CAPÍTULO VINTE E CINCO

16.4K 1.5K 138

Abri a boca. E não soube o que falar. Eu esperava estar entendendo o início daquele discurso de forma torta, porque imaginar que talvez Nico estivesse abrindo mão de mim era uma ideia demasiado dolorosa. Meus olhos se voltaram para ele com uma cautela preocupante e eu precisava encontrar palavras para expressar a minha confusão. Obviamente as palavras que encontrei não eram grande coisa.

− O que... − as palavras pareciam estar sendo arrancadas de mim. − Você... Está querendo dizer?

− Parece que o Noah está gostando de você − ele disse e eu apenas assenti. Minutos antes eu teria achado graça da ideia, mas agora não havia como negar. − Eu já tinha percebido isso, mas depois do que vi lá dentro tive a confirmação − abri a boca para tentar argumentar, mas rapidamente ele me cortou. − Sei que é uma situação delicada para você, Nina... Você não devia estar no meio dessa confusão. Mas ao mesmo tempo, quero pedir para que você não magoe o Noah. E quando eu digo para não magoá-lo, não estou insinuando que vocês devam ficar juntos − aquilo foi um alívio. Alívio ainda maior foi vê-lo se aproximar de mim. O iceberg de confusão que se instalara em mim começava a derreter.

− Você é minha. Somente minha. E eu não tenho intenção nenhuma de dividi-la com mais ninguém.

− Então... O que exatamente você espera de mim? − perguntei com a voz embargada.

− Eu espero que você não mude com o meu irmão... Que continue encarando-o da mesma forma e que tenha paciência. Ele é muito novo e tenho certeza que está confundindo admiração com algo mais. E isso é compreensível, afinal, que homem em são consciência não a admiraria? − minhas bochechas queimaram e o seu braço extremamente acolhedor envolveu a minha cintura, puxando-me em sua direção. − Meu irmão nunca encontrou alguém que o encarasse dessa forma... Apenas como Noah. Ele teve duas namoradas. Uma delas não sabia que ele era trans, e quando soube, o abandonou. A outra era uma garota que basicamente só namorava caras trans... E no fundo eu sei que ele só quer encontrar o meio termo dessa história. E você faz isso, Nina. Você o enxerga além dos rótulos que a sociedade impõe. E para mim, é exatamente por isso que ele acredita gostar de você... De outro jeito.

− Então você não está bravo? − perguntei com um beicinho. − Não vai gritar comigo ou bater no seu irmão?

− Por quê? − ele perguntou com uma sobrancelha erguida na minha direção. − Você queria que eu fizesse isso?

− De maneira nenhuma − confessei com um sorriso. − Mas não vou achar mal se você quiser... Sei lá... Mostrar um pouco de posse, talvez.

− Você é minha, tanto quanto eu sou seu, Nina. E você sabe disso. O Noah sabe disso. Todo mundo sabe disso. Mas não vou me importar com o seu pedido de demonstração − não houve nem tempo para a espera.

Em um instante ele estava falando e no outro estava apertando o meu corpo contra o seu, enquanto seus lábios tomavam os meus de forma inexplicavelmente maravilhosa.

Quando voltamos para dentro do pub, Noah e Marcela estavam sentados ao bar, acompanhados de cervejas e petiscos. Eu bem que merecia algo sólido dentro da barriga depois de toda a dança animada de instantes antes. Houve um silêncio inicial mais bizarro do que qualquer outro silêncio por mim presenciado. Percebi os olhos de Noah me sondando e tratei de fazer o que havia prometido ao seu irmão. Sorri em sua direção e ele sussurrou apenas duas palavras para mim: "Sinto muito". E a verdade era que eu também sentia. Sentia muitíssimo por ele ainda não ter encontrado uma pessoa com um olhar mais simples e amoroso diante da vida. Sentia muitíssimo por ele precisar ter conhecido os extremos, como de certa forma, eu também conhecera. Sustentei o meu sorriso em sua direção e tentei emitir a mensagem de que tudo estava bem... Ou pelo menos, de que ia ficar em breve.

Durante as horas seguintes nós dançamos, comemos, conversamos e nos divertimos um bocado. Marcela havia nos contado sobre a sua contratação. A parte mais engraçada, sem sombra de dúvidas, foi a da dancinha do elevador. Eu dava tudo para ter presenciado aquele flagrante. Os elogios que ela tecia a respeito de seu futuro chefe também eram ótimos: "Deus Grego da Europa" (percebam como esse não faz o menor sentido), "Azul da cor do mar" (esse se referia aos atraentes olhos dele), "Poderoso da Calça Justa" (é claro que a calça apertada dele não havia passado despercebida por ela) e por fim o preferido dela: "Volume Surpresa". Esse último apelido carinhoso se referia a... Bem, às genitálias do pobre homem. Mal sabia ele que a Marcela estava prestes a fisgá-lo. Questionei esse último apelido, ao que ela explicou: "Ele tem um volume interessante dentro da calça. E quando eu o despir... Surpresa!!!". E bem, eu acabei rindo das ideias, no mínimo loucas, dela.

Voltamos para o apartamento no carro do Noah. Ele e a Marcela estavam se dando bem cada vez mais. Eu não sabia ao certo se algo rolaria entre os dois, mas era bom vê-los entrosados. Principalmente considerando que a minha melhor amiga em breve se mudaria para aquela cidade e eu não queria que ela se sentisse sozinha.

Naquela noite fiquei revirando na cama. Nico pegou no sono depois que nos amamos de forma doce e incansável. Eu, no entanto, não conseguia parar de pensar em uma alternativa para que o nosso relacionamento desse certo depois de um mês. Uma coisa era certa: eu precisava voltar para casa.

Mas outra coisa também era certa: eu não queria me separar do Nico.

~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~ 

Olá leitores queridos <3 Antes de tudo: ASSISTAM AO VÍDEO que é a capa do capítulo, ok? Lá eu conto a prometida novidade e também respondo às perguntinhas de vocês. Espero do fundo do coração que vocês gostem *-*

Essa semana tem muita coisa bacana acontecendo ao mesmo tempo. Hoje viajo para Poços de Caldas, onde acontece a FLIPOÇOS. De hoje até terça estarei lá e "Ponte de cristal" também. Leitores do wattpad que quiserem comprar o livro com um descontinho, é só aparecer por lá ;) A partir de quarta-feira meu novo livro também estará à venda na feira: "Com outros olhos". E obviamente, já separei marcadores, adesivos, bottons e tudo o mais para os novos leitores <3 

Hmmm, que mais? Ah sim! Poder está ganhando novos leitores e isso me deixa MUITO feliz. Sejam bem-vindos. Após a leitura comentem, deixem estrelinhas... Vou adorar <3

E acho que é só, né? Espero que tenham gostado desse capítulo, do vídeo... De tudo. Quarta-feira temos um novo encontro por aqui! Beijo grande para vocês:*

PODER EXTRA G (degustação)Leia esta história GRATUITAMENTE!