Juliet Davis

30K 1K 46

Chicago, 2014


Eu estava em uma mesa de jogos de um luxuoso hotel, rodeada por coroas de aproximadamente o dobro, ou até o triplo da minha idade.Eu poderia ser filha deles, ou até neta. O jogo estava indo bem, para o meu lado,claro. Eu sabia que eu poderia ganhar deles naquele momento, com as cartas que tinha em minhas mãos,mas eu preferi deixar o jogo ficar mais excitante, e não parecer que minha vitória tinha sido tão fácil. Estava louca para arrancar cada centavo desses velhotes, mas não podia ter muita pressa. Eu bebi um pouco de uísque enquanto esperava o velho a minha direita fazer sua jogada, tão lento, ele analisava cada uma de suas cartas e refletia, refletia,refletia,obviamente não sabia jogar. Obviamente eu levaria todo o seu dinheiro.


Quando ele finalmente resolveu largar uma carta na mesa,e eu analisei rapidamente e decidi fazer a minha jogada,senti uma grande mão puxando-me com força pelo braço e me tirando da mesa. Me puxou com força e rapidez, e as pessoas a minha volta olhavam espantadas, que vergonha. Fui levada direto para dentro de um elevador, que aparentemente já esperava por mim e pelo maldito que estava me puxando. Ele pediu estupidamente para o ascensorista sair de lá, e apertou o botão para as portas fecharem, ou melhor, ele socou o botão.


E então eu tive a oportunidade de vê-lo. Depois de sete meses. Ele estava mais lindo do que estava quando eu o conheci, se isso é possível. Ele me olhou com raiva nos olhos, ele estava furioso. Claro que estava, ele sempre estava. Ele apertou o botão da cobertura,e eu me atrevi a apertar o botão de alguns andares abaixo, onde o meu quarto ficava. Mas ele agarrou minha mão com força e a afastou.


''Não me faça tomá-la aqui e agora.'' Ele disse. Eu me arrepiei e recuei. Não podia nada ao lado desse homem.


Depois de alguns segundos chegamos na cobertura e ele me puxou para fora, me levou com pressa para o fim do corredor, onde ficava seu quarto, ou melhor,sua suíte presidencial. Ao chegarmos em sua porta,ele passou o cartão, abriu a porta, e me fez entrar no quarto.


''Damien...'' Disse,com raiva. Eu estava louca para xingá-lo,só Deus sabe o quanto de dinheiro eu tinha acabado de perder naquela mesa. Eu poderia pagar meu apartamento. Comprar um carro.


''Ficou maluca?'' Ele disse. ''Você...e seu vício.'' Disse com nojo. ''Isso não é saudável.''


''Maluca? O único maluco que tem aqui é você! Você arruinou minha noite. Eu acabei de perder a maior grana,você me paga!'' Gritei.


''Deixe de ser idiota,Juliet. Isso,esses jogos,não te levam a nada. NADA! Você precisa de um emprego de verdade.'' Ele gritou. Eu me virei de costas para ele,eu odeio,odeio ele! Não aguento olhar em seus olhos por muito tempo,porque eles me fazem mal,mexem comigo,de um jeito que eu nunca vi antes.

''Pelo amor de Deus. Só me..deixa sair daqui!'' Eu gritei. ''Eu não aguento mais ouvir a sua voz.'' Eu ouvi os passos dele em direção a porta e sua risada,e me virei rápido. ''Se você não me deixar sair,se você me trancar,eu conto tudo para a Claire!'' Eu disse,tentando ao máximo não parecer nervosa.


''Pode contar,doce Juliet, pode contar. Ela não vai acreditar em você,ela sabe que eu não me meto com gente desse tipo.''


Eu me virei e andei até a cama,sentando-me. Controlei minha raiva para não sair batendo nele.

Estranha ObsessãoLeia esta história GRATUITAMENTE!