Capítulo 45

7.3K 888 274
                                    

Bagunça, a minha casa está uma bagunça.

É vergonhoso saber que eu convidei alguém para vir aqui nesse lixão e nem me lembrei dessa bagunça.

Espero que em algum momento da vida a única coisa bagunçada aqui seja eu.

Vassoura, sabão, pano, rodo. O quarteto fantástico da tranquilidade interior, ninguém se sente mal com a casa limpa.

Bom, eu me sinto, mas não preciso estar o tempo todo feliz.

Mas eu me sinto aliviada com a casa limpa, depois de um banho pareceu estar tudo limpo.

Me olhei no espelho me achando ridícula por ter vestido um vestido florido bonitinho porque o Rafe viria aqui.

— Parabéns, vai parecer uma garotinha apaixonada — Briguei comigo mesma antes de trocar o vestido por uma camisa preta do Homer Simpson segurando uma rosquinha que chega até a metade das minhas coxas.

Passei a toalha por meus cabelos tentando seca-lós ao máximo e os deixei soltos, passei um gloss labial voltando atrás alguns segundos depois tirando tudo.

Eu não quero que ele pense que eu me arrumei porque ele viria, porque eu faria isso?

Não teria sentido.

Quando ouvi o som das batidas na porta me olhei mais uma vez no espelho, beleza, eu sou bonita sem precisar me esforçar para ser bonita.

Ou não, limpei minhas mãos na roupa descendo as escadas, elas pareciam soar depois para apenas mais uma noite.

O Rafe já veio aqui, não faz sentido todo esse nervosismo.

Abri e a porta tentando me manter plena.

— O jantar terminou rápido — Brinquei dando espaço para que ele entrasse.

— É, terminou bem cedo eu só precisei passar em casa — Rafe disse e eu apenas assenti fechando a porta.

Clima estranho....

— Quer subir? Eu estava terminando de guardar a roupa limpa, depois podemos fazer alguma coisa.

Guardar a roupa limpa? Eu nem lavei roupa.

— Claro, pode ser — Rafe respondeu e eu saí andando na frente entrando no meu quarto primeiro.

Andei até a cama pegando o vestido e o colocando em uma gaveta qualquer, a toalha que estava na beirada da cama eu tirei colocando-a na porta do banheiro.

Rafe ainda estava na porta do quarto me encarando quando eu parei o que fazia.

— O que foi? Vai ficar parado aí?

Perguntei tentando agir normalmente.

— Eu só não quero atrapalhar seja lá o que você está fazendo — Ele disse um pouco depois.

— Você pode atrapalhar o quanto quiser — Falei por fim me sentando na beirada da cama.

Algo estava errado, eu não tenho mais problemas em rodar atitude ou em ser vista nua. Qual é eu não sou mais uma garota tão insegura, o que Rafe Cameron tem feito com os meus sentimento?








Quer acompanhar uma comédia romântica levinha entre uma nadadora e um músico? Todos os sons do nosso andar está disponível no wattpad AutoraKamila

Opostos - Rafe CameronOnde as histórias ganham vida. Descobre agora