Capítulo Quatorze

178 16 0
                                                  

Melissa

- John eu preciso ir pra casa do P. agora.

- E eu preciso ir visitar meus primos - ele ri.

- Bom, então até ... - digo já saindo.

- Tchau Lili, te amo viu.

- Viu - digo rindo.

Como eu já estava no andar sete , só precisava subir mais sete. O elevador estava vazio, só havia eu ali.

Dim dom

Ninguém atendia ...
Todo a campainha mais uma vez e uma loira linda daquelas do corpo de capa de revista atende a porta.

- O Felippe ta ? - pergunto.

- Você é o que dele ?

- Só colega.

- Garota o Felippe ta ocupado agora então ...

- Aah ... entendi. Bom , desculpa se atrapalhei em algo.

- Que nada fica tranquila.

- Tchau.

- Tchau - diz ela fechando a porta.

É, pelo jeito ele quis aproveitar algumas horinhas de voga e eu não ia atrapalhar não é mesmo ?

- Boa tarde - digo para o porteiro.

- Boa tarde senhorita.

- Você poderia me da um número de algum taxi ? Minha casa é meio longe daqui.

- Claro , todos aqui do condomínio gostam desse aqui. - diz ele me entregando um cartão.

- Obrigado, jaja eu trago.

- Pode ficar , tenho vários aqui.

- Agradecida - digo e saiu.

Pego meu celular começo a discar o número.

- Ta ligando pra quem ? - pergunta P. abrindo a porta do prédio.

- Pro Taxi.

- Já vai embora ?

- Não quero atrapalhar.

- Atrapalhar no que ?

- Você e aquela menina .

- Que menina ?

- Ue, eu fui no seu apartamento e tinha uma mulher lá e falou que você tava "ocupado".

- Uma mulher ? Mas eu cheguei agora da casa da minha mãe.

- Pois tem uma mulher lá.

Ele vai ate o porteiro e eu o sigo.

- Seu Cícero, quem esta no meu apartamento ?

- Sua namorada , a senhorita Fernanda.

- Ela não é mais a minha namorada !

- Me desculpa seu Felippe, mas ela me disse que veio do Canadá só para te ver , e queria fazer uma surpresa.

- Aquela maluca - diz ele groso e caminhando ate o elevador.

- Ela já veio aqui antes ?

- Já , quando o seu Felippe voltou do Canadá ele veio com ela. E quase todo ano ela vinha.- responde o porteiro.

Seu Cícero voltou a atenção no seu rádio e eu volto a discar o numero do táxi.

- E você vem comigo - diz P. voltando e me puxando até o elevador.

- Não tenho nada a ver com isso - digo entrando no elevador.

Ele fica calado observando impaciente chegar no andar 14.

- Sai da minha casa! - diz ele abrindo a porta.

Ela estava sentada no sofá da sala comendo algo.

- Porteiro inconveniente mandei ele me avisar quando você chegasse.

- Já mandei você ir embora ! - fala P. grosso.

- Olha só, se não é a tal Melissa .

- Como você sabe meu nome ? - pergunto.

- Felippe não parava de falar de você mas eu dei um jeitinho dele esquecer você - diz ela em um sussurro próximo ao meu ouvido.

Não digo nada fico só observando o Felippe e essa tal Fernanda discutirem.
O que diabos essa garota poderia ter feito para o P. ter me esquecido? , com certeza ela foi a tal garota com quem ele havia se relacionado, e por isso ele me esqueceu com o tempo e ela ajudou.

- Para de ser idiota Fernanda! Quantas vezes eu tenho que te dizem ? Eu não gosto mais de você, me esquece , me deixa em paz.

- Só vou te deixar em paz quando eu souber realmente que você não me ama mais. - diz ela quase gritando.

- Pra começo de conversa, eu nunca amei você. Eu te avisei antes de se relacionar comigo que eu não me apegava a ninguém que eu só queria ficar com você.

Acho sinceramente que ela agora soube que ele não a amava , até porque ela pegou sua bolsa e saiu do apartamento batendo a porta com tanta força.

- Todo ano essa ... essa ... essa maluca vem atrás de mim. - diz ele ofegante por causa da raiva.

- Pode acreditar que agora ficou claro que você não ta nem ai pra ela.

- Espero mesmo ! To de saco cheio dessa garota.


Lembranças de Você.Onde as histórias ganham vida. Descobre agora