𝑪𝒂𝒑𝒊𝒕𝒖𝒍𝒐 𝒅𝒆𝒛

3.6K 445 120
                                    

𝙈𝙖𝙮𝙖 𝘽𝙤𝙪𝙧𝙣𝙚

Ops! Esta imagem não segue as nossas directrizes de conteúdo. Para continuares a publicar, por favor, remova-a ou carrega uma imagem diferente.


𝙈𝙖𝙮𝙖 𝘽𝙤𝙪𝙧𝙣𝙚

Estou sentada na mesa com os Cameron a cerca de 30 minutos conversando sobre o que aconteceu nas últimas semanas, Rafe é o único em silêncio, é como se ele não quisesse estar aqui. 

Quando me sentei na mesa, dava para perceber o clima pesado que estava entre ele e o Ward, mas isso não é da minha conta.

― Deveríamos fazer um almoço um dia. ― Rose fala me olhando.

― Vai ser um prazer. Só tenho que falar com minha mãe e arrumar um dia. ― falo sorrindo.

― Isso é perfeito, Rose. ― Ward olha para ela. ― Faz muito tempo que não nos juntamos. 

― E eu vou poder levar o John B? ― Sarah pergunta timidamente. 

― Sarah. ― Ward olha para ela sério.

― Eu não sei qual o problema de vocês com ele. ― Sarah pergunta enquanto larga seu copo na mesa. 

― Não vamos falar disso na frente da Maya. ― Ward fala entre dentes.

― Senhor Ward, se me permite. ― agora todos os olhares estão em mim. ― Não seria uma boa o senhor conhecer ele? 

― Ele é só um Pogue sujo. ― Rafe fala secamente. 

― Rafe. ― Ward o repreende e me olha novamente. ― O que quer dizer com isso, Maya?

― Não seria bom dar uma chance para ele? Eu e a Sarah conversamos sobre isso, e ele faz ela feliz. Não é isso que o senhor quer? Ver ela feliz? ― ele fica em silêncio e olha para Sarah. ― Eu sou amiga da Sarah e do Topper, vi todo o relacionamento acontecer e nunca vi a Sarah ser tão feliz ao lado dele como está do lado do John B. 

― Você tem um belo ponto. ― Ward me olha.

― Desculpa me intrometer nos assuntos de vocês, mas eu precisava falar isso. 

― É uma boa ideia. ― Ward fala e Sarah sorri. 

― Você não pode estar falando sério. ― Rafe fala com o tom de voz mais alterado. 

― Rafe, agora não. ― Ward muda totalmente seu tom de voz para falar com Rafe.

Rafe bufa e passa a mão nos cabelos, como se estivesse no ponto de explodir. 

― Eu agradeço muito o café, mas eu preciso ir embora. ― falo sorrindo fracamente.

― Já, querida? ― Rose me olha. ― Não quer ficar para a janta?

― Eu tenho algumas coisas para fazer amanhã cedo, mas agradeço. ― me levanto e Sarah também se levanta. ― Eu vou falar com minha mãe sobre o almoço e te ligo.

― Vou esperar ansiosamente. ― sorrio e me despeço de todos. 

― Rafe, leva a Maya em casa. ― Ward fala se levantando. 

Olho para Rafe e ele não parece gostar da ideia. 

― Não precisa, eu posso voltar andando. 

― Não, o Rafe vai te levar. ― Ward fala firmemente. ― Já está anoitecendo, não é bom você andar por aí sozinha. 

Concordo e fico em silêncio enquanto Rafe passa por mim esbarrando seu corpo levemente no meu. Sarah me puxa até a porta e nós saímos para a rua. 

― Obrigada por aquilo. ― ela fala sorridente. ― Meu pai sempre te ouviu.

― Pensei que isso poderia ser usado para o bem hoje. ― ela ri e me abraça. ― Espero que tudo fique bem. 

― Meu único problema agora é o Rafe. ― ela revira os olhos. 

― Posso tentar conversar com ele…

― Todos sempre ouvem você, se conseguir convencer o Rafe, eu vou te dar um oscar. ― nós duas rimos. 

― Eu não tenho o resto da noite toda. ― Rafe fala secamente parado ao lado do carro. 

― É melhor eu ir.

Sarah me abraça fortemente e eu caminho para o carro. Rafe entra do lado do motorista batendo a porta, eu entro em silêncio e Rafe liga o carro. 

Olho de canto de olho para Rafe que está com as mãos tremendo enquanto segura o volante. Viro meu rosto completamente para ele que está soando e agitado. 

― Rafe está tudo bem? 

― Sim, Maya. Tá tudo bem. ― ele passa uma de duas mãos no rosto e foca o olhar na estrada. 

― Rafe? Para o carro. ― ele me ignora e continua dirigindo. ― Rafe, eu estou falando sério. ― falo firmemente fazendo ele bufar. 

Ele estaciona o carro e fica olhando para a estrada.

― O que está acontecendo? ― ele nem mesmo me olha. Seus dedos batucando no volante mostra o quanto ele está ansioso. ― Por favor, olha para mim. 

Ele hesita um pouco, mas me olha. 

― Conversa comigo. Eu sei que tem algo errado com você e eu quero ajudar. 

― Você não pode me ajudar, Maya. ― ele desvia o olhar de mim. 

― Apenas conversa comigo, Rafe. 

― Olha só, eu não quero conversar. ― ele me olha. ― Só quero te levar de volta para a porra da sua casa e viver a minha vida. 

Suspiro e desvio meu olhar brevemente dele. Rafe sempre foi uma pessoa difícil de se conversar quando se tem algo errado, ele apenas se fecha e acha que as coisas vão se resolver dessa forma. 

― Você está feliz com ele? ― olho para ele com as sobrancelhas franzidas. 

― O que?

― Você me ouviu, Maya. ― ele me olha. ― Você está feliz com ele?

― Com o Tommy? ― ele revira os olho e bufa. ― É claro que eu estou feliz com ele, por que está me perguntando isso?

― Apenas queria saber, vocês parecem ser o casal perfeito. Fiquei curioso para saber se dentro de quatro paredes também é. 

― Por que está falando dessa forma?

― O que? Não posso querer saber do relacionamento da minha amiga agora?

― Você nunca se interessou nisso. 

― É porque, sinceramente, eu não me importo. 

― Então por que estamos discutindo sobre isso agora? 

Ele fica um tempo em silêncio, parece ter algo para falar, mas fica em um silêncio angustiante.

― Eu posso te levar de volta para a sua vida perfeita ou você vai ficar atrapalhando? 

― Se sinta a vontade. 

Ele liga o carro e dirige rapidamente pelas ruas, em poucos minutos chegando na minha casa. 

― Obrigada. ― falo tirando o cinto e ele nem me olha. ― Eu sei que você acha melhor ficar sozinho com todos os seus problemas, mas eu estou aqui. Eu não vou te deixar sozinho, se precisar de mim, pode me ligar a qualquer hora. 

Olho para ele uma última vez e saio do carro. 

 ⇨ 𝐹𝑟𝑖𝑒𝑛𝑑𝑠 • 𝑅𝑎𝑓𝑒 𝐶𝑎𝑚𝑒𝑟𝑜𝑛Onde as histórias ganham vida. Descobre agora