Despedidas, um reencontro.

1.7K 131 0

O Desejo de retornar as terras californianas tomavam conta dos nossos corações, apesar da felicidade estar reinando em nosso meio, a paz que sentimos em estar lá é incomparável, e o medo de nos dispersamos devido a faculdade, a insegurança de perdermos amigos tomava conta de todos nós. Em menos de dois dias Lizandra e Johnny mudariam para Paris em busca dos sonhos dos mesmos e planejavam um casamento em pelo menos dentro de um ano, Cintia e Mateus apenas decidiram juntar as escovas de dente e começarem uma vida sem o casamento, apenas o noivado que seria realizado seis meses após o inicio das aulas facultativas, Catarina e Liam estavam conhecendo-se e decidiram começar um relacionamento serio em menos de cinco dias. Eu e Aphonso ainda não temos nosso futuro, não temos planos, nosso único plano é ficar junto. Estávamos todos sentados na calçada enfrente a casa de Lizandra, os meninos se divertiam com uma bola no centro da rua, Lizandra e Catarina riam de um vídeo que fizemos dos meninos na Califórnia, Cintia mexia no celular e eu fitava aquela imensidão azul, sem nuvem alguma deixando a cidade em um clima tropical e gostoso. Mamãe estava em uma viajem de negócios e vovó mudou-se definitivamente para o estado vizinho, portanto eu estava sozinha nessa cidade.

Phonso: Amor – gritava em minha frente – viajou muito agora – todos riram

Rafa: isso foi infantil – fiz careta – o que quer?

Liz: Olha o Miguel – a olhei e ela apontou, para um garoto de cabelos cacheados que abraçava um mulata um pouco mais baixa que ele – não sabia que ele tinha voltado

Rafa: e você acha que eu sabia? – os meninos riram – loira mesmo

Liz: mor, vai deixar ela falar assim comigo? – fez após gritar como uma patricinha nos fazendo cair na risada

John: não pode isso Rafaela – a abraçou

Miguel: Rafa? Liz? – o olhamos

Liz: Miguel – sorriu

Rafa: Olá Miguel

Miguel: Como estão? Cadê o restante da turma?

Liz: estamos bem

João: Lizandra – saiu de sua casa gritando – ué Miguel?

Miguel: fala João – sorriu – cadê o Erick?

Liz: morreu – gargalhei

Miguel: serio?

João: não – riu – Erick se mudou no final do mês passado junto á Deborah para Orlando

Rafa: Deborah e Erick juntos?

João: vão casar sabia não?

Cintia: graças a Deus aquele ser vai sumir de nossas vidas – rimos

Liz: o que você quer João?

João: chamar-te para conhecer a Carol – sorriu

Liz: quem é Carol?

João: sua futura cunhada

Rafa: explica direito senão a loira não entende

João: Carol estudava conosco, mas sempre fora tímida então era imperceptível sua presença no colégio, na festa de formatura eu estava voltando para casa quando sem querer acabei derramando um pouco da minha bebida em seu vestido, desde então estamos saindo e hoje pela madrugada nos mudaremos para Nova York.

Liz: vocês vão morar juntos?

João: Sim – sorriu abobado – cursaremos nossa faculdade por lá, e no final da mesma nos casaremos. Até lá decidimos se voltamos para o Brasil.

Cintia: eu me lembro da Carol, fazia os trabalhos com ela.

Rafa: também me recordo dela – sorri

João: enfim, vem conhecer ela.

Liz: vamos amor – ela levantou e saiu puxando Johnny

Miguel: nossa quanta coisa aconteceu – riu sem graça

Rafa: muita mesmo – sorri

Miguel: bem, foi bom rever vocês – sorriu – mas tenho que ir, Lana espera-me voltaremos para o Japão ainda hoje.

Rafa: tudo bem então, boa viagem.

Miguel: obrigada – sorriu – felicidades em sua vida

Rafa: obrigada.

Após Miguel ir embora adentramos na casa de Lizandra, despedimo-nos de João e sua namorada, e fomos para a praça onde tiramos algumas fotos e jogamos conversa fora, ao anoitecer cada um foi para sua casa, Aphonso dormiria em minha casa. 

Estava deitada em minha cama observando as luzes da cidade pela varanda, Aphonso havia ido ao banheiro banhar-se antes de dormimos, apesar de viajarmos juntos e dormimos no mesmo quarto durante nossa estadia na Califórnia nosso relacionamento não passou de beijos e abraços, mesmo não sendo virgem eu pretendia casar-me sem ter relação sexual com meu futuro marido, até porque minha primeira vez foi algo um tanto forçado e eu sabia que Aphonso entendia minha decisão e aceitará.

Phonso: no que está pensando? – disse deitando-se em minha frente

Rafa: você – sorri – nunca imaginei que ficaríamos juntos

Phonso: vamos ficar juntos até o fim, do fim – sorriu – eu nunca imaginei amar alguém como eu te amo garota.

Rafa: eu te amo.

Phonso: quanto? – sorri

Rafa: o suficiente para sermos felizes para sempre

Phonso: então não vamos acabar nunca, pois amo na mesma intensidade.

Após inúmeras frases e palavras clichês, trocamos beijos e dormimos como todo casal feliz de filme, na famosa posição “conchinha”. Estar ali presa nos braços do cara que amo me traz uma paz inexplicável e definitivamente eu não sei mais viver sem Aphonso Fleter.

Cinco DiasLeia esta história GRATUITAMENTE!