Prazer sou Adele!

11.3K 596 9

Adoro meu corpo, sou gordinha e me amo!
Meu nome é Adele Haik, tenho 25 anos, uma profissão que amo sou Psicológa, além de ser muito conhecida em minha cidade, já publiquei alguns livros e tenho uma ótima estabilidade financeira.
Nasci em Baltimore na Irlanda, meu pai é irlandês e minha mãe brasileira. Minha avó deu uma passagem para minha mãe ir para Irlanda, afinal ela é escritora, e como os maiores clássicos foram de escritores Irlandeses (na opinião de minha mãe), ela resolveu se inspirar e criar histórias do outro lado do mundo. Seu escritor favorito é John Banville e o livro que ela sempre me recomendou a Ler era O mar. Claro que nunca li, nunca me interessei.
Ela viajou para um País que não conhecia para encontrar inspiração, que lindo! Ficou por lá quase dois anos trabalhando em uma editora, onde apenas revisava livros que seriam publicados. Em seu terceiro ano de estadia conheceu meu pai, como ela o descreve:
_ Era um belo fear (homem em Irlandês), alto, forte, loiro, olhos cor de avelãs, boêmio e incrível, cantava nas noites apenas para encantar as pessoas.
E modéstia a parte as fotos comprovam o quão maravilhoso era meu pai, já minha mãe rsrs baixinha, cabelos pretos olhos verdes, com seios fartos, corpo de violão, e uma bunda de dar inveja em siliconadas por aí.
Eles se apaixonaram e eu fui feita com muito amor e carinho!
Prefiro pular as partes pecaminosas onde fui preparada com uma sementinha. É horrível imaginar que minha mãe também faz sexo!

