Resgate

10 2 4
                                    

          Após nossa conversa, Senhor Dragão parecia ter ficado ainda mais apressado, nos fazendo acelerar o passo ao ponto que cruzamos a borda com o Divino em dois dias. O que pelo menos queria dizer que, a menos que a pessoa na armadura negra estivesse com ainda mais pressa, estávamos na frente dele.

          Uma vez lá, seguimos pela borda até a instalação do Divino em que o conhecido de Senhora Boneca estava. Agora que estávamos tão perto, ela parecia ainda mais ansiosa. Tanto que Senhor Dragão teve que impedi-la de seguir em frente sozinha pelo menos três vezes.

          Minha irmã também parecia estar finalmente começando a mostrar seu nervosismo, não parando de falar sobre coisas aleatórias como o tempo e pedras que víamos no caminho. Percebi, também, que sua preocupação com Senhor Brayan estava ficando mais aparente a cada dia, o que era bom. Quando finalmente o reencontrássemos, isso facilitaria em fazê-la se confessar para ele. E com ela tomando a liderança, seria mais fácil para eu seguir seu exemplo.

          Mas tudo isso ficaria para depois, já que, quando finalmente chegamos a nosso destino, vi que o conhecido não estava em uma prisão do Divino. Mas sim em uma das várias estações de proteção de sua fronteira. O que significava que teríamos que entrar em um forte militar do Divino para resgatá-lo.

          Senhor Dragão havia nos reunido a alguns metros de distância do forte, com Carina usando sua magia para nos camuflar de qualquer rede de proteção que os Escolhidos estivessem usando para identificar invasores.

          — Nosso objetivo é achar nosso alvo e tirá-lo daqui antes que a situação saia de controle — explicou Senhor Dragão quando finalmente começamos com o planejamento. — A pessoa que estamos buscando é um Prodígio. Até onde conseguimos identificar, ele está em um quarto especial nos dormitórios do forte. O lugar foi convertido para funcionar como uma cela, então a segurança ao redor dele é especialmente intensa.

          — Eu já realizei uma escolta preliminar da estrutura — disse Senhor Sombra, mostrando um mapa rascunhado que ele havia feito enquanto usava sua sombra para observar o forte por dentro. — Os dormitórios estão localizados entre o salão de refeições e os campos de treinamento. Os únicos caminhos para dentro do forte são pela entrada principal e então pelo salão de inspeções.

          — Eles provavelmente possuem alguns magos no forte — disse Carina. — Alguns professores convidados na escola nos ensinaram como essas instalações funcionam. Eles fazem varreduras do terreno de tempos em tempos e, se encontrarem algum sinal não marcado, um grupo é enviado para escoltá-los até o forte para uma inspeção.

          — Então podemos fingir que somos viajantes e entrar assim no forte. A pergunta é como faremos para chegar aos dormitórios depois disso — falei, tentando pensar em alguma ideia enquanto olhava para o mapa que Senhor Sombra havia feito.

          — Não seria mais fácil eu fazer o mesmo truque com o pilar que usamos na Escola do Divino? — disse minha irmã. — Afinal de contas, eu duvido que um posto tão longe do Divino teria alguém capaz de enfrentar o Dragão.

          — Essa não é uma opção válida — disse Senhor Dragão. — Vão enviar um sinal de socorro para os demais fortes se perceberem que estou aqui. É melhor que estejam prontos para responder quando a pessoa na armadura negra chegar à fronteira.

          — Boneca chamaria muita atenção se tivesse que tirar a armadura, e Carina teria que passar por uma revista mais intensa como uma maga — continuou Senhor Dragão. — Então nossa formação será: Carina ficara aqui usando a rede dela para nos proteger das varreduras. Eu e Boneca ficaremos aqui a protegendo. Sombra irá à frente com a sombra dele e tentará abrir um caminho. Tigresa e as Gêmeas entrarão disfarçadas no salão de inspeções. Vocês serão as responsáveis por encontrar e tirar o alvo de dentro do forte. Alguma pergunta?

Estrela MortaOnde as histórias ganham vida. Descobre agora