele me aguardava pacientemente.

Quando abri a porta de minha casa, estava o maior silêncio. Nenhum sinal de Matthew.

- Tá vendo? A barra está limpa! - Eu falei, por fim.
- Hum.. Está me expulsando senhorita Forbes?

- E-eu? Não.. É que.. Como o senhor apenas.. Esquece.

- Tudo bem. - Ele olhou pro relógio. - Devo ir agora, senhorita Forbes.
- Pode me chamar de Lauren. E mais uma vez, muito obrigada. Por tudo.

Ele deu aquele sorriso que me derrubou mesmo estando ainda na frente dele.
- Não precisa agradecer. E... Quanto ao que aconteceu no elevador.. Eu..me desculpa!

- N-não precisa se...
- Isso não vai se repetir! Não mais! Tchau Lauren.

- Tchau! - Eu falei sem graça ao vê-lo entrar no carro.

Sério isso, sociedade? A criatura me beija e depois diz que isso não iria se repetir quando o que eu mais queria era o oposto? Ou sera que eu beijo mal assim?!

Credo Lauren Forbes!

Eu Fechei a porta de casa e fui andando em direção ao meu quarto quando um papel dobrado no sofá me chamou a atenção.

Era do Matt.

Oi querida!
Queria me desculpar por ontem... sei que fui errado e tudo o mais.
E sei que deveria estar falando pessoalmente isso a você mas estou com vergonha demais para falar em sua frente.

Mas eu quero que saiba que acho melhor eu arranjar um cantinho pra mim. Ficar na mesma casa que você não vai rolar. E apesar de eu estar bêbado, aquilo tudo que falei pra você era verdade. A bebida foi apenas um incentivador pra eu te falar o que não conseguia falar sóbrio.
Me desculpa mas morar com você sem poder te tocar, sem poder te abraçar como eu quero , não .

Arranjei um AP novo. Depois te passo o endereço.
Espero que esteja bem e que aquele Engomadinho tenha tratado você bem.

Beijos
Matt

Que belo começo de semana hein, Lauren?

50 Tons de Harry Styles Leia esta história GRATUITAMENTE!