Capítulo Trinra e Seis

159 17 1
                                                  

Melissa.

- Resolveu vir passar as férias aqui ? - pergunta Daniel ainda segurando minha mão.

Ele não tinha mais aquele olhar de arrepiar e eles não transmitia medo mas, mesmo assim eu temia.

- É ... - afasto minha mão da dele e continuo - Sim, vim com uns amigos.

- Gostando ? - pergunta ele entregando o meu All star.

- Hm ... sim, é bem legal aqui. To curtindo bastante.

Daniel estava bem arrumado, acho que estava descendo para tal festa.

- Você ta indo pra festa também ?

- Bom ... acho que você sabe muito bem que eu e não curto muito isso.

- Ah é mesmo, me esqueci desse detalhe.

- Bom, foi legal te ver de novo. - digo me distanciando dele.

- Espera - diz ele segurando meu braço que logo solta ao ver que eu encarava sua mão - Você me tratou tão bem ... você me perdoou de verdade ?

Suspiro e o encaro.

- Daniel, eu nunca guardei rancor de ninguém e não guardarei de você, mesmo por tudo que vc me fez.

- Acho muito gentil de sua parte.

- Grata.

- E mais uma vez, me desculpe. - diz ele em um tom agradável e um sorriso simpático.

- Relaxa. Isso já passou. - dito isso, passo o cartão entre a porta e logo entro no quarto.

...

Às duas da madrugada.

Felippe ainda não havia subido para o quarto, talvez resolveu dar uma visitinha para o Casal.

...

Às quatro da manhã.

Um barulho fez com que me acordasse assustada. Me sento na cama e encaro a porta. Ela devagar é aberta e um risinho de mulher preenche o silêncio que estava no quarto.

- Shiiu, ela esta dormindo. Não queremos que ela veja nada. Vamos pro banheiro - disse a garota.

Rapidamente me deito fingindo esta dormindo e um Felippe todo bêbado e fora de si entra no quarto tropeçando nos móveis com a ajuda da tal garota que fala inglês.

- Luana - então esse era o nome dela - Olha só como a Esmeralda dormi tão bonita. Parece uma anja - diz ele acariciando meu rosto, ele estava tão próximo que pude senti o cheiro do álcool em sua boca que tive que segurar o vômito.

- Deixe ela dormi, vamos para o banheiro. Quero te mostar uma coisa.

- Hm ... o que você quer me mostar ?

- Você só ira saber se vier comigo - disse ela com a voz totalmente maliciosa.

Felippe da um risinho e escuto o barulho da porta ser fechada.

*=*=*=*

Acordo sentindo um incomodo enorme com a luz do sol no meu rosto e com o frio do ar condicionado. Estava tudo normal, não havia nada desarrumado.

Tudo aquilo só podia ser uma vaga lembrança ou apenas um sonho inútil.

Felippe não estava na cama, talvez tenha ido tomar café mais cedo. Eram exatamente dez da manhã.

Me levanto da cama e me olho no espelho, meu cabelo até que não estava tão bagunçado. Desligo o ar condicionado e vou ate o banheiro.

E ai, então, que descubro que aquilo não era uma lembrança nem mesmo um inútil sonho. Era a realidade.

Estava Felippe e Luana deitados na banheira, ambos estavam dormindo. Laura com os seis do lado de fora mas com as roupas da parte baixo. Felippe estava com a mesma roupa do dia anterior.

Não queria nem saber o que teria acontecido ali enquanto ela adormecia.

- Que pela vista logo de manhã. - digo.

A garota acorda assustada procurando ao para cobrir seus seios fartos.

- Não se preocupe. Já estou indo.

- Cara, minha cabeça ta doendo muito. - diz Felippe levantando. - O que rolou aqui? Porque to dormindo na banheira.

- Pergunta pra sua amiguinha - digo e ele se assusta ao me ver.

- A caramba. A bebida. O comprimido. Você colocou drogas na minha bebida - diz Felippe se levantando mas logo se senta na banheira devido a dor de cabeça.

- Aquilo só é um comprimido, coloquei só para você se animar um pouco. - responde a garota.

- O que diabos você ta fazendo sem a blusa?

- Acho que vocês tem muito o que conversar. E eu não to afim de fazer parte dessa conversa.

- Esmeralda espera. - ele segura minha mão e então olha para o nada - merda! Me lembrei de tudo.

- Bom pra você né - digo puxando meu braço.

- Ta nervossinha porque ? O quarto é meu - diz ele grosseiro.

- Opa, opa. O quarto também é meu! Ou o álcool subiu no seu celebro deixando você com uma amnesia profunda ? - digo cruzando os braços.

- Por isso, tanto você e eu temos direito no quarto.

- Isso mesmo. Temos direitos. Mas agora chegar bêbado no quatro arrastando tudo por esta totalmente fora de si e transar com uma garota no banheiro ? Acha mesmo que isso é um direito seu ?

Ele fica em silêncio me observando. Seu rosto demostrava raiva mas arrependimento.

- Você gostaria que eu fizesse isso, enquanto você estivesse dormindo ? Acho que não.

- Bom ... o quarto é mais meu do que seu. Pelo simples fato de ter dado mais dinheiro que você.

- Ta bom senhor sabe tudo. O quarto é seu! Feliz agora?

Me Afasto dele e volto para o banheiro.

- Ô garota. Vaza daqui. - digo apontando pra porta.

- Não, Luana. Fica ai mesmo. Fica aonde você quiser. O quarto é meu, como a Melissa mesma disse, então você é minha convidada. Pode ficar a vontade. - disse ele entrando no banheiro e ajudando a Luana a se levantar do chão.

A garota me olha e sorri de lado totalmente vitoriosa.

- Enquanto você Melissa - diz Felippe se virando para mim - Poderia nos dar licença ? Eu e a Luana temos muito o que conversar - ele beija a garota pelo pescoço e a garota me fuzila com os olhos.

- Okay, vou deixa os dois em paz.


Lembranças de Você.Onde as histórias ganham vida. Descobre agora