Capítulo 19 - Uma noite para descansar

842 120 18

Adriel segurou o braço de Isa com força e arregalou os olhos.

- Isso é magia! Magia de cura!

- Exatamente... Magia rara e poderosa... – pontuou Isa de boca aberta. Também não acreditava no que estava vendo.

Mondegärd tossiu e continuava de olhos abertos, mas parecia não estar vendo nada.

- Hmmm... hmmm... – gemeu a kanayr-peixe, enquanto sorria e apontava para o velho enquanto passava a mão na própria face, como se estivesse fazendo um carinho.

- Acho que ela quer que toquemos nele... – teorizou Adriel.

Um tanto assustada, Isa agachou e aproximou-se do mago. Com cuidado, deu tapinhas na face do companheiro. Quando sua mão tocou no rosto do amigo, os olhos de Mondegärd brilharam.

- Monde, está bem? Ei!

O velho levou a mão à cabeça e gemeu.

- Minha cabeça dói... Onde estou?

Isa olhou incrédula para Adriel. Este retribuiu com um sorriso e maneou a cabeça de um lado ao outro como se aquilo não pudesse estar acontecendo.

- Não se preocupe, Monde... sorriu Isa. – Vamos deitar na cama. Vem aqui. E ajudou o parceiro a se levantar. Depois, o levou até o quarto ao lado.

Barulhos foram ouvidos no andar abaixo. Eram Celine e Gerolt trazendo Dario, para a comoção dos guardas.

- O Mestre Comandante está bem?! Está ferido?! – perguntavam todos ao olharem o príncipe desmaiado e com as roupas tingidas de vermelho.

- Deem espaço para ele! Vamos levá-lo para cima – guiava Celine, claramente preocupada.

Com o príncipe apoiado em seu ombro, os dois guerreiros passaram pelo quarto da mulher-peixe e viram Adriel encostado no portal. O coração de Gerolt apertou ao se lembrar do amigo em estado terminal. Depois, passaram pelo quarto seguinte e viram a cama cheia de sangue. No terceiro quarto, Mondegärd estava deitado sobre a cama, recebendo cuidados de Isa. Gerolt não teve coragem de perguntar sobre o amigo e levou Dario para o penúltimo quarto, deitando ele na cama.

- Fique com ele... Já volto... – pediu Gerolt a Celine, claramente perturbado. Parecia estar tremendo, mas a jovem não sabia o porquê.

Vagarosamente, foi até o quarto ao lado e parou no batente. No interior, viu Isa e Mondegärd.

- Calma, Gerolt. Ele está bem... – sorriu Isa, orgulhosa. Para ela, a recuperação do mago era uma vitória sobre o companheiro mais velho. Tinha derrotado o careca na “aposta”.

Gerolt, no entanto, pareceu não entender a mensagem. Estava perdido em pensamentos perturbadores.

- Estou bem, seu velho careca.

A voz do mago retirou o guerreiro de seu transe. Os olhos de Gerolt se arregalaram e logo em seguida se espremeram, deixando escapar uma lágrima antes de esconder o rosto. Levando as mãos aos olhos, disse:

- Muito bem... Essa foi boa, Isa e Adriel. Meus parabéns...

Adriel estava apoiado no batente do quarto onde estava a mulher-peixe e acompanhava a cena.

- Posso ver você chorando daqui, Gerolt... Você vai chorar assim por mim também quando me ferir?

Isa escutou e gargalhou, mas o homem da marreta não respondeu e entrou no quarto de Dario. Celine o viu, vermelho, e entendeu: os dois membros mais velhos do grupo eram bons amigos, como ela nunca havia percebido.

Isa então deu-se conta de como havia sido mesquinha: Gerolt realmente gostava de Mondegärd e brincar com os sentimentos dele em um jogo era uma atitude desleal para com o amigo.

- Acho que fui longe demais... – repreendeu-se. – Se bem que ele também se acha muito... – para logo depois mudar de ideia.

No outro quarto, alheio ao caso do mago, Dario tossiu e Celine limpou seus lábios com o lençol da cama.

- Calma, Dario. Você está bem. Agora passou, tá?

- Tá... Vou dormir um pouco...

A resposta rouca e repentina assustou a jovem por um instante. Depois sorriu e passou a mão pela testa do capitão, retirando a faixa vermelha que arrepiava seus cabelos. Finalmente acreditara: Dario realmente não corria mais perigo. Ajeitou-se na cama e colocou a cabeça do príncipe no colo. Inspirou profundamente e, segurando a mão do comandante, disse:

- Pode dormir. Eu fico aqui com você.

Está gostando da história? Não deixe de votar e deixar seu comentário! Sua opinião é muito importante para a continuação do livro e da série Era Perdida.

Era Perdida: O Globo da MorteLeia esta história GRATUITAMENTE!