Capítulo 49

6.3K 833 501
                                    

Capítulo 49

— O tio vai ficar bravo, Naya.

John B reclamou enquanto me dava pezinho para alcançar a parte alta do guarda roupas.

— Eu sei que ele escondeu o jogo aqui — o garoto magricela cambaleou — Não me deixa cair.

— Nem se eu cair junto, mas anda logo.

Puxei a caixa grande descendo da mão dele logo em seguida.

— Não foi difícil bocó — coloquei a caixa sobre a cama.

— A gente não pode mexer nisso — Ele disse se sentando para ver melhor o que deveria ter ali.

— E você não está curioso?

Se tem algo que ele é, esse algo é curioso.

John se adiantou em se levantar e fechar a porta para dificultar quando formos pegos.

Quando ele retornou abri a caixa encontrando o banco imobiliário velho que combinamos de levar para jogar com Pope e JJ.

— Viu? Eu estava certa — Me exibi vendo ele fazer careta logo em seguida esticando a mão para mexer melhor na caixa — Quem é essa?

Olhei a foto de uma mulher de cabelos pretos curtos sentada sobre uma cama de hospital com um bebê enrolado em tecido verde e um garoto com um ou dois anos que segurava um pequeno golfinho de pelúcia próximo ao rosto.

— Como eu poderia saber? Mamãe tem uma família enorme.

Não dei atenção pegando outro papel.

— Esse tem o meu nome — Falei já prestes a abrir a carta.

— Mas ninguém te deu isso, e se for algo ruim e você não gostar de ler?

John me fez pensar.

— Se eu perguntar vão saber que a gente mexeu — Lamentei lendo o verso do envelope — "Para Naya, abra quando eu partir"

— Quando quem partir?

— Partir tipo pizza?

— Partir como partilhar sua tonta.

Revirei os olhos.

— Você também não é muito esperto John B, você tem 9 anos e não sabe toda a tabuada.

— Você só sabe porque fica puxando saco para o Pope te ajudar.

— Pelo menos eu uso meu cebebro.

— Celebro — Me corrigiu.

— Tenho certeza de que estou certa.

Colocamos tudo de volta na caixa.

— Quando eu receber essa carta vou chamar você para abrirmos juntos, não fique muito curioso.

— Vê se não vai esquecer de mim até lá.

Opostos - Rafe CameronOnde as histórias ganham vida. Descobre agora