O beijo... Ainda sou apaixonado por você

2K 166 2

Os dias passaram rápido quando percebi já era segunda feira. Acordei cedo me arrumei e sair sem mesmo tomar café peguei um taxi e o mesmo me deixou no colégio, havia uma movimentação próximo a escola com certeza era alguma briga, entrei no colégio e vi a Liz sentada em um banco ao lado de uma menina, seu rosto estava muito vermelho e sua maquiagem totalmente borrada, a olhei baixei minha cabeça e fui para a sala. Na primeira aula nenhum dois três entraram, na segunda aula o Phonso entrou e sentou-se em seu lugar. O resto da manhã se passou rapidamente, ao sair da escola percebi que o dia esfriava. Fui andando e ao chegar perto de casa pude ver a Liz, saindo de dentro de um carro com o John e o Phonso, suspirei e continuei meu caminho, entrei em casa rapidamente, tranquei a porta e subi para meu quarto entrei no banheiro e tomei um banho gelado, durante esses dias eu andei me cortando muito, já não havia mais espaço no meu corpo para mim corta, terminei meu banho, vestir uma roupa que cobria todos os meus cortes, desci arrumei toda a casa e fui até a cozinha peguei uma maça e comi, vi que faltava algumas coisas para comer fiz uma lista, peguei dinheiro, subir no meu quarto peguei meu celular e desci, por sorte nenhum deles estava no meio da rua, fui ao mercado comprei o necessário e voltei para casa carregando as sacolas, depois de ter guardado tudo subir para meu quarto e liguei o notebook, abri o tumblr e fiquei mexendo no mesmo, depois cansei e sair do mesmo fiquei mexendo em uns arquivos do computador  acabei achando algumas fotos, abri as mesmas e eram fotos minhas com a Liz. Fiquei olhando as mesmas e nem percebi que havia anoitecido, guardei o notebook levantei fui ao banheiro tomei um banho, sair vestir meu pijama deitei e dormi ultimamente a única coisa boa na minha vida é o sono. Acordei na terça atrasada preferir nem levantar chovia forte lá fora, fiquei em casa durante todo o dia, a noite a chuva resolveu parar, levantei do sofá subir tomei um banho, vestir uma calça jeans preta, um sneaker preto e uma blusa preta com uma guitarra branca estampada, vestir um casaco deixei os cabelos soltos e desci, abri a porta e sair. A Lizandra estava no portão da casa dela com o John, a olhei e sorri indo ao seu encontro.

Rafa: posso falar com você

Liz: claro – sorrio – espera aqui amor?

John: claro princesa vai lá – Entramos dentro da minha casa e nos sentamos no sofá

Rafa: como você ta?

Liz: tirando o roxo no rosto estou bem – ela riu

Rafa: roxo?

Liz: a maquiagem esta escondendo – sorrio

Rafa: entendi, mas o que houve?

Liz: o João me bateu

Rafa: nossa

Liz: achei bem feito o Johnny acabou com a cara dele – rimos

Rafa: queria te pedir desculpas – disse receosa

Liz: tudo bem, não precisa pedir desculpas – sorrio.

Rafa: amigas?

Liz: até o fim – nos abraçamos forte

Rafa: e você e o Johnny? Saíram do zero a zero?  Ela riu

Liz: continuamos ficando, não vamos assumir compromissos agora.

Rafa: entendi – sorri – bom eu vou aproveitar que a chuva parou e vou à praça

Liz: sozinha?

Rafa: sim – sorri – fica tranquila

Liz: tudo bem

Rafa: vamos, seu amante está te esperando – ela riu

Saímos da minha casa, despedir-me dela e desci a rua caminhando até a praça, era longe umas cinco quadras depois da minha casa, mas fui assim mesmo chegando na mesma fui até um banco que havia ali e sentei-me por sorte estava seco acho que por causa da arvore que cobria o mesmo, fiquei ali fiquei bastante tempo olhando para o céu, aquela praça me acalmava como nada me acalmava. Estava distraída quando tocam minha mão, levantei rapidamente, mas sentir um grande alivio quando vi que foi o Aphonso

Phonso: desculpa, não queria te assustar.

Rafa: tudo bem – sentei-me novamente – o que quer?

Phonso: apenas conversa – o olhei – olha só eu sei que eu errei em ter te humilhado, eu não tenho esse direito

Rafa: tudo bem Aphonso, deixa pra lá eu já estou acostumada – levantei e comecei a caminhar de volta para casa.

Phonso: espera Rafa – pegou em minha mão delicadamente o olhei

Rafa: seja rápido, está começando a chover – disse após sentir pingos de agua em meu rosto

Phonso: eu quero – suspirou – eu quero te falar a verdade

Rafa: que verdade?

Phonso: eu nunca te odiei, eu mentia dizendo que a única coisa que sentia por você era ódio, eu mentia dizendo que você era feia, e não tinha corpo – ele respirou fundo e abaixou a cabeça – eu nunca te odiei, eu sempre te amei, eu nunca te achei feia você sempre foi a garota mais bonita do colégio e a mais gostosa - ele me olhou se aproximando – eu não queria admitir que te amava pra não sofrer com o preconceito

Rafa: e em vez de ficar quieto, ajudava a Deborah a me humilhar – disse irritada.

Phonso: Rafa, eu sei que errei, errei feio por sinal, mas eu estou arrependido, eu sempre me arrependi, mas sou orgulhoso demais para admitir – confessou.

Rafa: tudo bem Aphonso eu te desculpo – sorri

Phonso: serio? – me olhou sorrindo

Rafa: sim – sorri – eu tenho que ir

Sair o deixando sozinho na praça, caminhei em passos lentos e a chuva só fazia aumentar faltavam duas ruas para eu chegar em casa, quando sinto alguém pegar meu braço, virei bruscamente batendo de frente com seu peito olhei para cima e pude ver o Aphonso me olhando

Rafa: o que foi?

Phonso: eu preciso te dizer algo – disse ofegante

Rafa: o que? – ambos estavam molhados, totalmente encharcados – não pode falar depois?

Phonso: não, eu preciso te dizer isso hoje – sorriu tocando meu rosto estávamos próximos demais.

Rafa: Então diga – ele aproximou seu rosto do meu, sorri.

Phonso: Eu preciso disso – disse me beijando.

Era um beijo bom, bastante molhado, perfeito, suas mãos se dividiam entre meus cabelos e minha cintura, minhas mãos acariciavam sua nunca ora puxavam seu cabelo, ele me puxava contra seu corpo, meu corpo estava arrepiado, meu coração acelerado e minhas pernas tremiam. Paramos o beijo depois de longos segundos e particularmente o melhor que já dei em minha vida, nos olhávamos docemente, ele continha um sorriso nos lábios.

Rafa: por que fez isso?

Phonso: eu precisava saber – disse sorrindo

Rafa: saber?

Phonso: se eu ainda sou apaixonado por você – sorrio mais ainda

Rafa: hum – abaixei a cabeça envergonhada - e achou a resposta?

Phonso: sim, ainda sou apaixonado por você.

Cinco DiasLeia esta história GRATUITAMENTE!