Olá, amores!

Espero que gostem!

Ótima leitura, A.B.

Oops! This image does not follow our content guidelines. To continue publishing, please remove it or upload a different image.

Elizabeth Moscovit

Oops! This image does not follow our content guidelines. To continue publishing, please remove it or upload a different image.

Elizabeth Moscovit

Estou sentada na varanda da casa do Sr. Gregório, como tinha prometido a ele toda a semana viria lhe fazer uma visita até porque gostava de conversar com esse pobre senhor que estava sozinho no mundo.

- Quer que eu leia alguma carta hoje? – Quando conheci o Sr. Gregório a única coisa que ele reclamava era de não conseguir mais ler as cartas que tinha da sua esposa quando eles eram ainda jovens e escreviam cartinhas um para o outro, pois eram tímidos demais para se cumprimentarem pessoalmente. Era tão lindo ver o carinho que Gregório tinha em colocar cada cartinha com o devido cuidado dentro de uma caixinha media de ferro que ele carregava consigo mesmo para onde ia, assim para ele a sua esposa que já faleceu há alguns anos sempre estaria com ele.

Nunca iria deixar de acreditar no amor, sempre acabaríamos quebrando a cara até acharmos a pessoa que realmente formasse o nosso então par perfeito, existe um par ideal para cada um neste mundão, só basta você saber procurar e não acabar se entregando de corpo e alma para qualquer um, não faça a mesma burrada que acabei tendo com o João. Não tinha pressa para amar novamente, a única coisa que queria era recomeçar a minha vida, arrumar um Emprego e ver o que faria da minha vida. Já tinha trancado a minha Faculdade de Direito que ficava no Rio de Janeiro, já que meus pais me deserdaram, e não queria mais continuar a fazer uma Faculdade que eu não escolhi, queria sim fazer Faculdade novamente, mais talvez no Exterior.

- Quero sim, leia está aqui. – Gregório sorrindo estendendo uma carta. Concordei com a cabeça sentando-me mais perto de Gregório em uma cadeira de madeira, abrindo a carta.

- 5 de Agosto de 1955. – Sorri e suspirei, estava tão sentimental nesses dias, e talvez essa carta me fizesse chorar novamente.

"Meu querido, Gregório!

Será que é normal sorrir sozinha ao me lembrar do seu lindo sorriso? É normal meus olhos brilharem a cada palavra doce que você sussurra no meu ouvido? É normal meu coração quase saltar para fora a cada vez que você se aproxima? E será que é mais normal ainda minhas pernas tremerem e as minhas palavras falharem apenas com a nossa aproximação. Sendo por você, tendo você como tema dos meus principais assuntos, não me importo de ficar conhecida como uma garota anormal então. Porque tudo isso que sinto me dá uma força maravilhosa pra eu acordar todas as manhãs com um sorriso no rosto me lembrando de você, e lembrando ainda que você está a minha espera.

Encontros Marcados #1 (Completo)Read this story for FREE!