Capítulo Treze

26.3K 2K 246

Olá, princesas, babies do Stone! Cap. 13 saindo!!! Espero q gostem, amores.


Dedico às lindas princesas que fizeram níver nessa semana, Juliana Cardoso Fiori, Aline Delfino, Talitta Silfer e Lilian Straub. Muitas felicidades, minhas lindas. Que Deus encha suas vidas de bênçãos sempre! Bjokas!


E, claro para todas vcs, princesas roqueiras! Boa leitura!


Lani


CAPÍTULO TREZE

Liam

Desço os degraus devagar. Porra, minha cabeça tá me matando. Parece que Paul e sua bateria estão fazendo um maldito solo aqui dentro. Eu não devia ter bebido aquela garrafa de Jack. Cacete! Eu não devia ter feito tanta merda, mas agora estou aqui, completamente fodido e tendo que seguir com essa encenação do caralho. Acordar sem a Mel na cama, sem seu corpo macio, cheiroso, gostoso aninhado ao meu foi um soco no estômago. Tive que me segurar para não ligar para ela. Precisamos conversar, mas não pode ser por telefone. Ouço vozes na cozinha quando passo pela sala. O som está ligado. Maroon 5 no último volume, fazendo minha cabeça latejar mais.

Era só o que me faltava, ouvir o Levine nessa manhã de merda! Estaco ao entrar na cozinha. Meu corpo inteiro treme com a visão dela linda e fresca numa conversa animada com os caras. Eu pensei que a veria tão miserável quanto eu. Na verdade, tive esperanças de que não fosse aparecer hoje e com certeza não tão cedo, porra! Meus olhos deslizam por toda ela, ávidos. Está de pé, levemente inclinada sobre o balcão. Sua bunda perfeita bem delineada pela saia risca de giz. Minha bermuda acaba de ficar insuportavelmente apertada. Meu pau pressionando o zíper. Me ajusto, suprimindo um gemido. Ela vira a cabeça e seu olhar encontra o meu por cima do ombro. Ok, eu devo ter gemido.

Isso vai ser mais difícil do que quando eu apenas a cobiçava anos atrás. É claro que vai. Agora eu sei exatamente o que estou perdendo. Nossos olhares se prendem por alguns instantes. Os olhos amendoados se iluminam a princípio, mas depois vão ficando nublados, magoados e ela volta a olhar os caras. Meu peito aperta e me forço a entrar no recinto.

_ Bom dia. _ digo baixinho, indo até o freezer, pegando um suco de laranja.

_ Bom dia. _ sua voz é baixa também. Me encosto no freezer tomando um grande gole da bebida refrescante. Ela se senta em um dos bancos, sua postura rígida. Meus olhos a bebem como se tivesse muito tempo que não a vejo, tornando difícil para eu articular quaisquer outras palavras. Posso ver sua determinação clara em não me olhar, mesmo sabendo que estou bem na sua frente. É, eu sou um bastardo egoísta de merda! E estou morrendo por um beijo dela. Os caras rosnam um cumprimento. Ah, ótimo. Estão todos contra mim?

Obrigado. Muito obrigado, parceiros.

_ Então, baby. _ Collin diz num tom abertamente provocador e eu o encaro à espera do que sairá da sua boca. _ ainda não me respondeu.

Quê? Que porra é essa? Eu enfio a garrafa na boca de novo para me impedir de mandar esse filho da puta ir se foder. Ele me dá um sorriso zombeteiro. O idiota está fazendo de propósito. A ideia de levá-lo às zonas mais violentas da cidade e deixa-lo lá sozinho me parece bem atraente.

_ Vou adorar. _ Mel responde com um risinho meio forçado. _ podemos marcar ainda nessa semana.

Do que estão falando, caralho? Quero perguntar, mas eles estão me ignorando ridiculamente.

_ Perfeito! _ Elijah exclama, seu tom muito alto. Imbecil traidor. _ e você pode levar Sara. Por que ela me detesta tanto? _ bufa.

Mel gargalha e eu me vejo apreciando esse som. Um ciúme louco me invade porque não fui eu quem a fez sorrir assim. Cacete! Não vou aguentar isso.

Incontrolável (degustação)Leia esta história GRATUITAMENTE!