Capítulo BÔNUS - A Menina Nova

7.4K 466 119

Galera, esse capítulo NÃO TEM NO LIVRO PUBLICADO. Eu escrevi em Junho de 2014, em comemoração ao primeiro mês do lançamento e agora vou publicá-lo aqui para vocês conhecerem mais do Arthur. LEMBRANDO QUE o livro já é PUBLICADO, então não posso postar mais dele aqui. É só pra vocês terem um gostinho e conhecerem a obra :)

Para conhecerem mais e descobrirem como comprar, acessem www.clarasavelli.com

E obrigada :)

~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~

Eu sabia que o primeiro (ou segundo?) sinal já tinha tocado, mas não me apressei. Valia a pena me estressar por conta de horário de aula? Não. Muito menos no primeiro dia. Encarei novamente o longo corredor, cada vez mais vazio.

Espera. Tinha alguém mexendo no meu armário?

Apressei meus passos. Aquele armário estava comigo há quatro anos e ficava na posição exata entre a quadra de basquete e a sala de cálculo (eu contei). Eu estava disposto a lutar por ele, se fosse necessário.

Quando cheguei mais perto percebi que, na verdade, tinha alguém mexendo no armário ao lado do meu. Respirei aliviado, encostando-me ao meu armário 215. Graças a Deus não precisaria falar com a Srta. Markanders. Não era muito animador ter que ver a diretora logo no primeiro dia de aula. Ainda mais uma diretora tão peculiar como a Srta. Markanders. Abri meu armário, pensando no que precisaria levar para aquele longo primeiro dia.

O barulho que veio do outro lado da porta aberta do armário me fez começar a pensar em outra coisa: quem era meu novo vizinho? Aquele armário estava vazio desde que seu último dono se transferiu.

Dei um passo pra trás, temeroso. Por favor, que não seja a Bárbara. Se fosse a Barbara seria obrigado a trocar de armário e perder essa ótima localização. Encarei a porta que me separava de meu destino. Ficaria estranho se eu desse uma espiada?

Tentando parecer menos estranho, desci os olhos. Eram pernas femininas, com certeza. Aliás, belas pernas torneadas por uma calça jeans justa. Respirei duplamente aliviado quando desci mais ainda os olhos. Minha nova vizinha não poderia ser a Barbara, porque a Barbara nunca usaria esses sapatos. All Stars pretos e belas pernas? A verdade é que eu já estava gostando da nova vizinha.

Como se soubesse que estava sendo observada, a vizinha bateu a porta com força e virou na minha direção. Eu subi os olhos para o seu rosto o mais rápido que pude, mas o olhar fulminante dela me fez crer que ela percebeu que eu a estava observando anteriormente. Suas bochechas coraram e eu fiquei sem saber se de raiva ou de constrangimento. Certamente eu estava ficando constrangido.

- Gostei dos seus sapatos. – eu disse, encarando seus olhos, meio estreitos de raiva, ainda que seus lábios estivessem separados pelo choque.

Fechei meu armário e me virei para ir embora. No caminho para Física, estava me questionando porque tinha dito aquilo sobre os sapatos. Não tinha muito a ser dito em uma situação como aquela. Eu estava espionando e tinha sido pego. A melhor parte, entretanto, é que era verdade. Eu gostei dos sapatos dela. Eu gostei dela. Não sei porque eu tinha dito aquilo e nem porque a minha nova vizinha tinha me deixado tão desnorteado, mas a verdade é que eu deixaria aquela garota mexer em muito mais do que no meu armário se ela tivesse o mínimo de interesse. E eu torcia para que ela tivesse

A parte boa de estar no último ano do colégio era que tinha algumas coisas que eu iria me livrar em breve. No topo da lista: aulas de literatura. Posteriormente: não precisar ouvir mais as declarações de bom dia da Srta. Markanders no autofalante todo dia. Sentei na fileira do canto. Um segundo depois, Bárbara e seu esquadrão adentraram a sala do Professor Montgomery. Virei o rosto com rapidez, mas não rápido o suficiente para evitar que ela me visse. Ou melhor, que uma delas me visse e avisasse. Ela já tinha se sentado e aberto o estojo e eu estava tentando fazer qualquer outra coisa que não olhar naquela direção, mas então aquela caneta com um pompom rosa gigante começou a tomar minha visão periférica e eu me virei, porque achei que precisava salvar o mundo de ver aquilo por tempo indefinido.

Mocassins e All Stars (PRÉVIA)Onde as histórias ganham vida. Descobre agora