━━ 16.

7.5K 1.1K 1K
                                    

𝗥𝗔𝗙𝗘

Ops! Esta imagem não segue as nossas directrizes de conteúdo. Para continuares a publicar, por favor, remova-a ou carrega uma imagem diferente.

𝗥𝗔𝗙𝗘.

Faço toques de mãos com todos os caras logo no fim do treino. Elogio alguns e faço críticas construtivas a outros, afinal, eu sou o capitão e precisava estar à frente do desempenho do meu time. Em geral, ninguém treinou mal e isso me deixava feliz. O campeonato estava cada vez mais perto e minha dificuldade pra dormir aumentava. Hóquei é a minha vida desde que eu era moleque. No gelo, é como se eu flutuasse em cima das lâminas dos patins e a liberdade bombeasse minhas veias mais que sangue. Talvez eu tenha dado sorte de escolher qual carreira seguiria pelo resto da vida muito cedo. Outros chamam de azar, já que muito cedo, eu comecei à treinar feito um adulto. Tudo com um "treinador" particular, que se eu não fizesse as coisas direito ou errasse um passe, levava porrada até aprender a andar na linha.

Mais conhecido como meu pai.

Sem perceber, toco minhas costelas, o lugar que Ward Cameron mais gostava de bater com meus próprios patins infantis. Inúmeras vezes fiquei com cortes pelo contato das lâminas afiadas dos mesmos contra minha pele. Nunca era nada profundo demais, mas ainda assim, é bizarro pensar que o cara que queria "me preparar pra enfrentar de tudo no rinque" já me deixou cicatrizes que eu precisava inventar a melhor das desculpas para dar quando alguém notava. Já tinha dito de tudo. Arranhão de gato, arranhão de mulher. Em hipótese alguma eu poderia dar o mole de deixar escapar que os meus hematomas tinham sido obra do cara que todo mundo naquela merda de universidade admira.

Acabo respirando fundo. E, como num toque de anestesia, a mão de JJ sobre o meu ombro assim que retiro a blusa do meu uniforme apaga todos os meus pensamentos sombrios sobre o meu passado.

⏤ O treinador Collins mandou te chamar lá na sala dele. ⏤ o loiro me avisou.

Não posso evitar franzir a testa. Hoje, pela minha própria percepção extremamente perfeccionista, eu não havia cometido erro algum no gelo. Na real, em todos os treinos me esforço pra manter a linha. Não conseguia pensar num motivo técnico pra Collins querer falar comigo. De qualquer maneira, apenas aceno com a cabeça para JJ e quando termino de tomar banho, acelero os passos na direção da sala do treinador.

⏤ Treinador Collins? JJ disse que queria falar comigo. ⏤ é a primeira coisa que digo quando adentro sua sala.

O homem de aproximadamente uns quatro centímetros mais alto que eu está sentado em sua cadeira giratória com o rosto levemente neutro. Logo indica com a cabeça para que eu me sente à sua frente e assim o faço. Me aconchego por trás de sua mesa de escritório e esfrego as mãos nas coxas, esperando que ele começasse à falar.

⏤ Seu pai conversou comigo. ⏤ uniu as mãos sobre a mesa.

No mesmo instante, me arrependo de ter escutado JJ e entrado naquela merda de escritório.

𝐓𝐎𝐗𝐈𝐂, 𝗰𝗮𝗺𝗲𝗿𝗼𝗻. ✓Onde as histórias ganham vida. Descobre agora