- Tchau, coisa.- Diz me dando um beijo na bochecha e eu retribuo.

- Tchau, meleca. Qualquer coisa me liga ta?

- Falô!- Ele sai andando e eu reparo que a bunda dele está maior do que a minha. Tudo bem, né.

Dirijo para a faculdade e quase me perco na missão de encontrar minha sala. Viro o primeiro corredor depois das escadas (com a respiração acelerada, correr não é pra mim) e me deparo com um grupo pequeno de 4 garotos.

- Eai gata.- Um deles diz. Beleza, mais um. Acredito que tenho um imã para atrair idiotas. Gata é o apelido mais ridículo pra mim! (quando não vem do crush rs) Não me dou o trabalho de responder e olho o número da sala ao lado deles. É a minha sala. O engraçado é que só piora. Vida, a senhora precisa de alguma ajudinha pra subir, melhorar, crescer ou o que?

- Posso saber o nome da Senhorita, gatinha?- Ele diz entrando na minha frente.

- Não me chama de gatinha e também não lhe interessa.

- Perguntei por que me interessa.- Responde e eu reviro os olhos. Parece mais conversinha de 6° série.

- Uma pena que não seja da sua conta.- Falo cruzando os braços. Quando eu penso que não poderia achar pessoas mais idiotas do que já conheço, tcharã, me deparo com essas.

- Você é bem delicada, né?- Diz me olhando de cima a baixo. Ele está me testando, só pode. Ver até onde a paciência que eu por acaso não tenho vai.

- Obrigada.- Dou um sorriso cínico.

- Meu nome é Davi.- Ele estende a mão.

- Garoto, eu não te perguntei e nem me interessa. Agora, me da licença enquanto estou sendo educada.- Essa hora eu já devia estar sentada na minha querida mesa, entendiada como nunca, mas seria menos ruim do que estar estressada como nunca.

- Não vou sair enquanto você não me dizer seu nome.- Fechei os olhos e contei até dez, a psicóloga disse que resolve. Nunca fez efeito comigo, mas se ela diz..- É tão fácil, só o primeiro nome.

- Some.da.minha.frente.- Disse com a voz estranhamente calma. Eu estava uma pilha de nervos por dentro.

- Então.me.diz.seu.nome.- Ele diz também com uma voz calma. Raiva a parte esse homem é gato, tirando seu cérebro, fica até que bonitinho.

- Vai ficar aí até amanhã!

- E você também.

- Se enxerga, garoto!

- Me diz seu nome!

- Alice, cacet4! Agora some.

- Nome de princesa. - Ele me olha de cima em baixo e continua.- Você até que parece uma.

- Se eu pareço ou não, não é da sua conta. Agora sai da minha frente. -O Encaro séria.

- Agora eu quero...

- Você não tem que querer nada e acho melhor sair da minha frente.

- Ou?

- Ou você não vai gostar das consequências.- Digo. Ele levanta uma das sombrancelhas e os amigos dele começam um côro de "i's"

- Duvido que faça alguma coisa, Você tem muita cara de patricinha!- Oi???

- O que te faz tão inseguro a ponto de achar que um estilo define as atitudes de alguém? Você é simplesmente ridículo.- Eu o empurro com força e ele segura no meu braço. Em questão de segundos, seu rosto está entre meu braço e meu pulso.- Esse golpe se chama chave de braço. Eu costumo usar em idiotas que não sabem qual é o teu lugar!- Solto vendo o tossir bastante e vou até minha cadeira.

As aulas logo acabam e toda hora eu via o Davi me olhando, quase perguntei se o mesmo queria uma foto, já que lá ele podia me ver a hora que quisesse. Babaquinha. Depois da faculdade, eu dirijo pra escola do Adam e espero ele lá. Me sento em um banquinho e fico conversando com Damon pelo celular. Damon é o meu melhor amigo, ele é o tipo de homem que toda mulher deseja, eu mesma já desejei. Mas agora não consigo enxerga-lo mais do que como um amigo.
Vejo um carro estacionando e logo sai dele o Davi?! Como assim?! Estou olhando pra ele, até que alguém tampa meus olhos.

- Melequento que se chama Adam.- Ele sempre faz isso.

- Aff. Você sempre acerta!- Meu irmão diz revoltado.

- Se você pelo menos intercalasse os dias pra fazer isso, mas não, todo santo dia tampa os meus lindos olhos!

- Adam!- Grita um amigo dele chegando perto da gente.- Você vai poder ir na minha casa hoje? - Ele olha pra mim.- Oi Aly.- Luan me abraça. Ele é o melhor amigo do Adam.

- Oi amorzinho.- Eu digo e ele me solta.

- Aly, linda do meu coração.- O Adam diz sentando do meu lado.- Você sabe o quanto eu te amo ne? O quanto eu te admi...

- Pode ir.

- Mas já? Assim? Sem nem ter que fazer nada?- Ele pergunta com os olhos arregalados.

- Meu amor, qualquer chance pra me livrar de você eu to aceitando! Vai logo.

- Que tal nós 3 irmos na praia, Luan? - Adam sujere. É, praia é legalzinho.

- De boa, vou pedir meu irmão! - O Luan diz.

- Pedir o que?- Uma voz atrás de mim diz. Eu reconheço essa voz.. é o Davi?!

Apaixonados por Acaso (EM REVISÃO)Leia esta história GRATUITAMENTE!