Quando tinha 3 anos meus pais vieram ao Brasil, claro que meu pai se apaixonou pelo Samba carioca e não quis voltar. Apesar de morar aqui a quase 25 anos ele não perdeu o sotaque, é hilário o ver cantando ritmos exóticos da Barra rsrs.
Sempre estudei em casa e aos 5 anos já sabia escrever palavras e somar coisas simples. Minha mãe começou a lecionar em um colégio da Barra no Rio de Janeiro e meu pai se matriculou em uma escola para musicistas. Era espetacular acordar com um som suave do piano, é claro que terei de ir para a escola, no Brasil somos obrigados a ter registro na secretária da educação, o que não serve lá de muita coisa, já que a educação neste país é de péssima qualidade.
Como minha mãe é Professora, tenho direito a uma bolsa integral, então fui matriculada em uma escola particular muito conceituada, onde só estudam os "granfinos" podemos assim dizer. Mais como diz o autor favorito da minha mãe:
_ "O que é o dinheiro, afinal de contas? Quase nada, quando você tem o suficiente."
Lembro-me perfeitamente do meu primeiro dia...
Era um dia muito quente, quase 35 graus, e lá estava eu toda arrumadinha para ir a escola.
Meu primeiro ano foi ótimo, já sabia escrever e ler muitas palavras e por isso sempre ajudava meus amigos. Muitos me chamavam para tomar lanche junto, e para estudar em suas casas. Como sempre tinha aulas com a Dona Gisele em casa estava sempre adiantada e todos me queriam como amiga. No sexto ano as coisas começaram a mudar, percebi que minhas amigas, assim por dizer tinham vergonha de estar comigo. Os corpos mudaram, os assuntos e tudo
...
Eu já não gostava de ficar ao lado delas, então os meninos foram uma ótima companhia, adorava futebol, e carros, e rir daquelas meninas bobocas que se achavam.
Era realmente muito feliz!
Durante a oitava série me apaixonei por meu melhor amigo, ele estudou comigo desde o primeiro ano, mais aquela bendita paixão me fez mudar.
Arrumar o cabelo a esta altura do campeonato era fundamental para ganhar a paquera.
Estava sentada em um banquinho no pátio, ele me olhou, sorriu e se aproximou.
_ Oi Adele, preciso te contar uma coisa, está acontecendo desde o ano passado...
Logo pensei que ele estaria apaixonado por mim, e me surpreendi com o restante da frase.
_ Estou apaixonado pela Laura!
_ Não acredito que você, senhor Pedro se apaixonou pela nojenta.
Ele levantou e nunca mais falou comigo... Eles namoraram até o terceiro ano do colegial, eram da minha sala, e por isso tinha de ver aquela melação dos infernos todos os dias.
_ Oi Adele!
Oras, era o Pedro falando comigo? É isso mesmo?
_ Oi Pedro!
_ Você se lembra do meu nome?
_ Claro, se você não sabe sou representante da turma e tenho de saber todos os nomes.
Não daria o braço a torcer, meu coração gritava: Claro seu imbecil, eu te amava, era sua melhor amiga e você me deixou por uma vadia qualquer que pega seu melhor amigo na quadra quando você falta!
_ Posso me sentar com você? Ele disse com os olhos tristes que dava dó.
_ Pode sim!
_ Sabe Adele, eu errei em ter me afastado de você, éramos melhores amigos... Me desculpe, me afastei pois a Laura me pediu, e como amava ela...
_ Amava? Meu coração deu um salto, e um mortal para trás.
_ Sim, estive doente e não vim a escola, e o João me contou que a viu com o Victor na quadra. Depois fiquei sabendo que acontecia a muito tempo! E na sexta feira cheguei atrasado e os vi indo para a quadra e os segui, e eles estavam lá, na segunda base, se é que você me intende?
_ Não, nem quero! Mais entendo de coração partido.
A professora de Física entrou e começou a marcar as datas de entrega dos trabalhos, provas e matérias. Isso seria necessário entregar para entrar de férias.
O sino tocou e acabou a aula, teríamos cerca de 2 horas de intervalo e depois voltaríamos a aula de História, neste tempo muitos iam para casa, e eu ia para biblioteca.
Passei no refeitório comi um lanche leve e fui para biblioteca, era um paraíso com cheiro de couro e papel velhos, peguei um livro que deixava separado com a bibliotecária e me sentei em uma mesa lá no fundo, onde não podia ver ninguém.
_ Posso me sentar com você? Disse uma voz familiar.
Era a Laura, o que ela queria comigo? Não devo deixar, eu odeio ela. E a educação que minha mãe me deu?
_Claro! Senta aí...
Nem me preocupei em tirar minha mochila da cadeira para que ela sentar.
Ela colocou minha mochila no chão e sentou ao meu lado.
_ Sabe Adele, você é muito inteligente e eu gosto muito de você, por isso terminei com o Pedro. Ele deve ficar com você!
_ Sério? E você descobriu isso depois de quase 4 anos? Por acaso você se perguntou se eu quero ele?
_ Nossa que grossa! Você vai fazer meu trabalho de matemática, se não conto pra todos que você ainda é BV (boca virgem).
_Ok, eu faço e também o de História!
_ Ótimo, você é mais esperta do que imaginei!
Ela levantou e saiu, continuei meu livro, o sino tocou indicando o final do intervalo, passou a aula de história e fomos para a aula de português, a professora era minha mãe, perfeito não é mesmo?
Claro que não, ela sabia de tudo, e me tratava como os outros alunos, somente o GUI sabia que ela era minha mãe.
O Gui se tornou meu melhor amigo depois que o Pedro foi pro lado escuro da vida, e ele odeia o Pedro.
Ele sentou do meu lado, e fizemos a atividade juntos, podia notar o olhar de ódio do Pedro ao nos olhar.
No final da aula era hora de ir para casa, minha mãe estava e sua mesa e me aproximei depois que todos saíram.
_ Gi, posso conversar um pouquinho?
_ Claro Adele!
Verifiquei que todos foram embora realmente...
_ Sabe mãe, a Laura me ameaçou!
_ Como assim Adele?
_ Estava na biblioteca no intervalo e ela foi lá dizer que se eu não fizer o trabalho de matemática dela, ela vai espalhar pra todos que nunca beijei!
_ E o que você disse filha?
_ Disse que tudo bem e que faria o de história também, mais na verdade eu não vou fazer.
_ Isso mesmo filha! Nunca ter beijado não é vergonha, é sinônimo de que você não achou alguém que te merece!
_ Obrigada mamãe, vou para a aula de natação e quando chegar em casa a gente se fala.
O Gui apareceu na porta e disse:
_ Já terminou de implorar por um ponto na média? Podemos ir para nossa aula de natação?
Sorri para minha mãe que retribuiu meu sorriso e fui em direção a porta.
No caminho contei ao Gui tudo o que aconteceu.
_ Sabe Adele, você devia fazer, mais tudo errado e ela passar vergonha!
_ Ah Gui prefiro deixar quieto.
_ Ok! Ele foi para o vestiário masculino e eu para o feminino.
Quando sai o Gui já estava na piscina, nunca vi alguém amar água como ele.
Eu amava as segundas, quartas e sextas pois fazíamos natação juntos.
O Pedro se aproximou mais e mais, e o Gui foi se afastando na escola.
O dia da entrega dos trabalhos chegou, me levantei e disse em alto e bom som:
_ Sabe profesora Vânia, eu amo estudar, adoro matemática...
Ela me olhava assustada e todos da sala também. Continuei...
_ Mais tem algumas pessoas que acham que sou boba e que adoram levar vantagens sobre os outros. Pois bem tem uma aluna que não vai entregar o trabalho hoje, pois ela acha que eu fiz pra ela. Acredita que ela foi até a biblioteca um dia desses dizer que se eu não fizesse o trabalho dela, ela contaria a todos que nunca beijei? Mais a verdade é qur beijo todos os dias. Beijo meu pai e minha mãe ao acordar, beijo a bochecha do Gui só pra ve-lo corar, beijo- a sempre que te encontro no corredor e a todos os outros professores. E se nunca beijei na boca, foi porquê todas as bocas da escola passaram pela dela antes!
Me sentei e ela começou a chorar e saiu da sala correndo, todos, todos mesmo até as amigas dela me aplaudiram de pé, aquilo era incrível. Humilhei uma pessoa que me humilhou muitos anos! Mais no fundo me senti mal.

Todos devem achar que no fim fiquei com o Pedro, mais na verdade meu primeiro beijo foi na formatura, mais especificamente no baile com o Gui
...
Foi o melhor beijo da minha vida, até por que foi o único...

Gordinha SexyLeia esta história GRATUITAMENTE!