Capítulo 58

10.7K 1K 1.1K
                                    

Capítulo final

— Tem certeza que aquela garota vai concertar seu namorado psicopata?

Me virei para ver o que Pope encarava, a garota com os óculos de sol na cabeça vestindo além de um biquíni preto pequeno uma saida de praia aberta carecia feliz em beber com Topper enquanto falava.

— Ela parece legal — Comentei.

— Aquilo é uma tatuagem?— Apertei os olhos para enxergar e dei um sorriso malicioso — Ela tem uma tatuagem lá?

— Você nem deveria estar olhando lá — Dei uma cotovelada nele — Mas parece uma tatuagem.

Pope se virou para frente encarando o azul do mar.

— Espero que de tudo certo pra você, sabe, que você não termine em uma cova ou desaparecida por tentar salvar alguém que não tem concerto — Revirei os olhos com o pessimismo.

— A Lizzy vai ajudar, Pope — Confirmei — Ela não parece interessada em saber mais sobre agora que está tomando sol e bebendo como se fosse uma festa particular em um iate, mas talvez se interesse depois.

— Você se apaixonou mesmo por ele.

— Era você.

— O que?

— Aquela vez na praia você insinuou que talvez eu fosse apaixonada pelo JJ, mas eu era louca por você.

— Como assim? Não faz sentido, nós nunca tivemos nada.

— Talvez seja por isso, você nunca deu em cima de mim ou me tratou como mais uma das suas conquistas. Nunca me procurou apenas quando precisava de alguém ou quando precisa de ajuda para chegar em alguém, era diferente. Você me encantada por ser inteligente e sempre saber as palavras certas para aconselhar as pessoas mesmo que seja ignorado.

Dei um sorriso me lembrando do sentimento.

— Eu comecei a gostar de estudar de verdade porque era o pouco que tínhamos em comum e eu sempre pensei que se eu fosse inteligente o suficiente você fosse gostar de mim, mas você já era apaixonado pela Kiara.

— Eu nem sempre fui.

— Não precisa se explicar, eu também sempre tive um pequeno barranco por ela. Eu admito que gostava de você, mas se ela me desse uma pequena moral toda aquela paixão ia embora.

Sorrimos.

— Eu e ela, não acho que vá dar certo.

Observei o rosto do meu amigo enquanto ele mantinha os olhos lá na frente.

— Kiara e eu somos pessoas tão diferentes, pra começar que a mãe dela me odeia.

— A mãe dela odeia todo mundo.

— Mas é diferente quando você namora a filha de um casal kook, você teve sorte que é uma ou acha que Ward Cameron iria aceitar esse namoro?

— Noivado.

Eu não havia contado ainda.

— Você não tem medo da morte?

Opostos - Rafe CameronOnde as histórias ganham vida. Descobre agora