Capítulo 9 (Parte II)- Maxwell

Start from the beginning

Tinha que estar cedo na casa do Sr. Rodrigues, ele me deu a missão de domar um cavalo selvagem, mais está dando um trabalho maior do que imaginava, se essa semana não conseguir domar este cavalo vou passar ele para o Igor e vou me preparar para o campeonato que vai ter de rodeio, quero ganhar o premio principal, e tenho que me preparar muito para ficar os 7 segundos necessários em cima do touro.

Consigo ler uma boa parte do meu livro que ganhei da minha mãe, o livro não tem nada haver com que realmente gosto de ler, mais esse livro conta a história de um casal totalmente diferente que não tem nada para dar certo. As famílias implicam muito com a relação deles, mais nenhum deles ligam, querem fazer de tudo para o relacionamento quase impossível dar certo, e agora pensando no livro quero saber realmente se o casal fica juntos no final do livro, mais não consigo descobrir já que a porta do meu quarto é aberta rapidamente e quase demonstro que levei um susto, mais fico em silencio quando vejo que é a Beth, e ela parece nervosa e vejo que seu rosto está molhado, deve ter chorado.

- Beth? – Vendo o horário algo muito ruim deve ter acontecido com Beth para ela estar aqui dentro do meu quarto desde jeito, mais a única coisa que sei é que não vou conseguir deixá-la desta maneira.

- Me empresta a chave da sua caminhonete, preciso sair daqui, respirar um ar puro, por favor? – Já tinha colocado o meu livro em cima da mesinha onde estava o meu Notebook e a encarei.

- Não posso deixar você sair nervosa desta maneira, se quiser pode me contar o que aconteceu, quem sabe não posso ajudar?

Beth ficou me encarando por alguns segundos até concordar com a cabeça e estender a sua mão onde estava o seu celular, fiquei encarando-a por um tempo sem entender nada até que ela colocou seu celular na minha mão. Tirei meus olhos do rosto de Beth e encarei o celular vendo que tinha uma mensagem ali, fiquei lendo a mensagem, palavra por palavra, linha por linha até entender o que aconteceu para ela estar chorando. Pelo o que leio nesta mensagem o ex dela mentiu para ela durante 5 anos, não se conheceram por causa de um destino, mais que tudo tinha sido planejado e que alguém estava por trás disso, e que nada do que viveram tinha sido realmente verdadeiro, tudo foi inventado, planejado e totalmente fingido, mais que ele a ama e que quer reconquistá-la. Será que ela quer isso também?

Respirei fundo desligando a tela do seu celular e encarando-a novamente, sem pensar duas vezes puxei seu corpo pequeno para ficar ao redor dos meus braços, senti quando Beth colocou sua cabeça no meu ombro e pude sentir algo molhado no meu ombro e sabia que ela estava chorando novamente. O que iria fazer agora? Se ela decidisse que iria dar uma chance para o seu ex não iria poder fazer mais nada, a não ser deixá-la partir já que ela não é minha.

- Desde o momento que vi esse homem na minha frente já sabia que ele não era uma flor que se cheirasse. Já lhe disse que você merece coisa melhor, a vida nos mostra que nem tudo o que achamos que é perfeito, é bom, esse homem que você ficou tanto tempo junto mostra isso, vocês tinham um relacionamento cheio de mentira, não sei como conseguiu viver com ele por tanto tempo.

- Não quero que sinta pena de mim, não amo mais o João, mais fico decepcionada em ver que fiz de tudo por uma pessoa, mais tudo o que vivemos foi mentira, e que nada existiu! Quero esquecer tudo isso, não quero mais pensar na mensagem, me faça esquecer Max, faça-me esquecer de tudo!

- O que você quer que eu faça? – Estava me sentindo nervoso depois de tantos anos. Ansioso em pensar que ela pediu que eu a fizesse esquecer tudo o que aconteceu. O que aconteceu com o seu ex, com a mensagem, com a sua família que não quer mais saber dela. A única coisa que passa pela minha mente é sexo, mais que merda até nessas horas fico pensando nisso.

- Quero que faça amor comigo, que me faça esquecer tudo isso que está aqui dentro do meu peito. – Fiquei encarando-a com uma surpresa, mais consegui dar o meu melhor sorriso, e puxando-a para os meus braços. Enquanto uma mão minha se prendia em sua nuca e a outra ficava apertando-a na região da cintura. Aproximando meu rosto do dela com uma pressa grande encostei os nossos lábios, e pude sentir que ela abriu sua boca dando-me permissão para continuar, e sinceramente não pensei duas vezes quando coloquei minha língua em sua boca e Beth soltou um gemido fraco, mais pude ouvir mesmo sendo tão baixinho. Afastei-me dela só para poder olhar para seus dois olhos de esmeralda e ver se ela queria mesmo que a gente continuasse, e mesmo se ela não quisesse mais, não iria ficar chateado com ela, isso acontece às vezes.

Encontros Marcados #1 (Completo)Read this story for FREE!