T h i r t y N i n e

22.5K 2.7K 3.5K
                                    

SIENNA DEVORA, point of view.

Me abaixo colocando Hera no chão e fecho a porta de casa, me virando e vendo Vinnie ja jogado em meu sofá

Ops! Esta imagem não segue as nossas directrizes de conteúdo. Para continuares a publicar, por favor, remova-a ou carrega uma imagem diferente.

Me abaixo colocando Hera no chão e fecho a porta de casa, me virando e vendo Vinnie ja jogado em meu sofá.

- Cadê sua mãe? - Pergunta, enquanto caminho até a cozinha.

- Vou descobrir onde ela esta agora. - Respondo, procurando algum bilhete na cozinha. Como previsto, ela deixou um na geladeira.

- 'Oi meu amor, estou na casa da sua tia junto com sua avó, volto a noite. se caso você chegar antes do almoço - o que eu acho bem difícil - deixei dinheiro na sua escrivaninha, pede alguma coisa para comer e tranque a porta de casa. Mamãe te ama bebê.' - Leio o bilhete em voz alta e me jogo por cima de Vinnie.

- Mamai ti ama bebê. - Vinnie, me imita com uma voz afeminada e rio alto fazendo o loiro rir também.

- A gente tem a casa toda para nós dois, sabe o que isso significa? - Pergunta em meu ouvido e aperta a minha coxa com força.

- Que vamos dormir o dia todo. - Me faço de sonsa e me viro para o loiro, colocando uma perna de cada lado de seu corpo, me aconchegando em seu colo.

- É, da também. - Dá de ombros e rio, juntando nossos lábios em um beijo calmo e sem malícia alguma.

- Tô cansadão. - Fala finalizando o beijo e deixando um beijo em meu nariz e um selinho em minha boca, me abraçando apertado e me fazendo afundar a cabeça em seu pescoço.

- Também, não dorme. Parece zumbi. - Reviro meus olhos e Vinnie ri fraco, dando um tapinha em minha bunda.

- Sua bunda fica tão linda e marcada quando você esta de calça moletom. - Fala, apertando minha bunda com vontade.

- Que isso vinagrete, você esta muito serelepe em. - Brinco e Vinnie tomba a cabeça para trás rindo, e eu o acompanho.

- Seu perfume esta diferente. - Comento quando deixo um beijo eu seu maxilar.

- É por que eu estou sem tomar banho. - Vinnie, responde.

- Eca, seu porquinho! - Respondo e finjo ânsia de vômito, saindo de seu colo.

- Eu estou brincando besta, porém é meio verdade. - Responde rindo e finjo vomitar.

- Ainda tem aquelas roupas minhas aqui? - Pergunta, e assinto com a cabeça.

- Menos calça. Mas se você quiser tomar banho, acho que dá pra vestir a mesma. - Falo e Vinnie me olha malicioso se levantando do sofá onde estava. Vindo até mim que estou sentada no outro ao lado.

- Não vamos precisar de roupas mesmo. - Fala malicioso e estende sua mão para mim.

Sorrio para ele e fico em pé no sofá, abrindo os braços para o loiro que ri e me pega no colo, caminhando até as escadas.

- Depois não gosta que te chame de bebê. - Diz, subindo as escadas e rio passando meus braços por seus ombros, o abraçando.

- Vamos usar a banheira do quarto da minha mãe! - Falo animada e Vinnie resmunga em negação.

- E se ela chegar? Imagine que constrangedor ela pegar o bebê dela tomando banho pelada com um marmanjo. - Diz e dou um tapa fraco em suas costas, escutando Vinnie resmungar um 'ai'.

- Ela não vai chegar tão cedo. Me coloca no chão, eu vou preparar a banheira. - Falo, chacoalhando as pernas e Vinnie me solta no chão.

- Sie.. - Começa a falar, porém, faço sinal para ele ficar quieto.

Fico na ponta dos pés e dou um selinho nos lábios do loiro, logo em seguida saio até o quarto de minha mãe.

Coloco a banheira para encher de água morna e jogo um pouco de espumante junto de um de seus óleos cheirosos. Depois de tudo já pronto vou para o meu quarto, encontrando Vinnie e Hera deitados na minha cama enquanto o loiro acaricia a gata, parecendo estar perdido em seus próprios pensamentos.

- Ei, vamos lá. - O chamo e entro em meu closet, pegando duas toalhas para nos secarmos.

Caminho até a cama deixando um beijo em Hera, e puxo Vinnie pelo braço. Ele nem se mexe direito.

- Vincent, para de birra! - Falo me irritando e o garoto ri, se levantando e me abraçando.

- Vamos logo tomar banho. - Falo, com dificuldade enquanto ele deixa vários selinhos seguidos em meus lábios.

- Já estou indo, chata. - Responde e me viro caminhando até o quarto de minha mãe.

Amarro meu cabelo em um coque alto e tiro minhas roupas ficando apenas de lingerie. Por fim entrando na banheira, sentindo meu corpo relaxar e um sorriso frouxo nascer em meu rosto.

- Tinha me esquecido de como isso é relaxante e bom. - Falo, sentindo a água balançar e abro meus olhos, encontrando Vinnie sentado de frente para mim, me olhando.

- O que foi? - Pergunto e ele nega com a cabeça, fazendo sinal para eu ir até ele. E assim faço, me sentando no meio de suas pernas.

- Por que você esta tão quieto? - Pergunto, depois de longos minutos de silêncio apenas aproveitando a água relaxante.

- Nada de mais baby, apenas pensando. - Diz enquanto acaricia meu braço e deixa um beijo em minha cabeça.

- Pensando sobre? - Pergunto e Vinnie ri fraco, beijando meu pescoço.

- Vai ter que adivinhar, gatinha. - Fala e sinto ele abrir o fecho de meu sutiã atrás.

- O que você esta fazendo? - Pergunto rindo.

Sinto o dedo de Vinnie passar delicadamente por minhas costas e gargalho alto por sentir cócegas.

- Você é muito sensível, por Deus. - Vinnie fala rindo e tombo minha cabeça para trás, encostando em seu ombro.

- Deixa eu tentar em você? - Peço, e Vinnie ri dando um beijo estalado em minha bochecha.

Vincent se vira de costas para mim e sinto meu sorriso murchar ao ver como suas costas estão vermelhas e cheias de arranhões.

Quais eu não fiz, já faz quase uma semana que não transamos. Ou seja, ele estava com outra. Então ele mentiu quando disse que estava com os garotos?

- Acho que não quero mais brincar, estou começando a sentir frio. - Rio, sem humor e o garoto me olha confuso por cima do ombro.

- Quer sair da banheira? - Pergunta e assinto. Cubro meus seios com minhas mãos e me levanto, pegando a toalha e enrolando em volta de meu corpo.

- Sie, o que foi? - Vinnie, pergunta me olhando e faço a minha melhor cara de confusa.

- Não aconteceu nada, eu só estou sentindo frio. Mas se você quiser, pode ficar aí. - Sorrio forçado e saio do quarto, caminhando até o meu.

DIARY | vinnie hacker Onde as histórias ganham vida. Descobre agora