Four

34.8K 4.1K 3.5K
                                    

A fic quase toda vai ser narrada pelo Jk

  Jungkook

Dei um banho em Jimin para tirar toda a porra existente em seu corpo e agora estamos na cozinha, ele pediu chocolate quente e Jin está fazendo pra ele

Ele está todo manhoso passando o rostinho em meu peito, Jin trouxe um amigo psicólogo e meu anjinho fez uma sessão com ele, não rendeu muita coisa já que ele estava com medo e só ficou com o rostinho escondido no meu peito

Com o passar dos minutos eu fui fazendo as perguntas que o rapaz ia me passando e ele respondia baixinho, não forcei porque não ia adiantar, isso tem que ser com calma e paciência

Jimin não é uma criança e nem age como uma, ele só fala em terceira pessoa porque acostumou assim e é manhoso porque ele se apegou ao mínimo carinho que recebe, no caso muito carinho que eu lhe dou, então ele gosta de ficar se esfregando em meu peito atrás de mais e gosta de ganhar beijinhos e dormir agarrado comigo, meu bebê só precisa entender coisas que lhe foi tomado a força, coisas sobre o mundo em si

Quando ele escutou Tae falando sobre sexo ele ficou curioso mas eu não quis assusta-lo, eu lembrava perfeitamente que ele não sabia o que era fuder mas tinha medo pelo "pai" colocar a palavra sangue junto, então ele associou a uma coisa ruim, dolorosa

-Anjo -Ele me olhou na mesma hora -Você sabe o que nós fizemos hoje?

-Não Kookie, o que? -Ele estava atento me olhando

-Amorzinho -Suspirei, não queria tirar a inocência dele, mas tenho que deixar ele ciente do que fizemos e do que vamos chegar a fazer um dia -Existe alguns jeitos de fazer amor e o que nós fizemos é uma delas -Não estou mentindo, sexo não é só penetração

-Eu gostei de fazer amorzinho -Ele também falava baixo igual eu -Podemos fazer de novo? Depois

-Quando você quiser -Deixei um selinho em sua boca e logo Jin apareceu com uma caneca de chocolate quente

-Obrigado Jin -Sorriu pra ele e Jin foi pra apertar suas bochechas -Não não, não pode -Negava com a cabeça e dedinho, Jin ergueu a mão em sinal de rendição

[...]

Estou no galpão com o carrapatinho, os meninos pegaram parte de uma gangue que tentaram roubar minha carga, era uma guangue bem pequena e bem corajosa, pra tentar me roubar não pode ter medo da morte

Ele estava sentado em um sofazinho com as perninhas pra cima enquando assistia desenho no meu celular, até Tae assiste desenho porque ele não pode?

Eu não ia tirar ele de perto de mim então coloquei fone de ouvido nele para que não ouvisse tantos gritos

-Sejam bem vindos, estão confortáveis? Querem uma cadeira de massagem? -Perguntei cínico

-Você não presta Jeon -Hoseok falou sorrindo assim que entrou no galpão -Milagre, não trouxe Jimin

-Aquele ali? -Apontei pro carrapatinho concentrado na tela do celular, ele negou com a cabeça e foi até os namorados -Então vamos acabar logo com isso, já sei o que fizeram e a consequência é a morte -Não gosto de enrolar

-Deixa eu, por favor Jeon deixa eu -Tae implorava juntando as mãos

-Deixa um pra mim -Dori falou pegando uma das facas de Tae e recebendo um olhar feio do mesmo

-Podem ir -Fiquei olhando Tae escolher uma filha sua enquanto Dori já tinha cortado o pescoço de um deles e ficou olhando de pertinho o sangue esguichar

Taehyung ficou brincando de tiro ao alvo com os sortudos, ele dava uma distância e depois jogava cravando a faca em algum lugar, Dori achou legal a "brincadeira" e agora os dois estão apostando quem acerta primeiro no lugar que Yeri escolhesse

Protegido do MafiosoOnde as histórias ganham vida. Descobre agora