capítulo um

9.5K 309 129

#Alice

Chego em casa, minha mãe para variar está no escritório trabalhando em mais algum caso em que ela vai defender. Subo para meu quarto, atiro minhas coisas na escrivaninha, pego meu diário e começo a escrever:

"Olá diário, pois é mais um dia que eu to aqui escrevendo e nada de novo aconteceu, cheguei da faculdade agora e tudo ocorreu normalmente: chato e tedioso. Pela manhã briguei novamente com a minha mãe, e como sempre foi por que falei em sair viajando pelo mundo como meu pai. Tenho tantas tarefas da faculdade para fazer, que nem posso desabafar direito com você! Vou la, quem sabe depois que terminar toda as tarefas eu volte aqui.

Beijos da incrível sonhadora Alice"

Vou até minha escrivaninha, e começo a fazer minhas tarefas da faculdade, nunca pensei que faculdade de história daria tanto trabalho. Depois de ler um artigo sobre as pirâmides do Egito e fazer uma redação sobre o mesmo fui tomar um banho para dormir.

Assim que deitei na cama lembrei do meu pai,meu pai é um historiador que viaja o mundo atrás de novos relatos ou qualquer coisa sobre a história do povo egípcio. Ok, papai é meio fanático, e por conta disso acabo vendo ele apenas uma vez ao ano, além é claro de nossas conversar pelo Skype, e no fundo eu também sou totalmente viciada nas história de meu pai, por isso eu resolvi seguir a sua carreira, o que causou uma briga gigantesca entre eu, meu pai e minha mãe, por que de acordo com minha mãe, ser historiadora não é profissão promissora.

Peguei meu celular e tentei ligar para meu pai mas ele nao atendeu, olhei no relógio e vi que eram 23:50 logo lá em Cairo era 03:50 da manhã, óbvio que papai não atenderia. Ri de mim mesma, me virei na cama e acabei dormindo, por estar muito cansada.

Acordei cedo pois hoje seria meu primeiro dia de trabalho como assistente do meu professor favorito. Podemos dizer que ele seria uma espécie de "amor platônico" meu, afinal ele era novo, lindo, simpático e inteligente, quem não se apaixonaria por ele?

Me arrumei o máximo possível dentro do ambiente que eu iria trabalhar, desci tomei café sozinha, afinal minha mãe deveria estar dormindo, pois deve ter trabalhado até tarde ontem.

Fui para faculdade e peguei um trânsito enorme, o que me estressa muito, mas mesmo assim cheguei dentro do horário. Me encaminhei a sala de Sandro,meu amor, ops meu professor. Chegando lá me deparo com uma cena perfeita, meu professor procurando algo no armário inferior da sala, detalhe, com aquela bunda linda empinada para a minha direção.

Você deve estar pensando "Nossa que menina tarada" mas não sou só eu, todas as meninas da faculdade devem ter inveja da bunda dele, de tão bonita que ela é.

Ele levantou, me viu na porta e deu aquele sorriso "molha calcinha" para mim.

- Bom dia Alice.

Saio de meu transe e volto ao mundo real

- Bom dia Professor Sandro.

- Oh Alice, aqui você pode me chamar de Sandro. Você me chamando assim me sinto um velho gagá.

Sou obrigado a rir, ele velho? Desde quando?

- Você velho? Ok vou fingir que não ouvi isso professor, ops, Sandro.

- Assim está melhor. Entra ai que tenho um trabalho pra você já senhorita Alice.

Entro me sento ao lado dele e sinto seu cheiro viciante.

- Você sabe scannear essas imagens para mim? E depois adiciona-las nos slides deste pen drive? - Me entregou um pen drive azul

- É para isso que eu estou aqui.

Um professor perfeitoLeia esta história GRATUITAMENTE!