Chego no hotel, Uol  muito grande todo branco com janelas extramente grandes azuis com uma entrada unica logo na entrada um tapete vermelho várias poltronas vermelhas e brancas no lado direito e esquerdo do hotel _Olho pra tudo aquilo maravilhada com o que vejo nunca fui em um lugar tão chique fico vermelha como um pimentão e por um momento sinto vergonha do vestido vermelho que escolhi hoje e que considero o melhor do meu guarda-roupa .

Sigo ate a Recepção, e pego o papel que contem o número do quarto que minha tia deixou a notado.

- Olá Eu vim a pedido de do Senhor do quarto 612 (...) Ai me lembro que não perguntei o nome dele a minha tia que vergonha, sinto minhas mãos tremer.

- Vou ligar pra poder ver se a senhora já pode subir só um minuto.

- Claro Eu aguardo!
Aguardo pelo menos uns 5 minutos mais que demora, francamente.

A moça e muito bonita seu rosto tem tanta maquiagem e usa uma blusa vermelha e no seu crachá esta escrito Silmara ela fala no telefone que tem uma senhorita perguntando se pode subir,fico pensando se ela sabe que eu só uma prostituta e de repente me sinto desconfortável com o pensamento.

- A senhora já pode subir. _ E no último andar na cobertura pode pegar o elevador no final desse corredor.
Pego o elevador .

Chego a porta e respiro fundo, já se passaram dois minutos e eu estou sem coragem de bater na porta.

Mas assim a porta se abre e revela o homem mais lindo que já vi seus cabelos lisos esta jogado pra trás e molhado como se tivesse acabado de sair do banho sua barba perfeitamente no lugar e um sorriso apertado sem mostrar o dentes o deixa o com cara de homem levado. Seus olhos verdes tão perfeitos como um diamante o céus sera que e ele mesmo ?

Não consigo me mover e nem respira ele esta olhando tão intensamente que com apenas o olhar sinto minhas pernas bambas .

- Olá, Você deve ser Rubi ?
Me chamo Lorenzo e um prazer conhece-lá.

- Sim. _ respiro - O Prazer e todo meu Lorenzo.

- Entre fique a vontade Rubi.

Quando entro me deparo com uma linda sala com sofás brancos e uma mesa de centro , com grandes quadros e ao meu ver são feios demais, um lindo lustre pendurado no teto e um frigobar no canto e vários outros enfeites .

-São de michelangelo.

Minha atenção que estava nos quadros volta pra ele , que esta de costas pra mim servindo de se de algo.

- O que ?

- Os quadros Rubi. _vira se pra mim e sorri me entregando uma taça que suponho que esteja com champanhe, nunca tinha tomado champanhe .

-Hum,são feios demais desculpa.

Sua gargalhada e alta e um som tão gostoso de se ouvir para o copo ao caminho da minha boca para apreciar a vista que por sinal e uma boa vista, meu deus se não para de olha-lo vou acabar babando em sua frente.

Viro de costas para ele por sentir minhas bochechas queimando ,de vergonha.

- O que houve Rubi ?

Sua voz esta menor do que antes gosto como pronuncia meu nome e como se pedisse algo como se fosse uma suplica bebo todo o champanhe que esta no copo, como se isso fosse me dar coragem para me deitar com esse homem, Passo por ele e deixo o copo em cima da mesa de centro , fico de costa pra ele pra ter coragem de tocar no assunto talvez esteja mais ansiosa que ele.

- Senhor Lorenzo, porque quando diz meu nome e como se fosse uma súplica ou uma promessa . Quando vou me virar já estou encosta na parede! As mãos dele impede que Eu me mova.

Ele sorri e deposita beijos no meu pescoço, sinto uma mordida e seu ar quente, gemo sem nenhum pudor.

- Porque realmente Rubi e uma súplica e uma promessa, seus olhos estão vidrados nos meus.
Eu perdi todo meu chão, meu coração Vai sai pela boca.

RubiLeia esta história GRATUITAMENTE!