Capítulo 35

4.9K 695 462
                                    

Eu estava a caminho da mesa assim que peguei a minha bebida, mas Sarah me impediu de chegar ao meu destino.

— Qual o seu problema?— Sua voz soou carregada de raiva.

— Posso te dizer que tenho um monte deles, especifique o de seu interesse.

— Não seja engraçadinha, Alina, esse seu papel de garota boazinha já deu o que tinha que dar.

Aí gente, eu não suporto ela.

Percebi isso agora.

— Você pode brincar de vadia com Rafe e John B, mas de maneira alguma deve colocar o meu pai nos seus joguinhos.

Tomei um pouco da minha bebida engolindo toda a minha vontade de discutir com ela aqui no meio desse monte de gente rica.

— Fica longe do meu pai.

— Sarah, sinceramente? O seu pai e eu já somos maduros o suficiente para tomar a decisões do que queremos ou não fazer, isso sem a necessidade de  opinião de uma garota de 16 anos que mal sabe cuidar de si mesma.

— Você não me conhece, não conhece nenhum de nós.

Percebi que essa "conversa" já começava a chamar atenção demais.

— Você também não me conhece, Sarah. Você não sabe de absolutamente nada e está vindo até mim com afirmações e acusações como se eu precisasse ouvir sermão seu — Dei um olhada a nossa volta um pouco constrangida pela situação — Se eu quiser transar pode ser com o John, com o Rafe, com seu pai e com qualquer outra pessoa de Outer Banks o problema não vai deixar de ser meu e de quem se deita comigo então se você não tiver um motivo plausível para descontar as suas frustrações em mim prefiro que evite me arrastar para esse mundo encantado de princesa que as pessoas fizeram você acreditar que vive e que governa.

Passei por ela deixando a kook sozinha com seus pensamentos.

Me sentei ao lado de Wheezie.

— Sarah pareceu zangada, vocês brigaram?

— Não, sua irmã só está precisando arrumar algo para fazer — Falei a ela não querendo deixar a relação de irmãs delas ainda mais distante.

Beberiquei minha bebida olhando pela festa sem muita expectativa por diversão.

— Se você ficar encarando vai dar muito na casa — Falei a Wheezie que ficou vermelha no mesmo instante parando de olhar para o garoto pelo visto de sua idade que usa aquele corte Justin Bieber antigo.

O da franja em baby.

— Não estou encarando, você que está.

A garota desconversou.

— Gosta dele?

— O que? Não, ele é da minha escola só isso.

Wheezie tem 13 anos, é uma idade difícil para entender o que está começando a sentir. Ao mesmo tempo que você não repara em uma pessoa que te atrai, você repara.

É quando começa aqueles flertes por bilhetinhos e no meu caso foi quando um garoto colou chiclete nos meus cabelos pra poder falar comigo quando me ajudasse a tirar.

Eu só fui descobrir que ele havia feito aquilo anos depois, infelizmente não consegui encontrá-lo para uma vingança descente.

Mas foi divertido aquele dia, pelo que eu me lembre o único em que nos falamos.

Não tinha como um relacionamento que começa com o meu cabelo precisando ser arrebentado e cortado desse certo.

— Devia falar com ele, perguntar sobre as férias ou só comentar sobre como tem gente aqui.

— Esquece isso, Alina — Ela disse mais grosseira pela vergonha — Já disse que é só um garoto do meu colégio, eu não gosto dele e não vou falar com ele.

— Quer que eu vá? Posso dizer que tem uma garota muito legal querendo ser a namorada dele — Falei brincando.

— Se você for eu digo ao meu irmão que você gosta dele.

— Mas eu não gosto.

— E em quem ele vai acreditar?

— Você é uma garota má, Wheels, gosto disso em você.

— Podemos só esquecer esse assunto?

— Por enquanto? Sim.

A menina se levantou ajeitando o vestido.

— Vou ficar um pouco com a Sarah — Ela usou a irmã como desculpa para não falarmos mais.

Concordei com a cabeça antes dela se distanciar, ajeitei minhas postura aproveitando o meu momento sozinha.

Baby Sister - Rafe CameronOnde as histórias ganham vida. Descobre agora