Capítulo 24.

7.3K 428 12

Davi.

- Alice, com certeza, alguns homens do...

- Guilherme.- Completo.

- Isso, dele estão aqui procuran... Como você sabe o nome dele?

- Porque ele era meu amigo de infância, que gostava de mim quando éramos pequenos.- Digo andando.- A gente "Namorava".- Faço aspas com os dedos.

- Hum... - Ele parece bravo.- Alice, arruma essa blusa pelo amor de Deus.

- Porque?

- Porque eu não quero que MINHA namorada saia com um decote até a barriga pra meio mundo ver.

- Larga de ser exagerado.- gargalho.- Nem tá tanto assim, e a gente tá no meio do mato. - Escuto um barulho e me agarro no Davi. Olho pra todos os lados e só vejo o mato se mexendo. Davi me coloca atrás dele. Não, a gente não vai perguntar "Quem está aí?" Como se o assassino fosse falar : Eu vim aqui te matar, mas antes vamos comer um sanduíche?... Porque eu pensei nisso agora?

- Alice...- Ele parece assustado,assim como eu.- Quando eu falar corre , vou te puxar e você corre.- Ele diz baixinho.

- Ta.- Digo no mesmo tom. O mato se mexe fazendo um barulho enorme.

- Corre.- O Davi sai me puxando e a gente se esconde. Logo depois vemos 3 homens passando por nós.
Abraço ele ofegante, sinto o coração dele a mil. Assim como o meu, e os poucos vai se acalmando.

- To com muita sede.- Olho pra ele que ri da cara que eu faço.

- Aonde eu vou arranjar água pra você Alice?!

- Não sei.- Deito minha cabeça no ombro dele sentindo o perfume dele. Que no meio disso tudo ainda não sumiu. Ele passa a mão no meu cabelo.

- Aguenta mais um pouco bebê. Achar água aqui pode não estar no nosso caminho. Ta?! Da pra esperar? - Balanço a cabeça.

- To com saudades da minha casa.

- Logo, logo a gente vai tá lá.- Vemos os caras voltando e a gente se esconde, mas um deles veem a gente. Começamos a correr e nos escondemos. Vemos o primeiro cara passar, depois o segundo. E o último não passa.- O último não passou, então temos que correr. Correr muito.- O Davi diz, Balanço a cabeça e começamos a correr. Até que eu caio.

- Aí..- Meu pé dói muito. O Davi olha o meu pé.

- Acho que você torceu o pé...

- Percebi.

- Consegue andar?

- Não tá doendo muito.- Choro de dor. O Davi me pega no colo como se eu pesasse menos de 3 kg.

- Davi, você vai cansar muito. - Olho pra ele e ele ri.

- Alice você pesa dois quilos.- Ele anda um pouco e depois paramos. A gente se senta no chão e eu escoro minha cabeça no ombro dele. Até escutarmos outro barulho. Quantos capangas do Guilherme tem aqui?!

- Davi, to com muito medo. Não consigo correr com meu pé doendo.- Sussurro pra ele.

- Amor, vou te esconder e deixar que eles me peguem ok? Não sai de la pelo amor de Deus Alice. - AMOR?

- Amor?

- Alice você entendeu oque eu disse?

- Amor.- Balanço a cabeça e ele ri.

- É...

- Não Davi, eu vou com você. Não me larga aqui sozinha e eles não podem te pegar.

- Alice...- O barulho aumenta e o Davi me pega no colo e corre comigo até uma casa, aparentemente abandonada.

- Fica aqui.

- Não.

- Alice, fica.

- Não.

- Alice.

- Davi.

- Teimosa.

- Tosco.- A gente ri. Não me pergunte porque a gente tá rindo em uma hora dessas.

EU NÃO RESISTI,PRONTO FALEI.
Agora vcs vão ter q esperar pq só tenho esse Cap. Kkkkk mas... tá aí pessoas, beijos.

Apaixonados por Acaso (EM REVISÃO)Leia esta história GRATUITAMENTE!