𝐬𝐨𝐦𝐞𝐭𝐡𝐢𝐧𝐠 𝐛𝐞𝐡𝐢𝐧𝐝

714 97 58
                                    















Narrador











O dia estava claro, quente, o sol estava batendo no quarto o dia todo, fazendo com que a temperatura ali parecesse aumentar a cada segundo, Noah não conseguia se concentrar de jeito nenhum, não sabia se era pelo calor ou se eram apenas seus pensamentos o traindo.
Se sentia mal, conseguia ouvir a voz de Heyoon falando sobre o trabalho que deveriam fazer, a garota estava empolgada e ele não conseguia nem ouvir o que ela dizia, não era por falta de vontade, era a sua maldita cabeça que estava se concentrando em coisas que não deviam no momento.

— Noah — acordava de seu transe quando via a mão de Heyoon balançando em frente a seu rosto — Você não está escutando nada do que eu tô falando né?

— Eu juro que estou tentando, desculpa Yoon

— Você ainda tá com isso na cabeça né? — ela perguntava fechando o livro e olhando para ele

— Isso o que?

— Isso de que tem algo por trás do.... do que aconteceu com Sina — Heyoon sentia a dor de Noah, por isso não dizia as palavras, ele agradecia por isso, era difícil escuta-lá

— Eu sei que devia parar de pensar nisso.... Deus, eu prometi a Sofya que não iria cavar a minha própria cova de novo — sussurrava essa última parte — Mas eu tenho quase certeza de que tem alguma coisa por trás disso, você conhecia Sina, acha mesmo que ela iria fazer isso?

Heyoon suspirava fundo, a coreana sabia que concordar com Noah seria colocar gasolina na fogueira, mas algo dentro de si se contorcia quando as pessoas diziam que Sina tinha uma inclinação a suicídio, como se conhecessem ela, a alemã podia ter diversos problemas, mas não faria isso, Noah estava certo, ela tinha sonhos, não deixaria que pessoas como aquelas que a ignoravam os destruíssem.

— É...

— Viu! — exclamava — Eu não estou ficando louco, você também acha que tem alguma coisa errada não acha?

A coreana mexia nos dedos como um ato de nervosismo.

— Tem uma parte de mim que acha loucura, que concorda plenamente com o que você vem dizendo desde que disseram que ela.... você sabe, mas.... — suspirava mais uma vez — O pai dela é o xerife da cidade Noah, você realmente acha que se tivesse a menor possibilidade de ter algo por trás disso ele não descobriria? Eu fui a casa de Sina, eu vi a mãe dela, ela está péssima e o pai nem se fala, eles não apareceram em um só evento da cidade desde o funeral, é claro que as pessoas eram compreensivas no começo mas....

— Mas o que Heyoon?

— Eles querem demitir ele, minha mãe me disse que o conselho tem se reunido desde semana passada, já faz quase um ano e a tal gangue que estava assaltando casas perto do limite da cidade está movendo mais para o centro.... Eles acham que se chegarem aqui, Sebastian, na condição que está, não vai ser capaz de proteger ninguém, vão demiti-lo por incapacidade ao cargo

Noah se levantava, andando de um lado para o outro e passando as mãos no cabelo num gesto nervoso.

— Como você sabe disso?

— Meu pai como um dos membros foi convocado a reunião, já era bem tarde quando ele chegou em casa e contou para a minha mãe, ela achava que eu estava dormindo e então contou a ela, quando eu escutei o nome do pai de Sina, não pude evitar, ele me recebeu tantas vezes na casa dele, é injusto pra porra

— É claro que é! — sua voz saia com desespero acompanhado — Não podem fazer isso, a filha dele morreu, não é como se desse para simplesmente seguir em frente, não foi uma morte comum, as pessoas não iam aceitar isso, todo mundo sempre confiou muito nele, não é possível que todo mundo tenha aceitado

— As pessoas não estão mais preocupadas em gostar ou não do xerife, elas querem alguém que as proteja, e ultimamente a visão que Sebastian tem passado não é a de um protetor, eu falei com a minha mãe, disse a ela que escutei e que não era justo — Heyoon dava ombros — Ela não me disse mais nada, não podia

— Como podem fazer isso? Como podem ser tão insensíveis? Digo, sempre soubemos que o pai da Hannah queria virar xerife, era óbvio, por isso se enfiou no conselho e passou a puxar o saco de todo mundo ali, sempre vimos ele invejar o cargo e a fama que vinha junto, mas jogar sujo nesse nível.... — balançava a cabeça negativamente — Talvez tenha sido ele.... talvez ele tenha jogado a Sina do prédio abandonado, sem arma do crime, estava propício para ser considerado um suicídio, ele desestabilizaria Sebastian e conseguiria o cargo que almejou a vida toda

— Realmente acha que ele faria isso? — Heyoon perguntava assustada — Digo, Hannah deve ter um motivo para ter aquela cara de mamão azedo mas, Elliot nunca me pareceu uma pessoa realmente ruim, matar alguém para conseguir algo como isso, um status, o cara tem que ser um psicopata

— Você mesma viu a Hannah usando a imagem de Sina para se autopromover, talvez a ideia não tenha vindo dela, e sim do pai, as pessoas reparam umas nas outras Heyoon, todos veriam Sebastian se deprimir, veriam também Elliot e sua família fazer eventos caridosos, fazer homenagens a Sina, as pessoas se sensibilizariam, logo todo mundo ia começar a falar e almejar as "boas ações" — fazia aspas com os dedos — Se o conselho resolvesse mesmo tirar o pai de Sina do posto, Elliot seria o primeiro indicado, é mais que óbvio

— Talvez devêssemos falar com Sebastian sobre isso, ele poderia investigar e até achar algo, não sei, extratos, ligações, ele ainda é o xerife da cidade e eu sei o que vai dizer, que a investigação foi fechada mas, é a Sina de quem estamos falando, o pai dela a amava mais que tudo e uma parte dele também sabe que tem algo de errado, se tivesse qualquer possibilidade de descobrir de verdade o que aconteceu, ele a agarraria

Noah achava que Heyoon tinha um ponto, um ótimo ponto e que se ele não estivesse pensando no que Sofya e a doutora Wyatt disseram, seria o único que consideraria.

Até onde isso seria saudável? Até onde ele não estava apenas iludindo os outros e a si mesmo? Até onde seria capaz de ir por sua intuição?

Até onde ele seria capaz de ir por ela?












aí eu amo um suspense
o que vocês acham? concordam com a teoria do Noah ou acham viagem?

xoxo
marii💖

𝐦𝐢𝐬𝐬𝐢𝐧𝐠 » 𝐧𝐨𝐚𝐫𝐭Onde as histórias ganham vida. Descobre agora