new parts in the game - 01

15K 829 634


Nota: não sei nem o que dizer, quero dizer, tenho tantas coisas a dizer e no fim, não estou dizendo nada. só quero agradecer quem está aqui, novamente, talvez pela sétima vez? não me lembro, muito obrigado por estarem me dando mais essa chance, vocês não tem a mínima noção do bem que me faz saber que existem pessoas que admiram o que eu faço aqui. eu estou melhorando e espero que notem as melhoras de transpholiar. aos novos leitores, sejam bem vindos e não se sintam intimidados pelos veteranos, apenas comentem putarias como todos fazem. eu amo vocês pra caralho e eu sabia que não ia conseguir ficar sem falar palavrão por muito tempo mas foda-se seus vagabundos. YOON AMA VOCÊS!!!! (twitter: larrydisturb)








Louis abriu os olhos e piscou contrariado com a claridade desnecessária, ele podia jurar que a cortina estava fechada mas não, lá estava ele, o maldito sol, a maldita luz do dia o acolhendo e dizendo: "Acorda, imbecil". Se esticou no lugar e prolongou um bocejo exagerado, chutando seus lençóis para fora da cama, juntamente com sua alegria de viver.

Tateou o colchão da king size procurando por seu celular e tendo um mini ataque do coração ao não encontrá-lo, soltou um suspiro aliviado ao notar que o aparelho estava em baixo de sua bunda e riu baixo.

-Maldição. - Resmungou ao notar que haviam mais de quinhentas mensagens vindas do grupo "swagay" que Stanley havia criado na noite anterior. Aquele grupo era desnecessário, mas Stan insistia na tese de que se criasse um grupo só para homossexuais, facilitaria a vida amorosa de Louis, mas o verdadeiro problema era: Louis não queria ter uma vida amorosa.

Rolou o dedo pela tela, notando que os membros do grupo estavam ativos a cerca de dez minutos atrás. 'Bom dia.', digitou contragosto. Ele deslizou para fora da cama e caminhou até o banheiro, encarou seu reflexo no espelho e tentou esboçar um sorriso, o que acabou soando patético. Escovou os dentes e lavou o rosto.
Ouviu os passos de Stanley pelo corredor da república e riu anasalado, ele sabia que era Stanley já que o rapaz andava como se estivesse dançando sapateado ao som de Pharrell Williams. Abriu seu guarda roupa a procura de algo vestível, agarrou de primeira uma de suas calças skinnies preta e uma camisa cavada cinza da banda Bring Me The Horizon. Após vestido, calçou seu vans preto sem a meia, quem precisa de meias? Louis não. Dobrou a barra da calça, sua marca registrada, e em seguida, por preguiça de pentear os cabelos, tomou sua touca vinho da cabeceira da cama.

-Estou pronto! - Cantarolou, colocando a mochila nas costas, abrindo a porta do quarto e saindo corredor a fora. - Vamos, Stan?
-Espera, bundão. - Stanley ofegou e Louis riu, indo atrás do amigo para saber o motivo de seu cansaço, até que ouviu ele sussurrar para alguém. - Acho que é a última caixa, qualquer coisa me chama, você sabe onde é o meu quarto.
-Stan? - Louis chamou, adentrando o quarto de onde vinha a voz do amigo.
-Oh, Louis! - Stanley sorriu, animado. - Eu estava ajudando o Harry a guardar as caixas de mudança dele. Você devia ter batido na porta.

Louis fitou o rapaz que estava ao lado de Stanley, ele tinha um sorriso torto nos lábios e ajeitou o óculos de aro grosso no rosto antes de cumprimentá-lo:

-Prazer, Harry Styles. - Estendeu a mão.
-Louis, Louis Tomlinson. - Louis respondeu, sem corresponder ao cumprimento corporal, ele havia achado o rapaz ridículo, era um perfeito nerd. Será que nunca entraria um jovem atraente de verdade naquela maldita república? - Agora podemos ir, Stanley? Ainda temos que passar na casa do Niall.
-Ah, sim... - Stanley corou fortemente, ele odiava quando Louis era grosso com pessoas que não faziam nada com ele além de existir. - O Harry vai conosco, não vai? Ele é calouro!
-Oh... - O garoto gaguejou, espantado e abriu seus carnudos lábios rosados, impressionado com tamanha gentileza vinda de uma pessoa só. - Não se importaria, Louis?
-Na verdad- Louis começou mas foi interrompido por Stanley.
-Na verdade o carro é meu, então vamos. - Stanley riu, puxando Harry para fora do quarto e deixando Louis para trás.

Durante todo o percurso até a universidade Louis se sentiu rejeitado, Harry havia se acomodado no banco da frente, onde sempre fora seu lugar. Stanley pediu para que ele colocasse alguma música para tocar e o rapaz cacheado conectou seu pen-drive, emitindo o som da banda The Fray, era a única coisa no calouro que havia agradado Louis até então. Quando Niall entrou no veículo o clima pesou menos e o ambiente logo foi preenchido por suas risadas sem razão, Niall assim como Stan, havia visto algo em Harry e não parava de sorrir para ele, como se ele fosse grande coisa.
O nerd provavelmente não havia penteado seus cachos e eles estavam irregulares. Vestia uma camisa xadrez de botões e uma calça preta um tanto colada, calçando um all star branco surrado. Seu óculos Ray-ban apossava-se de quase todo seu rosto delicado e o deixava com cara de otaku*, Louis odiava otakus.

'Que cara escroto.' Louis reclamou no grupo que Stanley havia criado, já que não podia recorrer a afrontas diretas.
'Quem, você?' Niall respondeu audacioso.

Louis imediatamente mostrou o dedo do meio para Niall que riu alto e enviou o áudio de sua risada para o grupo, como se Louis não estivesse ao seu lado ouvindo-a, prestes a tirar-lhe a vida.

