𝑪𝒂𝒑𝒊𝒕𝒖𝒍𝒐 𝒒𝒖𝒂𝒓𝒆𝒏𝒕𝒂 𝒆 𝒐𝒊𝒕𝒐

2.4K 272 111
                                    

𝙈𝙖𝙮𝙖 𝘽𝙤𝙪𝙧𝙣𝙚

Ops! Esta imagem não segue as nossas directrizes de conteúdo. Para continuares a publicar, por favor, remova-a ou carrega uma imagem diferente.

𝙈𝙖𝙮𝙖 𝘽𝙤𝙪𝙧𝙣𝙚

Já faz uma semana desde a última vez que vi e falei com Rafe. Parece que tudo foi afetado com o término do nosso namoro. Minha concentração nas aulas diminuíram, minha vontade de comer, minha vontade de sair com os meninos… Parece que cada dia que passa estou morrendo lentamente por dentro. 

Até sair com os meninos se tornou estranho. Eles começaram a revezar os momentos entre eu e Rafe. Um pouco eles fazem com o Rafe e um pouco comigo, e isso realmente é estranho. Sempre fomos nós quatro, independente de qualquer coisa, mas agora os nossos amigos precisam se dividir e escolher um ou outro. 

A relação com os meus pais está começando a voltar ao normal. Ainda fico na defensiva perto deles, mas são os meus pais. Por bem ou por mal, eles só queriam me proteger. A única coisa que me dói, é eles não acreditarem em mim. 

Meu aniversário de 18 anos é na semana que vem, e parece que toda aquela ansiedade foi embora, assim como Rafe.

Pensei que passaria meu dia com os meus amigos e meu namorado, e a noite ficaria em casa com a minha família, mas esse plano parece falho agora. A vontade de comemorar é nula, nem parece que deve ser algo a ser comemorado. É só mais um ano de vida. 

― Tá me ouvindo? ― olho para a minha mãe.

― É pra ser sincera? ― ela ri e nega.

― Estamos falando do seu aniversário. ― largo o garfo no prato e olho diretamente para ela.

― Já falei que não quero fazer nada.

― Mas nós queremos e vamos fazer. ― reviro os olhos e cruzei os braços. ― Podemos fazer uma festa aqui em casa e você chama quem quiser e quantas pessoas quiser. 

― Quem eu vou chamar? Topper, Kelce e Sarah. São os únicos que são os meus amigos e não faz sentido eu comemorar meu aniversário. 

― Isso vai… 

― Não, não vai passar. ― olho para o meu pai. ― Não terminamos porque não estava dando certo ou porque não nos amávamos. Terminamos porque terceiros se meteram na nossa vida. 

― Olha só, querida. ― minha mãe fala pacientemente. ― Podemos fazer uma festa maior e com muita comida e bebida, chame mais pessoas. Sei que você é bem popular e tenho certeza que muitas pessoas vão querer vir. Vão ser bom pra você se distrair. 

― Tá, eu vou pensar.  

A tela do meu telefone se acende mostrando uma nova mensagem de Topper. Ele está me chamando para fazermos uma maratona de filme, o que é estranho, já fizemos isso ontem.

― Eu vou dormir no Topper. ― me levanto da mesa e coloco meu prato na pia.

― De novo? ― meu pai me olha.

― Deixe ela sair, é bom. ― minha mãe sorri para mim. ― Quer que eu te leve?

― Não, ele vai me buscar. ― ela concorda e eu saio da cozinha. 

Subo para o meu quarto e pego minha mochila. Algo dentro de mim está me dizendo que Topper está tramando algo, mas não me arrisco a perguntar. Coloco minhas roupas dentro da mochila e mando uma mensagem falando que já estou pronta. 

Logo ele retorna a mensagem me avisando que está chegando. Saio do meu quarto e fecho a porta, desço as escadas e me despeço de Ben com um beijo na sua testa e aceno para os meus pais. Assim que fecho a porta da frente da minha casa Topper para com o carro na frente da minha casa.

