Seus olhos eram de um verde incrivelmente incríveis. Seu cabelo onduladinho e com alguns cachos e ele era mais jovem do que eu pensava. Provavelmente dois ou três anos mais velho que eu.

-Senhorita? Senhorita Sant'anna? - Ele falou, despertando-me dos devaneios.
-Oh.. não. Nao sou a senhorita Sant'anna. Ela.. ela.. ela está doente. Ela me mandou... no lugar dela.
- E qual o nome da senhorita que veio substituir a senhorita Sant'anna?
-Lauren Forbes.
-hum.. Senhorita Forbes. - Ele falou sorrindo ao mesmo tempo que meio que me avaliava.
-Bem, sente-se.

Eu sentei. Estava de frente pra ele. E ainda assim ele me parecia ser o tipo de cara que não liga muito pra aparência mas tinha uma sorte incrível, já que ficava bonito de qualquer maneira.
-Vamos começar. - em resposta, ele deu seu sorriso que me fez estremecer por dentro.
-pela jovialidade, acredito que está no ramo das empresas há pouco tempo. Correto? - Eu li a primeira pergunta que a Gih tinha anotado e mandado pra mim por email. Que alias eu nem sequer tive a decência de ler antes.

-Huh.. Correto. Comecei na verdade, quando ainda estava na faculdade. Meu pai, me ofereceu um estágio na área de administração de empresas e eu aceitei. Depois que me formei, então meu pai vendeu a mim uma boa parte das ações de nossa empresa, a Styles E. S.A

eu estava fascinada por aquele cara. ele parecia ser uns três anos mais velho que eu, mas isso não importava. Continuei a gravar.

- Como consegue lidar com todo esse império? - Eu li.
- um pouco de inteligência, habilidade e voi lá! -Ele sorriu, e então quando o olhei ele estava olhando pra mim.
Nossos olhos se encontraram e sentir meu rosto queimar.

-Huh... Próxima pergunta. - Eu falei, tentando expulsar o nervosismo. - Sua vida social é agitada, senhor Styles?
ele sorriu novamente.
- quem dera que fosse.. Mas eu pressinto que minha vida vai ficar mais divertida depois desta entrevista.
Ele olhou pra mim com aqueles imensos olhos verdes. Eu corei de novo. Droga!
Ainda faltavam duas perguntas.

-Hum... O Senhor é... Gay, Senhor Styles?
Ele me fuzilou com aqueles olhos verdes. Fiquei momentaneamente paralizada.
-Não, Senhorita Forbes. Eu não sou gay.
Ele sibilou.
-M-me desculpa... Eu.. A pergunta é.. Estava aqui... E... - Tentei me explicar pra ele.
-Tudo bem. - Ele falou friamente.
-Bom.. Ultima pergunta! Uhu! -Falei pra descontrair.
Ele ainda sorria, avaliando-me.
-você é o solteiro mais cobiçado da cidade. O que te atrai numa garota?

Ele continuou sorrindo. Só que dessa vez,um sorriso torto, que destacava suas covinhas ( amo caras com covinhas).
-Bonita, atraente, nervosinha e que goste de cupcakes. E atrapalhada também. adoro garotas atrapalhadas. Isso as fazem serem fofas.

Eu corei. Oh. Meu. Deus. Que Homem era aquele?
Eu desliguei o gravador depois de segundos e o coloquei dentro de minha bolsa.
-B-bem, espero q-que não tenha tomado muito do-do seu tempo... -Eu falei, gaguejando de tao nervosa.
Me levantei e ajeitei minha saia.
Ele olhou indiscretamente pras minhas pernas.
Ai meu deus. De novo.
-Foi um prazer. - Ele falou, olhando pra mim novamente.

Me levantei, dei um aceno e sai sem dar tchau. Estava nervosa demais para falar mais alguma coisa.

Quando cheguei na frente do prédio, começou a chover.
-Droga! Que má hora pra chover! -E comecei a correr à procura de um taxi. Mas nenhum parava. Parecia que estavam fazendo tudo aquilo de proposito.

-Precisa de uma carona?
Olhei pra trás. Lá estava ele. Aquele deuso.
-UH...
-Acho que precisa. Vem. Vamos pro carro.
Ele falou. Estávamos os dois naquela chuva toda.
Eu não protestei. Apesar de saber que era errado sair com.alguem que você não conhecia. Um completo estranho.
Mas algo me dizia que eu podia confiar nele e naqueles olhos de esmeralda apaixonantes.

-vai vir ou quer pegar um resfriado? - ele gritou.
E então, sem pestanejar eu o segui.

-E aí, onde fica a sua casa?
-Abraham Lincoln, apartamento 106. Parte mais ou menos de Seattle.
-Parte mais ou menos?
-não ricos e não pobres. Tipo classe media entende?

Ele sorriu.
-O que faz? Trabalha.. estuda..?
-Estudo. Por enquanto. Qual é, tenho 18. Só por causa da roupa estou mais velha?
-Não não.. A roupa é... Sexy até.

Ai meu deus. de novo. Isso. Socorro.
- esse trapo velho? A única roupa conveniente para uma entrevista que eeu encontrei.
Ele não falou nada.
Mas estava sorrindo.
- o que foi?
-Você.
-O que tem eu?
Ele não falou nada. Depois falou:
-Acho que chegamos.
Olhei pela janela. estávamos de frente à minha casa.
Ainda chovia um pouco, mas não tanto quanto antes.
-Obrigada pela carona.. desculpa pelo incomodo.. Ainda acho que não precisava ter me trazido...
-Já trouxe não já? Não precisa se desculpar. Eu não iria deixar uma moça andar na chuva se arriscando a pegar um resfriado.

Eu me senti corar. Mas não entendi o motivo.
-Tchau! - eu falei abrindo a porta do carro luxuoso dele. Era um Audi preto.

- tchau! - Ele falou com aquele sorriso maravilhoso dele.

Eu sorri toda boba e corri pra dentro de casa.
Por sorte, o Matt não estava. Se eu falasse a ele do Harry... Oh meu deus.. Eu nem imagino.. Eu não queria que o Matt tivesse esses sentimentos por mim..

Sentei no sofá, extasiada. Encantada.
Aquele era o cara mais lindo que eu já VI na minha vida!!!!


50 Tons de Harry Styles Leia esta história GRATUITAMENTE!