Por do sol...

172 9 3

- Podemos acabar logo com isso? Sabe que não estou louco nem doente.

- Escute! So posso ajuda lo se estiver disposto a isso.- disse a mulher a minha frente.

- E por acaso alguem me perguntou? Simplesmente minha mãe me trouce prara este lugar sem nem ao menos me explicar o motivo! Não sou louco e nem estou doente. Sera que pode explicar isto para ela? Ja estou cansado de tentar fazer isso e ela não me escuta.- sinceramente não aguento mais as loucuras de minha mãe.

- Talvez você apenas deva seguir os conselhos dela. Ela e sua mãe e esta preocupada!- A olhei fixamente ne levantei da poltrona e fui em direcao da porta.

- Vai você falar com ela! Estou cansado disso. Vou pra casa- disse olhando para minha mãe que aguardava do lado de fora da sala da psicologa. Não esperei que ela dissesse algo fui em direcao do elevador enquanto todos me olhavam. Ja estou acostumado com esses olhares tortos.

Desculpe nem me apresentei. Sou Francisco, mais pode me chamar de Fran é como todos me chamam. Tenho 16 anos 1,70 de altura e 53kg fechados. Estou no segundo ano do ensino medio. Moro em fortaleza junto a minha mãe que anda dando uma de preocupada nesses ultimos três meses e o motivo é simples: meu irmão gêmeo se matou. Ao contrario do que demonstro sua perda não foi superada. Sou bem fechado em relacao a sentimentos e após eu me assumir para minha familia mamãe foi a unica que comecou com essa preocupação toda pelo fato do suicídio de meu irmao Francys ter cido a angustia de não ser aceitado pela familia. Ele me fez prometer que não faria a mesma loucura que ele planejava e se eu soubesse que era isso não teria feito tal promessa. Outro motivo de minha mãe estar dando uma de protetora é o fato de "me ver falando sozinho pela casa", mais não é isso necessariamente. Com frequencia converso com meu irmao ou pelo menos com seu espirito.

Deixa eu falar mais um pouco de mim. Sou bem diferente do restante da familia. Meu estilo sempre é considerado como seguidor do anticristo. Todas as minhas roupas são pretas ou em tons escuros. tenho uma argola preta um pouco grossa no labio inferior do lado direito, meu cabelo grande sempre com uma franja cobrindo uma parte do rosto. Tenho um cordao com um pingente de um crucifixo invertido. Ao contrário do que dizem ser seu significado eu o usso por apenas ter gostado assim como minha colecao de aneis de caveira. Uso brinco nas duas orelhas com o mesmo formato do pingente. Você deve estar pensando que não sou normal. Sabe o que penso? Ninguem é nornal. Para ser nornal se deve seguir um padrão social que ninguem segue. Por que penso assim? Nem eu sei.

Após andar por meia hora cheguei no local marcado com a turma. Isso mesmo não fui para casa. Sou um aborrescente rebelde que não se importa com nada mais que uma boa diversão. O lugar marcado é uma praça no centro da cidade. Todos já estavam la e assim que cheguei seu sorriso foi o primeiro a me receber. Émerson um loirinho foda de um fisico invejavel da minha idade com olhos azuis. Seus cabelos com o mesmo corte que o meu faz com que pensem que somoa irmaos ou algo do timo mais na verdade somos apenas amigos, uma pena, ele tem minha altura e por ter um fisico mais avantajado é um pouco mais pesado. Alexya é uma ruivinha show de bola que logo percebe meu olhar para uma paixão não correspondida. Matheus é o mais novo da turma e desde o primeiro dia, a duas semanas, não desgruda de nos. Ele tem o menos musculo que Jô ( apelido do Émerson pois Josias eh seu segundo nome), seu cabelo é castanho assim como seus olhos. Gostamos de zuar com ele por ser bem branquinho e fica vermelho facil. Tami é nossa morena de seios fartos, sempre de sais curta e botas. Um corte meio desfiado deixa aparecer a tatuagem de uma lotus violeta no ombro. Tudo bem galera sem mais detalhes vamos ao que interessa.

- Demorou mukeke! O que a tia tava querendo dessa vez?- Alexya sempre ia la em casa e ja é tipo da familia.

- Dona Miranda e suas loucuras de novo?- Jô tambem sabe como é minha mae. Ha o nome dela é Miranda.

- Querem falar do meu atraso ou querem perder o por do sol na praia?- tinhamos combinado de ir curtir o por do sol na praia já que era a última sexta feira livre antes da volta as aulas.

- Me convenceu! - Math pega sua mochila e logo ouço o barulho das garrafas se batendo.- Tchau galera.Quem não quiser ter um por do sol na sobriedade que me acompanhe.- Assim foi nossa partida para uma noite que não seria nada mais nada menos que amigos bebendo na praia a noite.

- Mano!- me viro para trás e vejo Francys com um sorriso meio forçado - Você não aprende não é?

- So quero curtir a vida.- Respondi e logo fui puxado por Alexya para dentro do onibus...

Nem tudo é real! -PAUSADO-Leia esta história GRATUITAMENTE!