Capítulo Quinze

23.8K 1.9K 232

Olá, Princesas roqueiras! Ufaaa! cap. 15 quentinho, amores! Espero que gostem.

Dedico às princesas que fizeram niver nessa semana, Ellen Corghi, Alice Guerreiro e Sivoneide Euclides! Parabéns, minhas lindas! Muitas felicidades.


Vai para todas vcs, meninas lindas, babies do Stone e banda! rss


Boa leitura e muitas bjokas!!


Lani


CAPÍTULO QUINZE

Liam

Eu sinto que Chris está tramando algo. A última conversa que tivemos me deixou em alerta máximo. Ele está vindo para o Rock in Rio. Nada bom pode vim disso. Ele é esperto, já deve ter percebido que não estou exatamente rezando na sua bíblia. Fiz o que Elijah havia me aconselhado na noite em que Selena chegou e fui obrigado a mentir para a Mel. Nossos advogados conseguiram a lista das pessoas naquela fatídica festa há seis meses, mas as conversas até agora não tem revelado muita coisa além do fato de que eu estava bêbado como um gambá. O que, aliás, ainda me intriga. Eu nunca fui de beber para perder a noção da realidade e nunca usei drogas. Ok, fumei maconha algumas vezes, mas isso me mantinha ligado, não louco a ponto de fazer aquilo... Eu e Paul sempre fomos os mais centrados da banda. Sempre fomos nós a chamar os caras para manter suas bundas sóbrias quando algo estava ultrapassando os limites. A suspeita de que o Hart tenha de fato me armado uma cilada está cada vez mais se entranhando em mim. Ele sabia que nos perderia num futuro bem próximo e sim, pode ter armado para me ferrar. Eu preciso me antecipar à ele. Minha virada no jogo começa hoje.

_ Ei, Stone? _ Collin me tira da minha introspecção. _ veja se não canta abaixo do tom hoje, idiota! _ ele provoca.

Estamos em Porto Alegre, no Centro de Eventos da Fiergs[1]. Daqui do camarim dá para ouvir a euforia lá fora. Um riso se espalha na minha boca antecipando a sensação de estar no palco em breve. Dessa vez em meu país e com meus irmãos de banda. Mas isso não me impede de provocar o bastardo de volta.

_ Vai se foder, imbecil! _ retruco. _ espero não ter que abrir testes para um novo baixista. _ ele me oferece o dedo do meio. Eu gargalho, tomando um gole da minha cerveja. Meu olhar cai no extremo da sala, onde Elijah está encurralado contra a parede e a cadela da Nat está sussurrando algo em seu ouvido, enquanto apalpa seu pau sobre o jeans. Ele parece entediado, seus olhos presos no teto. Por que ele não dá logo o fora nessa vadia, porra?

_ Ele tem tentado, mas a cadela se enfia na cama dele todas as malditas noites, irmão. _ Paul responde a minha pergunta silenciosa, me fazendo olhá-lo.

_ Verdade, vamos dar esse crédito ao nosso homem. _ Sean zomba, tirando uma longa tragada do seu cigarro. _ afinal, ele é só um cara. Caras não dispensam bocetas, Stone. _ ri malicioso. _ não uma tão gostosa, pelo menos.

Bufo, rolando os olhos. A névoa de fumaça é densa na sala. Eu não estou fumando, no entanto. Estou me coçando para tirar umas tragadas para amenizar a ansiedade, mas ainda tenho esperanças de que ela chegue a qualquer momento e não quero que sinta bafo de cinzeiro quando beijar sua boquinha linda. Estamos na porra da tensão sexual outra vez. Depois da nossa tarde roubada há dois dias, não nos tocamos mais. É muito arriscado ir até ela. Não posso colocá-la sob o radar da imprensa, não mais do que já está. Os fãs da Selena tem se tornado inconvenientes e muito hostis nas redes sociais. Ontem ofenderam a Mel com nomes como prostituta, vadia, vagabunda, destruidora de lares. Como se a Mel fosse a intrusa. Como se eu fosse casado com a porra da Selena. Ela é única a merecer esses nomes.

Incontrolável (degustação)Leia esta história GRATUITAMENTE!