Three

50.4K 5.9K 6.3K
                                    

  Jungkook

Já fazia duas semanas que o carrapato mora comigo, na minha casa, no meu quarto

Eu até mandei que arrumassem um quarto pra ele, ficou todo colorido e bonitinho, mas quem disse que ele quis dormir lá? Mais de jeito nenhum, como diz ele "Quero dormir com meu Kookie" e pronto, ele dorme comigo e o quarto que era meu agora é nosso

Nesse meio tempo percebi que estou apaixonado pelo Jimin e que eu sou muito ciumento em relação a ele, não que eu tenha motivos, ele ainda não conversa com ninguém, responde uma coisa ou outra que os meninos perguntam

Tive que arrumar um quarto e serviço para Rosa também, meu carrapatinho pediu para trazer ela e eu não consegui negar, ela deve ter seus 38 anos mais ou menos e sempre brinca com Jimin quando eu estou muito ocupado

Rosa conversou comigo e me contou que Jimin tem muito trauma, ele foi muito mau-tratado desde pequeno então ele tem muito medo ainda e vai levar um tempo pra mudar, ele não é assim comigo porque ele confia em mim e se sente seguro mas que com todas as outras pessoas ele vai ter sempre desconfiança

É compreensível, pelo que ela me disse por auto ele sofreu muito e todas as pessoas que se aproximaram dele foram pra maldade então eu não tiro sua razão, ter medo é compreensível e nós vamos trabalhar nisso

Seok examinou ele três vezes já durante essas duas semanas, não foi fácil, ele só deixava que Jin tocasse nele se estivesse no meu colo ou se eu estivesse segurando suas mãozinhas, nos primeiros exames mostrou que ele estava desnutrido e com começo de anemia, agora ele está melhor, hoje é a última bateria de exames que ele tem que fazer

Deixei ele dormindo no consultório que temos aqui para deixar todos os equipamentos de Seok e fui pra sala resolver uns assuntos, ia ser rápido então não tinha perigo deixar Jimin com Jin, não que eu não confiasse nele, mas se o carrapato começasse a chorar só eu conseguiria acalmá-lo, como ia ser rápido recebi eles na sala mesmo

[...]

Retiro o que eu disse, não foi rápido, está uma enrolação nisso aqui que já está me dando nos nervos, ja estava prestes a matar todo mundo quando escutei um choro alto sendo seguido de um grito e chamados por meu nome

-Carrapato -Levantei rápido e sai correndo atrás do baixinho choroso deixando os homens falando sozinhos pra trás

Cheguei mais rápido do que eu imaginei que pudesse e Jimin estava na maca encolhido abraçando seus joelhos enquanto chorava sem parar, Jin tentava acalmá-lo falando que eu não tinha abandonado ele, mas ele não parecia acreditar

Pesadelos, ele tem pesadelos que em algum momento eu vou abandoná-lo e entregar ele de volta pro homem mal e voltar a passar por tudo de novo, cheguei perto e toquei em seus cabelos, mas ele retirou minha mão do local ainda de cabeça baixa

-Não, por favor não toque no Jimin -Ele soluçava tanto que eu estava com dó -Chama o Kookie, ele não me deixou não é?

-Eu não te deixei meu amor -Só notei pelo que eu tinha chamado ele quando Jin murmurou "meu amor", mas não ligo ele é meu amor mesmo -Eu estou aqui, seu Kookie está aqui -Peguei ele no colo e comecei a acariciar suas costas, com o tempo ele foi se acalmando e passou a cheirar meu pescoço, ele já falou várias vezes que gosta do meu perfume e desde então eu passo todo dia

Boiola talvez?

Ele voltou a dormir por ter chorado muito, mas ainda soluçava bastante

-Já terminou tudo Jin?