-Louis, eu e Niall estávamos conversando... - Stanley começou, batendo os dedos suavemente no volante, esperando o sinal abrir. - Decidimos que vamos morar juntos.
-O que? - Louis agitou-se no lugar.
-É, você sabe, o Niall mora sozinho e nós somos namorados.
-E vamos poder ficar mais tempo juntos e o Stan vai poder cozinhar para mim diariamente! - Niall completou.
-Você quer um namorado ou uma diariasta? - Stanley reclamou, arrancando uma risadinha de Harry. Quem Harry pensava que era para rir como se tivesse intimidade com Stan?
-Os dois.
-Olha, eu não entendi. - Louis pausou, para raciocinar, observando o amigo procurar uma vaga no estacionamento da universidade. - Quer dizer que não vamos mais morar juntos na república?
-Exato. - Conclui Stanley, puxando a marcha.

Louis não soube que resposta dar, apenas abriu os lábios pensando em algo plausível mas nada lhe veio a mente. Murmurou baixo qualquer xingamente e bufou. Ninguém pediu por uma resposta, na verdade, Stanley apesar de ser melhor amigo do Louis, não lhe devia nenhuma satisfação e o mais velho compreendia isso. Se ele tivesse um namorado, também moraria com ele, não com um amigo. Era o certo a se fazer.

-Você e o Harry podem dividir a mensalidade da república e o quarto. - Stanley sugeriu, fazendo Louis gaguejar sem concluir nada.
-D-Dividir o quarto?
-E a mensalidade, vai sair mais barato para os dois! - Niall cantarolou. - Enquanto o Louis ainda não encontra um emprego pelo menos...
-Vão me cobrar um emprego até quando? - O rapaz reclamou, abrindo a porta do carro irritado.
-O Harry é mais novo que você e já deve ter um emprego! - Stanley alfinetou, apertando o botão do alarme ao que todos já estavam do lado de fora. - Não é, Harry?
-H-Hum... É. - Harry respondeu desajeitado e se afastou. - Até mais tarde.
-Hey, Harry! - Niall chamou. - Não quer ajuda para encontrar a turma do primeiro período?
-N-Não! - O rapaz saiu correndo apressado como se tivesse visto o bicho-papão de repente.

Stanley cutucou Louis o máximo que pôde, a fim de arrancar uma resposta. O problema era que os dois sempre faziam tudo juntos desde o maternal e Louis não estava preparado psicologimante para abrir mão do amigo e passar a conviver com um otaku em seu lugar. A verdade era que todos estavam crescendo e amadurecendo, seguindo suas vidas e Louis era deixado para trás aos poucos, só naquele momento notou o quão era um atrasado socialmente.

-Tudo bem, Stanley. - Louis suspirou, ajeitando a mochila nos ombros enquanto era seguido pelo casal por todo o estacionamento. - Não vou ficar magoado por isso, qual é? Vocês dois são namorados.
-Eu sabia que você iria entender! - Stan abraçou o amigo de lado, rindo baixinho e não notando o suspiro tristonho que ele havia soltado.

O restante do dia se seguiu com aulas tediosas e um otaku inconveniente se sentando na mesa dos veteranos no horário do almoço. Louis era bastante popular na universidade, não podia ser visto com aquele escroto sem estilo e dignidade, mas era um pedido de Stanley e pedidos de Stanley eram irrecusáveis. Louis havia prometido ao amigo que tentaria se dar bem com Harry e não ficaria zoando o mais novo, Louis não era bom com promessas mas não custava nada tentar.
Chegando a república, teve que lidar com Stan colocando suas roupas e objetos preciosos dentro de caixas de papelão que Harry havia oferecido, então era aquilo mesmo, Stanley estava deixando a república para morar com Niall e Louis arcaria com as consequências de conviver com um otaku sem vida social.

-Bem vindo ao inferno. - Louis provocou, ao que Harry adentrou o quarto que dividiriam, colocando sua mala em cima da cama que antes era de Stanley Lucas. - Vou ditar as regras.
-Hum? - Harry respondeu um tanto desinteressado, desfazendo sua mala e ignorando Louis o máximo que podia, ele não gostava de gentinha medíocre.
-Não abra minha parte do guarda roupa, não toque meus pertences, não traga garotas para cá, pra isso existe motel e se quiser se dar bem comigo, traga comida. - Louis definiu.
-Você não falou nada sobre trazer garotos, então suponho que não tenha problema... - Harry alfinetou, guardando suas calças dobradas em sua parte do guarda roupa.
-Espera, você é gay?
-O grupo 'swagay' não é apenas para gays, oras? - Harry rebateu, sentando-se na cama e rindo baixinho.
-Você então está no grupo? - Louis ofegou, deslizando o dedo na tela do celular e constatando que Harry havia entrado no grupo um pouco antes dele acordar, Stanley era rápido.
-Estou. Aliás, o único escroto aqui é você. - Harry revirou os olhos e saiu marchando para fora do quarto.

Louis se sentiu um estúpido, não teve nenhum arrependimento por chamar Harry de escroto sem ao menos conhecê-lo, ele se sentiu estúpido por permitir que um otaku sem vida social agisse como se fosse melhor que ele e tivesse algum tipo de moral. Naquele momento, definiu que o nerd teria muito o que aprender com ele, e descobriria da pior forma que quem dominava era Louis Tomlinson.



otaku: é uma expressão de origem japonesa utilizada para designar pessoas que são consideradas fãs extremistas de determinado assunto (anime, mangá no caso do Harry), esporte, programa de televisão, hobby e etc.


perguntinha: qual é o signo de vocês?


transpholiarLeia esta história GRATUITAMENTE!