Capitulo 4 - Surpresa

19 1 0

Não acreditei em meus olhos , então me obriguei a piscar cinco vezes e quandoabri meus olhos pela sexta vez ele ainda estava na minha frente, reuni toda a minha energia para formular uma frase coerente para o garoto loiro . Ele me olhava preocupado e com cautela, como se eu realmente fosse a louca que me sentia desde que sonhei com ele.

Em poucos instante sua expressão mudou para um sorriso educado e  aproximando-se de mim ele estendeu a mão para me ajudar. Ignorei a ajuda ainda um pouco chocado com o desenrolar da histora, afinal, o cara vive aparecendo e some como fumaça, vamos combinar, é ao menos estranho.

Combinando o silencio constrangedor com a sua mão ainda estendida para mim eu estava no minimo embarassada com o ocorrido. Para a minha sorte, o loiro não parecia nem um pouco fora do lugar, e assim tive coragem de aceitar sua mão estendida.

Uma vez de pé e com a dignidade sofrida por danos minimos, comecei a falar quando ele sorriu amplamente e me abraçou.

Fiquei tensa com a invasão do meu espaço pessoal, porem agradeci que ele pelo menos não fugido, mas para o azar dele eu ainda esta brava sobre os outros acontecimentos, assim antes que pudesse me controlar, o empurrei e disse: - Serio?! Qual é a sua? Você vem aparece do nada, assusta o inferno de mim e me abraça como se fossemos velhos conhecidos.

Sua risada se torna mais alegre e quando ele direciona seu olhar a mim finalmente diz. - Desculpe, as vezes esqueço que apenas eu que realmente te conheço Avery. Podemos começar de novo?

-Hm...Claro, que tal pelo seu nome? - Falei claramente desconfiada.

- Clark Harrison, Avy. Como já sei o seu nome, creio que podemos pular essa parte. Você provavelmente tem algumas perguntas para me fazer certo? Acho que chegou a hora de você descobrir a verdade Avy.

- Prazer em conhece-lo oficialmente Clark. - Disse sorrindo, minhas defesas eram inuteis quando ele sorria tão adoravelmente. Seguimos para o banco proximo ao estacionamento em silencio, minha mente era um turbilhão de pensamentos e perguntas, assim a primeira que eu soltei foi: - Qual é o seu negócio comigo? - Isso Avery, seja direta, boa garota!

-Essa não é a pergunta correta querida, pense melhor  - Devo ter feito uma cara de paisagem pois ele suspirou e disse - Você precisa conhecer a sua historia, antes de queres saber sobre mim.

- Entao me conte, - exigi ja irritada - Não é tão simples Avy,  você deve pesquisar, eu estou aqui apenas para te proteger.

- Perai, voce disse que eu precisava saber da verdade.

- Isso, mas para isso você precisa descobrir. - Disse calmamente

- Estou perdendo a paciencia Clark, eu não quero maluquice, então que tal apenas se afastar de mim e me deixar viver uma vida normal, soa bem? - Falei irritada me levantando em direção a festa. Mal me levantei por completo Clark me puxou pelos braços e, e, e, me beijou. Não fui capaz de ter reação alguma, alias, até tive e me envergonho em dizer que correspondi com igual paixao aquele beijo intenso. Finalmente nos separamos para obter folêgo e Clark sussurou à mim - Nada é o que parece, você jamais será normal Avery, você é mais do que isso. Procure pela historia dos Clant, o lugar mais doloroso trará as melhores respostas.

Com isso eu acordei 

                                                ***************************

 Levantei num sobre salto tentando me localizar, como se nada tivesse realmente acontecido eu me encontrava sentada no banco que eu supostamente sentei enquanto conversava com Clark, okay a palavra estranho estava comecando a se tornar frequente na minha mente.

Limpei meu vestido e decidi que precisava de uma bebida, me dirigindo a festa que parecia ter se tornado mais selvagem encontrei Brit encostada no balcão com uma expressão pensativa, que logo foi mascarada quando percebeu que eu estava ao alcance de ser vista.

- Aonde raios  você se meteu Avery? - Disparou à mim. - Fiquei com falta de ar e fui dar uma volta - disse na defensiva.

Sua expressao se suavisou e me lançou um abraço sentido, como se achasse que o pior teria me acontecido. A abracei de volta, afinal eu tambem precisava de um abraço depois do que ocorreu minutos atrás.

Voltando ao seu estado brincalhona, Brit me puxou para a pista de dança aonde logo trabalhamsos em esquecer nosso problemas, por algum tempo me senti normal e feliz, claro que isso foi estupido e logo tudo mudaria,

Um ponto de focoLeia esta história GRATUITAMENTE!