-Sim, terminei já tinha um tempo, mas como ele estava dormindo quietinho e você estava ocupado, eu decidi deixar que ele dormisse -Assenti acariciando meu anjo -Os exames estão ótimos, sua saúde está ótima e ele se recuperou bem

Suspirei aliviado, agradeci a meu amigo e desci levando o carrapato comigo pra sala, quando voltei tinha uma moça junto com os homens

-Jeon essa é minha filha Mina -Assenti não dando muito moral e me sentei ajeitando o bebê dorminhoco no meu colo -E quem é esse rapaz? -Povo curioso eu em

-Meu namorado -Ele não é ainda, mas logo será. Mesmo dormindo ele deixou um beijo em meu pescoço -Agora vamos para o que interessa

Eu nunca encostei nele com segundas intenções, não que eu não quisesse beijá-lo ou até fazer coisas a mais com ele, eu queria e ainda quero muito, mas eu não quero só usar ele então isso é o de menos

Resolvi tudo e subi pro quarto com meu grude de sempre, deitei na cama com ele cima de mim e acabei dormindo

Acordei com um carinho no meu pau mas não reagi de primeira, mas quando me lembrei que só estava eu e Jimin no quarto eu arregalei os olhos olhando pra ele, eu intervalava o olhar entre sua mão sobre meu comprimento e seu rostinho total inocente

-Boa tarde Kookie -Engoli em seco, meu Deus o que esse menino ta fazendo -Porque seu pipi ta duro? -Ele deu um aperto e eu acabei gemendo -O meu não tá -Ele pegou minha mão e levou até o dele

Eu vou morrer de infarto e não vai demorar, fiquei lutando entre ele ser maior de idade e ele ser meu bebê pitico e por algum motivo a primeira opção ganhou

-Quer que o seu fique duro também? -Ele assentiu animado e eu deitei ele na cama e fiquei por cima

Colei nossos lábios em um selinho rápido, nós já tínhamos feito isso , ele sempre me pede beijinho pra dormir e eu comecei a dar selinhos nele, quando ele me disse que Rosa também lhe dava beijos de boa noite eu quase surtei

"Ela beija sua boca Jimin?" Não nego que fiquei com ciúmes

"Não Kookie ela da beijos na testa" suspirei aliviado e desde então nós trocamos selinhos todas as noites

O que era pra ser só um selinho evoluiu e eu comecei a passar a língua por seus lábios

-Abre a boca amor -Ele abriu um pouco e eu voltei a colar nossas bocas, enfiei minha língua na sua boca e nós começamos um beijo calmo, era notável ser seu primeiro beijo, ele era bem inexperiente, mas não me importo

Um tempo depois ele já estava pegando o jeito e ficou tudo mais gostoso, levei a mão até sua cintura e apertei com uma certa força fazendo ele gemer, desgrudei nossas bocas quando a falta de ar se fez presente e fiquei olhando pra ele

Todo vermelhinho enquanto me olhava, coloquei as mãos no coz da sua bermuda e puxei pra baixo deixando ele só de cueca e blusa, essas peças que logo abandonaram seu corpo também

Voltei a beijá-lo de novo, ele abraçou meu pescoço com os bracinhos curtos e deixou lá, abaixei minha mão até estar em contato com seu pau

Fui acariciando até sentir que ele estava semi ereto depois comecei uma masturbação moderada, ele gemia em minha boca e começou a arranhar minhas costas por cima da blusa, desgrudei nossas bocas e tirei minha blusa e já colei nossas bocas de novo

Quando senti ele bem duro sobre minha palma eu fui dando beijos por seu pescoço branquinho, peito, mordi os mamilos eriçados, barriguinha, virilha e seu pau esse que eu coloquei na boca de uma vez ouvindo ele soltar um gritinho, chupei por uns bons minutos, depois disso não demorou muito para que gozasse em minha boca

Eu ergui meu corpo e abaixei minha calça e cueca e comecei a masturbar meu pau rapidamente e em poucos segundos gozei sobre seu corpinho jogado na cama, porra gozei só de lhe dar prazer

Gozei tanto que tinha porra até e sua bochecha, suspirei cansado caindo ao lado dele

Assim que minha respiração se normalizou eu guardei meu pau e subi encima dele de novo lhe dando outro beijo

-Gostou bebê? -Lhe dei vários selinhos fazendo com que ele sorrise cansado

-Gostei muito amor -Assim que ele falou escondeu o rostinho com as mãos, sorri beijando as duas mãozinhas e tirei de seu rosto lhe dando outro selar, ele estava vermelho provavelmente de vergonha

-Sou seu amor é? -Sorri sapeca e ele assentiu me puxando para esconder o rosto em meu pescoço -Você também é o meu amor -Ele sorriu lindamente pra mim

Protegido do MafiosoOnde as histórias ganham vida. Descobre agora