━━ 9.

7.3K 1.1K 816
                                    

𝗔𝗩𝗘𝗥𝗬

Ops! Esta imagem não segue as nossas directrizes de conteúdo. Para continuares a publicar, por favor, remova-a ou carrega uma imagem diferente.

𝗔𝗩𝗘𝗥𝗬.

Enquanto assistia à mais um episódio de Narcos, devoro toda uma caixa de bombons. Fui liberada do laboratório mais cedo hoje, então digitei pra Sarah pra que pudéssemos fazer alguma coisa durante a tarde. Me respondeu dizendo que estava no centro comprando algumas coisas pra um almoço na casa dos pais no fim de semana e que já voltaria pro alojamento. Decidi me adiantar um pouco, já que ela era fissurada nessa série e estava alguns episódios à frente de mim.

Apesar de estar fazendo frio, trajo apenas um blusão largo e calcinha por baixo. Equilibro o Notebook em minhas coxas e, vez ou outra, pego os bombons dentro da pequena caixa de papel ao meu lado. Posso dizer que estou em paz mental. Desejo mentalmente que nosso alojamento tivesse cozinha, porque à essa altura, me deliciaria com um brigadeiro de panela e choramingaria se meus chocolates acabassem.

O som da porta do meu quarto ultrapassa o som das vozes dos personagens. Não levanto a cabeça pra olhar, pois sei que em cinco minutos, Sarah se jogaria ao meu lado pra continuarmos a maratona juntas.

Mas isso não aconteceu. Não escutei sua voz tagarela dizendo sobre qualquer coisa que aconteceu com ela enquanto estava na rua e nem mesmo senti o peso de seu corpo ao lado do meu no colchão. Franzo a testa e viro pro lado, arregalando os olhos como se tivesse visto um fantasma.

Puxo o edredom na velocidade da luz pra cobrir minhas pernas nuas. Assim como eu, Rafe está confuso. Ele cruza os braços fortes na altura do peito e eu pauso meu seriado, olhando em seus olhos logo depois mesmo que eu não quisesse.

⏤ O que tá fazendo aqui? ⏤ sua voz me questionou.

⏤ É o meu quarto ⏤ respondo como se fosse óbvio. ⏤ o que VOCÊ está fazendo aqui?

Meu ênfase o fez mexer a mandíbula, nitidamente desconfortável com a situação. Não sei. Rafe agia como se me odiasse após ter sacado as minhas intenções. É temporário. Caras como ele não tinham tempo pra se importar com coisas tão estúpidas. Caras como ele não ligam pra nada nem pra ninguém, na verdade.

⏤ Sarah me chamou pra passar um tempo com ela. Me disse que você e a Kiara estariam em aula até mais tarde. ⏤ se explicou.

⏤ Bom, ela não mentiu ⏤ relaxei os ombros. ⏤ fui liberada mais cedo.

⏤ Ah ⏤ emite, apenas.

Como eu esperava, o silêncio predominou no quarto. Eu detestava esse tipo de clima e mesmo que não quisesse de forma alguma dividir minha série com ele, suspiro ao me dar por vencida. Sarah me paga.

Chego pro lado, puxando o cobertor ainda mais pra cima pra tampar meu corpo, então, sinalizo com a cabeça pro espaço livre ao meu lado.

⏤ Senta aí.

Eu vi Rafe abrindo a boca pra me negar ou dizer algum insulto, mas assim como eu, ele provavelmente não tinha pra onde correr. Também se dá por vencido. Ele se senta sobre minha cama e puxa o cobertor. O impeço, pegando o mesmo em minhas mãos e lhe olho irritada.

⏤ De jeito nenhum. Pega um da Sarah. ⏤ ele levanta as sobrancelhas.

⏤ Quer dividir a cama, mas não o cobertor? Isso nem faz sentido, gata.

E eu vi. Vi o maldito sorriso galanteador nascer no seu rosto. E, naquele momento, quis tira-lo da sua cara na base da porrada.

⏤ Foda-se, não vou dividir minha coberta com você. Caça a sua. ⏤ respondi, voltando a abrir a tela do meu Notebook.

Rafe bufou e pegou a coberta da cama de Sarah. Se aconchegou ao meu lado e eu dei play na série. Com dois segundos da minha ação, ele já abriu a boca.

⏤ Você assiste Narcos? ⏤ parecia surpreso.

⏤ É a melhor obra da Netflix. ⏤ não tiro os olhos da tela.

⏤ Não conheço muitas pessoas que gostem ⏤ fica quieto antes de começar a falar novamente. ⏤ porque, na real, a maioria acha violento demais e...

⏤ Dá pra calar a porra da boca? ⏤ esbravejo.

Rafe levanta as mãos em rendição e não diz mais nada. Agradeço-o mentalmente por isso.

No desenrolar do tempo, percebo como ele se aninha ao meu lado, deixando a pose rígida e até mesmo encostando seu rosto no meu ombro. Franzo a testa, me irritando de novo. Por que o cara que tinha me dado um fora há poucos dias estava tentando ser legal, sendo que eu claramente sabia que me achava uma escrota por "brincar" com ele e seus amigos?

⏤ O que tá fazendo? ⏤ murmuro.

Não obtenho uma resposta.

Só então, percebo como Rafe literalmente adormeceu no meu ombro.

Fecho os olhos e respiro fundo, controlando minha irritação, mas tento não me mexer muito para não acorda-lo. Quero dizer, ninguém merece ser acordado em hipótese alguma, certo? Merda. Por que eu me meto em situações como essas?

Abaixo o volume do meu Notebook e continua assistindo a série, fazendo o possível para que não desrespeitasse o sono de Cameron. Consigo sustentar boa parte do tempo assim. Porém, alguns minutos depois, eu preciso me segurar para não empurra-lo da minha cama quando ele se aconchega ainda mais do meu lado, abraçando meu corpo como se eu fosse a porra de uma pelúcia. Sinto vontade de morrer.

Eu mataria Sarah.

O som da minha melhor amiga adentrando o quarto quase me fez pular, mas eu estava tão concentrada na ideia de deixar Rafe dormir que apenas lhe lancei um olhar fuzilante. A loira deixou as sacolas de lado, olhou pra nós e arqueou as sobrancelhas. Seus olhos pareciam analisar seu irmão agarrado contra meu corpo feito uma criança por tempo demais. Podia jurar que havia um símbolo de "carregando" no meio da sua testa. Ela logo passou as mãos no rosto, nitidamente incomodada.

⏤ Por favor, só me diz que você não transou com o meu irmão.

Beleza. É oficial. Minhas amigas acham que eu sou uma vagabunda.

𝐓𝐎𝐗𝐈𝐂, 𝗰𝗮𝗺𝗲𝗿𝗼𝗻. ✓Onde as histórias ganham vida. Descobre agora