Olá, amores!

Agora iremos conhecer a Bianca que se diz grávida do Max. Será que realmente ela está grávida dele? Será que por causa do bebê, Bianca vai afastar Beth de Max? Veremos isso nos próximos capítulos, não percam!!!

Ótima leitura, A.B.

Oops! This image does not follow our content guidelines. To continue publishing, please remove it or upload a different image.

Bianca Andrade

Oops! This image does not follow our content guidelines. To continue publishing, please remove it or upload a different image.

Bianca Andrade

Faz mais de 2 anos que conhecia Maxwell Werneck, aquele homem era desejado por qualquer mulher. Ele não precisa se arrumar ou fazer cara de bom moço, as mulheres caiam pra cima dele e eu acabei sendo uma dessas. Quando eu tinha 12 anos perdi meus pais em um acidente de ônibus, eles estavam atrás do motorista e morreram na hora. A minha mãe era uma mulher incrível, encantadora, alegre, a única parte da sua história que a deixava triste era o fato dela ter ficado em um Orfanato completamente abandonada até seus 18 anos sendo livre para as ruas.

O bom da minha mãe foi que ela não foi pro meio das drogas, pois ela com certeza poderia estar envolvida com essa coisa do mal como diziam meus pais há um tempo atrás. Minha mãe sonhava acordada e o seu maior sonho era encontrar seus verdadeiros pais, saber o que aconteceu com ela. Ela sabe que foi abandonada em um cestinho de madeira em frente ao Orfanato, que não tinha mais nenhum tipo de informação sobre sua família biológica, mais ela não cansava de procurar e ir atrás de ter a sua família completa por inteiro.

Meu pai era durão, não era de sorrir muito, mais demonstrava claramente o amor que sentia pela minha mãe. Toda semana ele dava um jeito de sair com a minha mãe de casa, iam para o parque fazer piquenique, andar de bicicleta ou até mesmo ficar deitados no quintal observando as estrelas. Era tão mágico e lindo vê-los daquele jeito tão apaixonado, mesmo passado tanto tempo eles continuavam como adolescentes. Mais tudo mudou, meus pais morreram, e a família que restava do meu pai não tinham condições de me criar e mal conseguiam se sustentar, imagina uma órfã. Quando completei 18 anos e fui liberada do Orfanato, consegui caronas pelas estradas até chegar ao meu destino que era Minas Gerais, ficava lá vendo os rodeios acontecendo, a adrenalina e o espanto de ver os peões se arriscando para ter os seus 5 minutos de fama ou simplesmente faziam isso de montarem touros, pois não tinham mais nada para trabalhar.

Encontros Marcados #1 (Completo)Read this story for FREE!