Viajem!

1.9K 131 0

Narrado por Aphonso!

Hoje era a viagem de férias, durantes essas três semanas não conseguir falar com a Rafaela, eu queria explicar o que estava acontecendo, mas ela só faz se afastar de tudo e de todos. A Lizandra mal fala com ela, também quem dera só vive para o Johnny e pelo Johnny, acabou esquecendo-se da amiga. Durante esses dias a Deborah começou a correr atrás de mim, e acabamos ficando novamente, quer dizer estamos ficando. Infelizmente a Rafa sempre vê quando estamos nos beijando e isso me mata por dentro, eu amo a Rafaela, mas nossa história é complicada e acho que sempre vai ser. Estava chegando na frente do colégio quando ao longe vi a Rafaela ao lado de Cinthia e sua mãe, elas conversavam, o carro parou enfrente ao colégio, desci e peguei minha mala a olhei e ela desviou o olhar, fui até o ônibus guardei minha mala e peguei a numeração lá, estava indo me sentar ao lado do Johnny quando ouço aquela voz fina da Deborah.

Deborah: Amor – gritou vindo me abraçar – ai nem acredito que vou passar minhas férias com você

Phonso: Nem eu – disse seco, me sentei ao lado do Johnny – parei de agarração

John: Cala a boca – falou e rimos

João: Bom dia – disse chegando e sentando no chão

Phonso: Oi – falei

Deborah: O que houve Joãozinho?

João: sono ta grande – rimos – nunca mais saio com uma guria, um dia antes da viajem.

Liz: Eu vou ao banheiro amor, já volto – se levantou e saiu andando.

Deborah: Não gosto da sua namorada Johnny, sabe ela é legal, mas é muito santinha, muito patricinha

John: Assim Deborah, eu acho que não te perguntei nada, nem pedi opinião sua para saber se a Lizandra é a namorada certa ou não – disse irritado – eu amo ela do jeito que ela é, mimada, santinha ou patricinha, eu amo o que ela é – ele se levantou – prefiro mil vezes a santinha lá, do que uma vadia como você – saiu andando

Deborah: Aphonso olha o que seu amigo esta falando de mim – disse irritada me olhando

Phonso: não me envolve Deborah, você quem provocou – dei de ombros e levantei

Seguir até o ônibus entrei no mesmo e logo avistei a Rafaela, nos encaramos por um tempo e seguir até o final do ônibus, me sentei na janela e fiquei olhando para o lado de fora, não percebi quando o ônibus entrou em movimento, olhei rapidamente para o meu lado e a Deborah estava sentada mexendo no celular, o João estava no banco da frente ao lado da Camila, e a Lizandra e o Johnny nos bancos ao lado do meu, coloquei me fones de ouvido e liguei a música no ultimo volume. Chegamos na capital por volta das duas horas da tarde, e ainda haveria três horas para chegarmos na tal fazenda. Acabei dormindo nesse meio tempo, acordei com a Deborah me chamando, olhei em volta e não haviam mais alunos no ônibus apenas eu e a Deborah, levantei e descemos do ônibus, pegamos nossas malas e fomos de encontro com os demais alunos, a diretora estava dizendo quem ficaram com quem e em que cabana, primeiro foram as meninas.

Diretora: Ficara Gabriel, Dayane, Ana, Ellen e Naires na cabana nove. – ela entregou as chaves e as meninas saíram andando – Deborah, Camila, Cinthia, Lizandra e Rafaela na cabana dez.

Olhei para a Rafaela e ela estava “bufando” pegou suas coisas e seguiu ao lado da Cinthia. A diretora terminou de separar as meninas e separou os meninos, me deixando em uma cabana com o Johnny, João, Mateus e o Menino novo, Lian. Peguei a chave e seguimos para nossa cabana que era a vinte, chegamos na mesma abri a porta e me joguei na primeira cama que vi, ficamos zoando no quarto um jogando o travesseiro no outro, até o Lian entrou na brincadeira, depois de quase uma hora brincando, cada um foi tomar seu banho, eu fui o ultimo, me vestir no banheiro mesmo e sair, fomos para a área de alimentação e nos sentamos em uma mesa lá, o Johnny foi se sentar com a Lizandra, a Deborah e a Camila vieram se sentar na minha mesa. O Lian e o Mateus levantaram e foram se sentar em outra mesa.

Deborah: Não vou aguentar a Rafaela por um mês

Camila: ai amiga, você viu as roupas dela?

Deborah: aquela garota precisa de bom senso na cabeça

João: dá pra vocês calarem a boca? Parem de falar da Rafaela, a roupa que ela veste ou deixa de vestir não é da conta de vocês e sim dela.

Deborah: vai defender a estranha agora João

João: Não estou defendendo ninguém Deborah, só que está chato vocês falando dela vinte e quatro horas, parecem aquelas fãs fanáticas pelo cantor que passam horas e horas falando dele.

Camila: Mas estamos apenas comentando

Aphonso: estão fazendo isso desde que saímos de nossa cidade. Já não fizeram a garota sofrer? Deixem-na em paz agora

Deborah: ah ta bom – cruzou os braços e mudou de assunto. 

O Jantar foi servido, comemos em silêncio, depois daquelas palavras nada se dizia, observei rapidamente a Rafaela na outra mesa e ela conversava com o Lian e a Cinthia, parecia uma conversa seria, pós nenhum deles riam, ou sorriam. Depois do jantar alguns poucos alunos se recolheram, os demais ficaram na sala assistindo há um filme ou jogando. Fui dormi por volta das duas da manhã, acordei no outro dia e ainda estava com a roupa de ontem, fui ao banheiro tomei um banho, fiz minha higiene e me vestir terminei de me arrumar e fui para o refeitório, tomei meu café da manhã e fui para a piscina encontrar os outros, olhei em volta e a Rafaela estava sentada no gramado lendo um livro, a Cinthia e o Lian estavam sentados ao seu lado, rindo e conversando, me sentei em uma espreguiçadeira e a Deborah se sentou ao meu lado, encostou sua cabeça em meu ombro, passei meu braço por seus ombros e acariciei seus cabelos.

Deborah: está com raiva de mim?

Phonso: Não

Deborah: vamos ali comigo? – a olhei – rapidinho

Levantamos e saímos de mãos dadas da piscina, fomos até uma cabana e entramos.

Phonso: de quem é essa cabana?

Deborah: ninguém – disse tirando o vestido e ficando apenas de biquíni em minha frente

Phonso: e o que viemos fazer aqui? – a olhei mordendo os lábios

Deborah: diverti-nos – após isso ela se sentou em uma espécie de bancada e me chamou.

Aproximei-me da mesma já a beijando, ela desabotoou minha bermuda ah empurrando com os pés, desceu minha sunga rapidamente, e segurou meu membro o massageando, desamarrei as amarras de seu pequeno biquíni,  e comecei a beijar seus seios e sua região genital iniciando um oral bom e rápido, após ela ter gozado a puxei para perto de mim e a mesma me deu uma camisinha, a coloquei no meu membro e penetrei fundo em sua vagina, eu fazia movimentos rápidos e ela gemia em meu ombro. Por fim chegamos ao orgasmo juntos, tirei a camisinha e joguei no lixo, me vestir rapidamente e sair daquela cabana. Não vou negar dizendo que não gostei porque gostei, a Deborah sabe transar, mas eu não queria fazer isso aqui, principalmente sabendo que se a Rafaela passar ouviria ou veria. Caminhei até um lago e lá mergulhei, acabei ficando por lá até o horário do almoço. 

Cinco DiasLeia esta história GRATUITAMENTE!