Capítulo 10 - Perrengue(Pt. 2)

1.3K 141 51

- Fala, Jack! - Clair atende o celular, eufórica.

- Clair, chegamos!

Clair soltou um gritinho fino.

- Como é ai?

- Lindo, um paraíso!

- E o quarto do hotel?

- Espetacular.

Clair soltou outro grito fino.

- Queria que estivesse aqui, loira.

- Ah, que nada, Jack, aproveite sua viajem com esse seu patrão gato.

Jack estreitou os olhos, ignorando o final do comentário sem noção da amiga e disse:

- Você nos espiou?

- Eu espiei. - Disse Clair, rindo. - E posso afirmar que seu patrão não é de se jogar fora.

Jack gargalhou.

- Olha os modos, mocinha.

Clair riu.

- O que você quer? - Disse Clair.

- Credo, amiga. - disse Jack, fazendo drama.

Ela riu.

- Estou ocupada, Jaqueline.

- Fazendo o quê?

- Comendo, né!

Jack riu.

- Clair, você ainda tem chances de conseguir um ótimo emprego de modelo, pega leve.

Clair suspirou.

- Eu sei... Mas existem modelos plus size, sabia? - Disse ela de boca cheia.

Jack riu.

- Eu sei disso, e não, você não vai me convencer a fazer isso.

Clair riu.

- Escuta, preciso que me ajude com maquiagem.

Clair mordeu seu sanduíche enorme e disse de boca cheia novamente:

- Mas eu te ensinei...

- O quê? - Disse Jack, rindo. - Engole isso.

Clair engoliu.

- Eu te ensinei. O que mais quer aprender?

- Eu sei disso, mas você não me deixou fazer sozinha.

- Ah, é mesmo. - Ela pensou um pouco. - Já sei, senta ai na frente de um espelho, pegue tudo que tiver de maquiagem e faça o que eu mandar!

Jack se sentou na frente de um enorme espelho e Clair começou a explicar passo a passo a função de cada produto como base e corretivo, ensinando coisas simples como passar rímel. Se divertiram e no fim, Jack se despediu por que precisava tomar banho e se arrumar.

No banheiro, que era maior que sua cozinha, ela encontrou uma banheira enorme e decidiu testar, nunca havia entrado em uma daquelas. Olhou no relógio e constatou que havia tempo para isso, então tirou a roupa, percebendo toalhas e um roupão ao lado da banheira. Encontrou alguns sais cheirosos, encheu a banheira e entrou, sentindo a água morna esquentar sua pele aos poucos.

Quase dormiu, se não fosse seu celular, era uma mensagem que ela nem olhou de tão assustada que ficou. Terminou o banho, colocou o roupão e foi até a janela enorme de vidro, a paisagem era tão linda que Jack poderia morar naquele lugar para sempre sem se cansar, mas voltando para a realdade, ainda não tinha condições de morar ali e, pelo visto, precisaria de um celular novo, já que o seu resolveu dar problema justo naquela momento...

Rosas de Amor para Jack (Completa)Leia esta história GRATUITAMENTE!