Capítulo 5

4.1K 645 100
                                    

A festa se espalhava pela sala, pelo jardim e a grande maioria dos convidados se encontravam próximos a piscina onde além do bar eram servidos os aperitivos.

— Achou algo bom? — Perguntei a JJ depois de ver o garoto cuspir algo no guardanapo.

— Quer uma dica? O que parece bom também é ruim — O Maybank disse me fazendo sorrir, na verdade aquelas comidas caras não parecem boas.

— Devo me preocupar já que só por ver já acho que nada disso é bom?

— Não é exatamente nada — Ele esticou o braço pegando um pequeno copinho com algo roxo — Isso aqui é bom.

Abri os lábios deixando o garoto me servir com sua própria colher, tentei adivinhar qual seria o sabor daquilo.

— Realmente — Concordei com sua observação — Mas o que é?

JJ sorriu ladino.

— Tenho até medo de descobrir — demos risada juntos com a situação — Quer ver se achamos algo bom pra beber?

— Você quer dizer, vamos criticar tudo o que não é cerveja?

— Melhor eu ser mais claro, vamos criticar por não ter cerveja aqui, vai por mim, eu já procurei.

— Então já que vamos entrar na minha área de destilados preciso te dizer desde já, gin vai ser uma ótima primeira escolha — Comentei enquanto andávamos lado a lado.

— Me impressione — Ele disse virando o rosto para encarar o meu — Se conseguir me fazer gostar de uma dessas coisas vai me ter em suas mãos para sempre.

— Olha que eu vou levar isso a sério, Maybank.

Virei um pouco meu rosto trocando um olhar atento com ele antes de voltar a encarar o meu caminho.

Apoiei meus braços sobre o balcão e chamei o garoto hoje responsável pelas bebidas, pedi duas doses de gin com especiarias.

Quando as duas taças coloridas foram colocadas sobre o balcão JJ e eu tocamos uma na outra em um brinde.

Observei as feições do pogue enquanto ele experimentava a bebida.

— E então?

— Parece o tipo de coisa que vai me deixar bêbado com uma taça.

— Não é isso o que queremos?

Brinquei tomando um pouco da minha taça.

— Até que enfim alguém nesse lugar com as mesmas metas que eu — Confessou me fazendo sorrir mais uma vez.

Baby Sister - Rafe CameronOnde as histórias ganham vida. Descobre agora