― Qual é o real motivo desse convite? ― pergunto enquanto fecho a porta do carro e olho para ele.

― Queremos passar um tempo com você. ― ele fala como se fosse óbvio. ― O Kelce ficou nos esperando. 

― Passar um tempo comigo de novo?

― Se você não quer a nossa companhia é só dizer, faço o retorno e te largo em casa de novo. ― ele fala exageradamente me fazendo rir.

― Só fiquei curiosa. 

Nós ficamos em silêncio até chegarmos em sua casa e ainda estou com a sensação que ele não me falou algo. Conhecendo ele do jeito que conheço, ele está nervoso. Nós entramos na sua casa e fui direto para a sala. De longe ouvi risadas, e não só a de Kelce. Ouvi a risada que eu mais amo ouvir, mas isso faz meu coração parar por alguns segundos.

Chegando na sala, vejo Kelce e Rafe sentados no sofá falando sobre algo e rindo. Rafe parece bem. O machucado da sua bochecha não está mais tão visível e ele parece feliz. Os dois param de rir quando sente minha presença, sinto o olhar de Rafe subir dos meus pés a minha cabeça. Sinto Topper para logo atrás de mim e me viro para ele.

― Por que não me falou?

― Você não iria vir. ― reviro os olhos e tento passar por ele, mas ele segura meus ombros e me empurra para trás. ― Vocês precisam conversar. 

Ele me vira de frente para Rafe que está a poucos metros de mim agora, essa é a nossa maior proximidade que tivemos nos últimos dias. Não há nenhum resquício de felicidade no rosto de Rafe agora, é como se ela fosse sugada desde o momento que entrei na sala. 

― Nós não temos nada para conversar. ― Rafe fala se levantando.

― Ah, qual é cara? ― Kelce tenta segurá-lo, mas basta apenas um olhar de Rafe para ele se afastar. 

Ele passa por nós deixando apenas o cheiro do seu perfume para trás. 

― Por que fizeram isso? ― olho para Kelce e Topper.

― Porque não aguentamos mais isso. ― Kelce fala se jogando no sofá novamente. ― Vocês se amam, devem ficar juntos.

― Parece que Rafe não me ama tanto assim. ― jogo minha mochila no sofá e me sento. ― Ele parece feliz, de qualquer forma. ― os meninos começam a rir me fazendo olhar confusa para eles.

― De maneira nenhuma Rafe está feliz. ― Kelce fala rindo. ― Você é a outra metade do coração dele. 

― Ele está tão mal quanto você, mas ele é orgulhoso. E ele realmente acha que você estará melhor sem ele. ― Topper fala.

― E eu ainda acho que deveríamos encher o Tommy de porrada. ― Kelce acrescenta.

― Não. ― olho para Kelce. ― A violência não vai fazer o Rafe voltar.

― Mas vai quebrar os dentes do Tommy. ― Topper fala e Kelce concorda. 

― Não faz sentido nenhum vocês se meterem nessa briga. 

― Claro que faz. ― Kelce fala e se inclina. ― Tudo o que fizerem para você, vão estar fazendo para a gente também. 

― E aquele filho da puta mexeu com as pessoas erradas. ― Topper fala enquanto abre uma cerveja. ― Nós ainda vamos encontrar ele e encher ele de porrada. E creio, que não vai demorar muito. Outer Banks não é tão grande assim.

Reviro os olhos e sorrio com os comentários. 

― Bom, vamos fazer a nossa noitada. ― Topper fala. ― Eu não estava mentindo sobre o filme.

― E já que o corno do Rafe foi embora, não tem porque você ir embora. 

― Se o Rafe ouvir você falar isso, ele te mata. ― Topper fala e Kelce dá de ombros. 

― Ele está longe de qualquer forma.






Estamos na reta final do livro...

 ⇨ 𝐹𝑟𝑖𝑒𝑛𝑑𝑠 • 𝑅𝑎𝑓𝑒 𝐶𝑎𝑚𝑒𝑟𝑜𝑛Onde as histórias ganham vida. Descobre agora