Olá, amores!

Parece que os pais da Beth a encontraram, vamos ver na versão dela o que realmente aconteceu?

Ótima leitura, A.B.

Oops! This image does not follow our content guidelines. To continue publishing, please remove it or upload a different image.

Elizabeth Moscovit

Oops! This image does not follow our content guidelines. To continue publishing, please remove it or upload a different image.

Elizabeth Moscovit

Fazia exatamente 3 dias que insisti muito para a Luana me ensinar a andar a cavalo, até porque como o Lucas mesmo tinha dito as pessoas por aqui andam mais a cavalo e bicicleta do que de carro, mais ele estava mesmo falando a realidade. Era tão diferente de onde morava. Sempre fui acostumada com o barulho dos carros, motos e ônibus passando por perto, e de pessoas falando alto ou gritando. Aqui era realmente um paraíso, as pessoas eram educadas, davam até bom dia, raro hoje em dia. Pessoas andando de cavalo, bicicletas, falando baixo ou sendo observador.

Sempre que chegava a noite, ficava sentada na varanda na escadinha de madeira que ali tinha, observando tudo ao redor e depois ficava encarando as estrelas. Querendo ou não ficar junto com a mesma pessoa durante tanto tempo que nem fiquei com o João dói demais, imaginar que nada do que vivemos era pura encenação. Estava com muito medo de voltar para casa, meus pais queriam que me casasse com ele de qualquer jeito, mesmo sabendo o motivo da nossa separação, eles não queriam saber.

Para eles meu relacionamento ia dar bons frutos, no caso não era os futuros herdeiros, mais sim a quantidade de dinheiro que iriam ganhar em cima desta relação, pois meu pai adorava fazer coisas com o pai do João, e ganhava muito bem com cada projeto realizado. Levantei da escada caminhando um pouco pela grama da Fazenda que estava bem iluminada com lâmpadas. Chegando ao Celeiro a primeira coisa que vejo é o Trovão com seu focinho para fora, e claro cheguei perto dele fazendo carinho nele.

- Oi, amigão, espero que amanhã você me deixe montar em você de novo. – Sorri enquanto o observava de perto. – Você não é tão difícil como Luana e Igor falaram, você é um cavalo especial, e entendo o porque Max gosta tanto de você. – Acariciei seu focinho e o deixei quietinho ali no Celeiro.

Voltando novamente para a casa da Fazenda, todos estavam reunidos na cozinha rindo e jantando, sentei-me à mesa e parecia que estava no lugar certo. Nunca tive uma coisa dessas em casa, sempre acabava almoçando ou jantando com os empregados e quando meus pais resolviam jantar comigo na mesma mesa era pra reunir as pessoas mais sucedidas e importantes para mostrar que mesmo com dinheiro éramos felizes.

Encontros Marcados #1 (Completo)Read this story for FREE!