𝑪𝒂𝒑𝒊𝒕𝒖𝒍𝒐 𝒗𝒊𝒏𝒕𝒆

3.5K 427 60
                                    

𝙈𝙖𝙮𝙖 𝘽𝙤𝙪𝙧𝙣𝙚

Ops! Esta imagem não segue as nossas directrizes de conteúdo. Para continuares a publicar, por favor, remova-a ou carrega uma imagem diferente.

𝙈𝙖𝙮𝙖 𝘽𝙤𝙪𝙧𝙣𝙚

Minhas costas estão começando a doer de ficar encolhida na mesma posição. Meus olhos estão ardendo de tanto que já chorei e minha garganta está seca. Já deve fazer cerca de uma hora que estou sentada aqui.

Sinto meu celular vibrar pela décima vez e ignoro. A última coisa que quero é falar com alguém agora. Apenas preciso ficar sozinha e organizar meus pensamentos. Ele começa a vibrar novamente e o som de ligação começa a me incomodar.

Pego ele pronta para desligar a chamada quando vejo a foto de Topper na tela, já tem cinco chamadas perdidas dele.

━ Olha só, eu não quero falar com ninguém. ━ falo suspirando. ━ Só me deixe em paz, por favor.

━ Finalmente, Maya! ━ Topper exclama. ━ É sério, não desligue. ━ fico em silêncio esperando ele continuar. ━ Por mais que eu esteja muito preocupado agora que ouvi sua voz de choro, eu preciso falar sobre o Rafe.

━ Isso não pode esperar? Eu realmente não estou com cabeça para outra briga.

━ Não é briga. Eu nem sei como te falar isso.

━ Estou começando a ficar assustada.

━ O Rafe praticamente surtou depois que você foi embora com o Tommy e... ━ Topper suspira. ━ Você não pode vir até a festa novamente? Ele realmente está muito mal. Posso te buscar seja onde você estiver.

━ Cinco minutos eu chego aí. Eu ainda estou na praia.

━ Por que você ainda está na praia? Você está sozinha?

━ Tá tudo bem, Topp. Logo eu chego aí.

Desligo o telefone e vejo meu reflexo na tela do telefone. Estou horrível, o rímel escorreu pelo meu rosto e o delineado está todo borrado. Tento limpar, mas acaba borrando ainda mais.

Me levanto e tiro o excesso de areia que ficou nas minhas pernas e no meu vestido e começo a andar de volta para a festa. Meu corpo todo parece estar mole ainda, mas com um peso em cima. Minhas forças para andar são mínimas.

Caminho pela beirada da praia esperando que a água leve toda a dor que estou sentindo no meu peito. A música já está mais baixa e não há tantas pessoas na praia mais, as poucas que tem me olham de canto de olho.

Começo a procurar os meninos e vejo Topper ao lado de Kelce falando sobre alguma coisa. Caminho até eles o mais lentamente possível, eu definitivamente não queria estar aqui.

━ O que aconteceu com você? ━ Kelce me olha assustado.

━ Nada demais, depois conversamos. ━ ele assenti. ━ O que aconteceu com o Rafe?

━ Ele surtou. Ele bebeu muito e você sabe... ━ concordo e fecho meus olhos enquanto respiro fundo.

━ Onde ele está? ━ Topper aponta para um quiosque que já estava fechado.

━ Ele está sentado do outro lado. ━ assinto e começo a caminhar.

━ Maya? ━ me viro para Topper. ━ Está tudo bem mesmo?

━ Vai ficar. ━ forço um sorriso para ele e continuo andando.

De longe vejo Rafe sentado em uma das cadeiras com a cabeça pendurada para frente. Me sento na cadeira ao seu lado e fico em silêncio. Olho para suas mãos que estão segurando uma garrafa de bebida, elas ainda estão com vários resquícios de sangue.

━ Você não deveria estar com o seu namorado? ━ sua voz está arrastada, ele parece extremamente exausto.

━ Eu estou aqui, isso que importa. ━ ele ri, mas sem humor nenhum.

━ O que você está fazendo aqui? ━ sua voz está totalmente sombria, nem mesmo parece Rafe. Ele continua com seu rosto para baixo, seus cabelos tapando seu rosto.

━ Vim para te levar para casa.

━ Eu não quero ir para casa. ━ ele levanta a garrafa para beber e eu a tiro da sua mão.

Ele me olha e eu pela primeira vez eu consigo ver seu rosto. Ele está com o lábio cheio de sangue seco e tem um hematoma roxo se formando na sua bochecha direita. Meus olhos se enchem de lágrimas com essa visão, é tudo minha culpa.

━ Por que você estava chorando? ━ ele traz uma de suas mãos até o meu rosto e seca uma lágrima que cai. ━ Não chora, por favor.

━ Tá tudo bem. ━ pego em sua mão e sorrio fracamente.

━ Ele fez alguma coisa com você? Eu te juro que se ele encostou um dedo em você...

━ Não, Rafe. Está tudo bem. ━ pego sua mão e deixo ela descansando em minha perna. ━ Vamos sair daqui? ━ coloco minha mão do lado esquerdo do seu rosto, ele vira sua cabeça mais na direção da minha mão e fecha os olhos.
Faço um carinho leve em seu rosto e vejo ele engolir em seco.

━ Eu não quero ir pra casa. ━ ele abre seus olhos e eles estão marejados.

━ Tudo bem. Posso pedir para ficarmos na casa do Topper, pode ser? ━ ele concorda suavemente.

Afasto minha mão lentamente do seu rosto e me levanto. Ele parece ficar atordoado sem saber o que fazer.

━ Eu vou chamar os meninos. ━ ele pega na minha mão rapidamente e nega.

━ Não me deixa de novo. ━ abro a boca para falar, mas não tem o que falar.

Respiro fundo e concordo.

━ Preciso que me ajude, ok? ━ ele concorda.

Passo meu braço por sua cintura e o ajudo a se levantar. Ele coloca seu braço por cima dos meus ombros e nós começamos a andar lentamente em direção aos meninos. Rafe não está com seu peso apoiado em mim, até porque certamente nem estaríamos andando.

━ Podemos ficar na sua casa hoje a noite? ━ Topper assenti rapidamente e vira o apoio de Rafe.

Me afasto dando espaço para Kelce ficar do outro lado. Nós caminhamos até o carro e os meninos colocaram Rafe na parte de trás e fecharam a porta.

━ Eu realmente estou preocupado com você. ━ Topper me olha.

━ Prometo que conto tudo depois.

 ⇨ 𝐹𝑟𝑖𝑒𝑛𝑑𝑠 • 𝑅𝑎𝑓𝑒 𝐶𝑎𝑚𝑒𝑟𝑜𝑛Onde as histórias ganham vida. Descobre agora