Minha vizinha

6.3K 130 19
                                    

Morávamos em uma cidade, parecia mais um interior, nada de novo. Até que se mudou ela..
Ela tinha cara de mulher de programa, uma mulher bem vulgar, vestidos colados e roupas com cores bem chamativas. eu a observei e ela parecia ser bem gente boa, sorria e falava com todos.
um dia ela veio a minha casa pois a vizinhança ia dar uma festa, era uma festa local para comemorar o "dia do milho"
(falei que aqui era um interior)
cada vizinho tinha que dar um prato. minha mãe ia fazer sua bela torta de milho recheada com carne seca e nata. Já a vizinha ia dar um doce, e ela veio aqui em casa pedir ajuda da minha mãe.

-"olá sou a vizinha nova, ainda não nos apresentamos... sou bia, prazer!
-"oi, prazer meu nome é marta. como posso ajudar?
-"bom, eu fiquei responsável por fazer doces, mas não faço a mínima ideia do que fazer, queria pedir uma ajuda da senhora se possível.
-"ah claro, bom agora, agora, não dar. mas eu tenho um livro de doces, e minha filha desocupada vai lhe ajudar a fazer, ela sabe tudo do livro.
-"se você não se importar, eu vou adorar.."
-"me importo nada, ela aqui não faz nada mesmo. OH JULIA DESCE AQUI MENINA.
-" o que é mãe
-"você vai ajudar a bia a fazer doce.
ela olha pra mim e sorri, eu retribuo.
-"agora não dar mãe..
-"então não tem problemas, eu só pego o livro mesmo"
-"não mulher que isso, ela vai sim! *cuida julia, não quero deixar ela sozinha com meu livro, vai que ela rouba sei lá* sussurra pra mim
-"para mãe (sussurro pra ela) então eu vou.
-"ah que bom

Eu peguei o Livro e fui para sua casa, ainda estava montando as coisas mas tava bem arrumada.

-"bom vamos começar!" (falou ela)

Pegamos as coisas e começos a fazer um doce que estava de acordo com o que ela tinha. fiquei mexendo a tigela com os ingredientes quando ela chegou por trás de mim e colou seu corpo no meu, deu pra sentir o seus seios nas minhas costas e o bico do seu peito bem durinho. ela deixou cair a colher no chão, e pediu para pega. quando fui pegar a colher, ela estava encostada ao balcão de vestido colado, e deu pra ver bem suas pernas macias e olhei pra cima e vi sua calcinha preta de renda, que dava pra ver a testa e a linha da sua buceta. me fazendo ficar com tesão, eu nunca sentir isso por nenhuma mulher.

-"e-e sua colher
"obrigada linda

Engoli seco, e continuei fazendo o que ela pediu. comecei a mexer quando ela foi até em mim, por trás pegou no meu braço e começou a mexer a colher.

-"assim linda, pra não perder o ponto.
ela se afastou e me deu um beijo na bochecha e falou: espero que não fique chateada, quero que fique perfeito para não desagradar os vizinhos"
-"não que isso, tudo bem...

Continuei mexendo, quando ela foi colocar a farinha na tigela, "sem querer" ela derramou em mim.

-"ah linda, me desculpa, deixa eu te limpar"

ela começou a me limpar, passando a mão nos meus peitos, como eu estava sem sutiã por eles serem pequenos, ela teve acesso a eles livremente. teve uma hora em que ela passou os seus dedos sobre o bico do meu peito, e ficou passando.

-"aqui tem bastante farinha, linda"
-"ta-ta certo"

isso me deixou bem molhada lá em baixo.

-"seus peitos são bem pequenos né, você tem quantos anos?
-"18"
-"dar pra colocar silicone já, olha os meus"

Ela levantou seu vestido mostrando todo o seu corpo, e ficou mostrando seus peitos siliconados.

-"tá vendo? eles eram pequenos também
-"você sente algo? dor sei lá
-"não boba, me dar sua mão

ela pegou minha mão e colocou nos seus peitos, massageando eles e apertando, isso me deixou bem molhada, eu fiquei fissurada e comecei a apertar sem ela precisar apertar.

Lésbicas +18 Onde as histórias ganham vida. Descobre agora