*𝑪𝒂𝒑𝒊𝒕𝒖𝒍𝒐 𝒕𝒓𝒊𝒏𝒕𝒂 𝒆 𝒐𝒊𝒕𝒐

1.1K 78 10
                                    

𝙈𝙖𝙮𝙖 𝘽𝙤𝙪𝙧𝙣𝙚

― Acha que consegue levá-lo para o quarto?

― Sim, consigo. ― Rafe responde.

Ben acabou dormindo no sofá e Rafe se propôs a levá-lo para a cama. Rafe arruma a coberta em volta do corpo do Ben e o pega no colo, subindo as escadas em seguida. Observo os dois e um sorriso bobo surge no meu rosto. Esses pequenos momentos dos dois aquece o meu coração.

Sento no sofá novamente e fico esperando o Rafe voltar.

― O que você quer fazer agora? ― olho para ele que se senta ao meu lado.

― Eu não sei. ― ele dá de ombros. ― Quer terminar o filme?

― Pode ser.

Dou play no filme e deito minha cabeça no ombro de Rafe. Seu braço passa por cima dos meus ombros, me puxando para mais perto do seu corpo. Passo meu braço por sua cintura e ajeito meu rosto na curva do seu pescoço. Fico alguns segundos nessa posição até me lembrar da queimadura do seu braço.

Me mexo um pouco para olhar para seu pulso que está perto do meu rosto.

― Aos poucos vai melhorar. ― ele fala.

― Você não está cuidando, não é? ― olho para ele.

― Eu nem sei como se cuida disso. ― ele dá de ombros, me fazendo rir.

Nossos olhares ficam fixos um no outro por alguns segundos até minha mão subir até seu rosto para fazer um leve carinho. Seu rosto instantaneamente responde ao meu toque e ele fecha os olhos.

― Eu amo quando você me olha dessa forma. ― ele sussurra. ― Parece que está apaixonada. ― ele abre os olhos.

― Talvez eu esteja.

Seu olhar desce até os meus lábios e sua mão subiu até o meu rosto, me puxando lentamente para perto do seu. Nossos lábios se tocam e um beijo lento se inicia. Sua mão livre desce até a minha cintura e a aperta.

Apoio minha mão no sofá, ao lado da sua cintura, e me inclino para mais perto do seu corpo. Sua língua está explorando cada canto da minha boca e sua mão está segurando firme o meu rosto agora. A falta de oxigênio nos obriga a nos afastarmos por algum tempo para respirarmos.

Nossos lábios ficam roçando e a respiração pesada de Rafe está se misturando com a minha. Aproveito o momento para me sentar em seu colo. Ele entende rapidamente o que estou fazendo e suas duas mãos seguraram minha cintura fortemente.

― Eu te amo. ― Rafe sussurra perto da minha boca. ― E prometo que irei fazer isso para o resto da minha vida.

― Eu também te amo.

Ele sorri timidamente e volta a me beijar. Dessa vez seu beijo está mais rápido e agressivo, deixando totalmente de lado todo o cuidado que ele estava antes. Suas mãos pressionam o meu quadril para baixo de encontro ao seu, criando um contato maior entre nós. Sua mão direita sobe pelo meu corpo até chegar no meu pescoço, onde ele aperta suavemente e quebra o nosso beijo.

Seus olhos analisam desde o meu rosto até onde os nossos corpos estão pressionados um no outro. Posso dizer que Rafe prendeu um gemido com a visão e seus olhos voltaram para os meus rapidamente. Suas pupilas estão dilatadas, quase escondendo o tom azul claro dos seus olhos.

― Você quer isso? ― sua mão solta o meu pescoço e sobe para a lateral do meu rosto. ― Se você não quiser...

― Eu quero, Rafe! E você está falando demais. ― falo de uma forma entediada, fazendo ele rir.

 ⇨ 𝐹𝑟𝑖𝑒𝑛𝑑𝑠 • 𝑅𝑎𝑓𝑒 𝐶𝑎𝑚𝑒𝑟𝑜𝑛Onde as histórias ganham vida. Descobre agora