Attacked me

1K 111 7
                                    

                    *Yuri on*

Depois de um tempo conversando com Akira, ela resolveu falar que ficou com Yato na noite anterior. Por mais que Yato goste da Akira, eu acho que ele não seria capaz de cuidar tão bem dela. Ele já me agrediu algumas vezes e isso não o impediria de bater na Akira também.

─ Não estou bravo com você, mas acho que você não deveria ficar com o Yato.

Akira ─ E-Eu entendo Yuri, ele é seu namorado e-

─ Não é disso que eu to falando Akira, o Yato gosta de você a muito tempo.

Akira ─ Como assim?

─ Ele só ficou comigo pra se aproximar de você, mas nesse tempo em que estive com ele, ele me agrediu várias vezes e eu tenho medo de que ele faça o mesmo a você, entende?

Akira ─ E não me contou isso antes? Yuri você deveria ter "terminado" com ele a muito tempo! Nos temos que denunciar esse merda!

─ N-Não precisa Akira, só precisamos ficar longe dele.

Akira ─ Yuri! Nós temos que ir até a delegacia.

─ V-Vamos fazer de outro jeito, ok?

Akira ─ E o que você sugere?

─ Vamos falar com ele, pediremos pra ele se afastar de você, mas se ele vier atrás de nos, iremos até a delegacia....

Akira ─ Yuri! Tá bom.... nos vamos até lá. Mas se por acaso ele vier atrás de nós eu mesmo acabo com ele.

─ T-Ta bom. ─ Era difícil de ver Akira irritada, e quando ocorria ela nunca mais olhava na cara dessa pessoa.

Akira ─ Vamos falar com ele agora.

─ A-Agora? Não podemos ir amanhã?

Akira ─ Yuri! Quanto mais rápido resolvermos melhor.

─ Tá bom.... ─ Ela foi até o quarto dela. Resolvi tomar um banho pra relaxar antes de ir até a casa de Yato.

Akira ─ Yuri? Vamos?

─ So vou me vestir. ─ Vesti uma roupa qualquer e sai do quarto.

Akira ─ Não precisa se preocupar, ele não vai colocar nenhum dedo em você novamente. ─ Ela pegou a bolsa dela e fomos em direção a casa do Yato. ─ Eu vou falar com ele.

─ E-Espera-

Akira ─ O que?

─ Eu vou falar com ele primeiro...

Akira ─ Tem certeza disso?

─ Tenho... ─ Eu saí do carro e bati na porta.

Yato ─ Yuri? O que você quer agora?

─ Conversar.

Yato ─ Entra. ─ Eu entrei e ele fechou a porta. ─ Fala o que você quer de uma vez. ─ Eu respirei fundo antes de falar tudo de uma vez só.

─ Eu contei pra Akira que o nosso "namoro" era falso.

Yato ─ Idai? Pelo menos agora ela não se sentirá culpada por pegar o "namorado" do seu irmãozinho.

─ Isso não foi a única coisa que contei a ela.

Yato ─ E?

─ Você lembra de tudo o que você fez comigo todo esse tempo, eu não vou deixar você fazer as mesmas coisas com ela.

Yato ─ O que diabos você contou a ela?!

─ Você sabe muito bem.

Yato ─ Você não se atreveria a fazer isso!

─ Já fiz. ─ Senti um soco ser disparado ao meu rosto o que me fez cair.

Yato ─ Por que simplismente não consegue aceitar que eu não gosto de você?!

─ E-Eu já aceitei isso a muito tempo.

Yato ─ Então por que simplismente não me deixa ficar com ela de uma vez?!

─ Pra você machucar ela assim como fez comigo?! Não mesmo! ─ Ele me deu outro soco no rosto.

Yato ─ Desaparece da minha vida! ─ Eu levantei e saí da casa dele.

Akira ─ Yuri? Ta tudo bem?! Que gritaria foi aquela?

─ Tá tudo bem. Não precisamos nos preocupar com ele.

Akira ─ Ele te bateu não foi?! Nos vamos na delegacia agora!

─ Não precisa Akira, tá tudo bem. Eu só quero ir pra casa agora.

Akira ─ Tá bom Yuri. ─ Ela fez o caminho todo pra casa de cara fechada. Assim que chegamos eu fui direto pro meu quarto. Como estava cansado eu apenas deitei pra dormir um pouco.

                          (....)

Acordei no meio da madrugada com alguns barulhos pela casa. Imaginei que fosse Akira fazendo algo, ela normalmente não consegue dormir quando tem algo a perturbando.

─ Akira? É você? ─ Ninguém respondeu então eu resolvi descer. Quando menos esperei acabei tropeçando quase no fim das escadas e torcendo o pé. ─ Merda, tinha que ser eu mesmo. ─ Disse dando um gemido de dor logo depois. Eu senti algo sendo pressionado na minha cabeça.

??? ─ Parado aí mesmo, não olhe pra trás. ─ Era só o que me faltava. Essa pessoa saiu me arrastando até um dos outros quartos da casa. ─ coloque as mãos nas costas e fique calado. ─ Fiz o que me foi pedido com obviamente muito medo. Meus pulsos foram presos por algo e logo depois uma pancada muito forte em minha cabeça.

                      (....)

Acordei em uma sala completamente escura e vazia. Eu estava preso em uma cadeira juntamente de alguém me observando.

??? ─ Finalmente você acordou. Você me tirou do sério esses últimos dias sabia?

─ Q-Quem é você?

??? ─ Você realmente não se lembra de mim? Ou está apenas com medo de admitir que lembra?

─ P-Por que me trouxe pra cá?

??? ─ Não respondeu minha pergunta.

─ N-Não me lembro. ─ O rosto dele me era familiar mas eu não consigo me lembrar.

??? ─ Takafumi.

─ Takafumi?

??? ─ Meu nome. Vamos ver se assim você se lembra.

─ Por que estou aqui?

Takafumi ─ Não precisa saber por agora, te explicarei depois.

─ N-Não vai me machucar, vai?

Takafumi ─ Obvio que não vou te machucar, apenas se você me desobedecer. ─ Deu um sorriso no final. Era só o que me faltava, como se já não bastasse ter levado dois socos. ─ Vou te levar pra um lugar mais confortável. ─ Ele veio até mim e me desamarrou. ─ Nem pense em tentar correr. ─ Ele me pegou no colo e me levou até um quarto.

─ Por que me trouxe pra cá?

Takafumi ─ Vou apenas cuidar de você. Por que esta com essa marca arroxeada no rosto?

─ Nada.

Takafumi ─ Vamos lá, apenas me fale.

─ P-Por que eu deveria?

Takafumi ─ Fala.

─ N-Não te interessa.

Takafumi ─ Estou tentando te ajudar.

─ Por favor apenas pare de insistir sobre isso.

Takafumi ─ Se é isso que você quer, posso descobrir de outra forma. ─ Ele literalmente ignorou tudo o que eu disse. Ele pegou algo na gaveta do criado mudo e passou no meu rosto, parecia uma pomada ou algo assim. Ele colocou um curativo no local.

Continua....

O próximo já está pronto:D vou apenas revisar.






Perfect Hijacker (PAUSADO)Onde as histórias ganham vida. Descobre agora